28 DE MAIO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques de hoje na Voz do Brasil: Novo acordo com caminhoneiros garante redução de R$0,46 no preço do diesel. E presidente Michel Temer reforça: governo atende a praticamente todos os pedidos da categoria; Depois de atender caminhoneiros, governo trabalha para garantir serviços essenciais; Segundo Polícia Rodoviária Federal, não há registro de bloqueios nas rodovias do país; E tem resultado positivo do aquecimento da economia: abril registra a melhor arrecadação dos últimos quatro anos.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_28_05_18.mp3 — 23544 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 28 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Novo acordo com caminhoneiros garante redução de R$ 0,46 no preço do diesel.

 

Nasi: E presidente Michel Temer reforça.

 

Gabriela: Governo entende a praticamente todos os pedidos da categoria.

 

Presidente Michel Temer: Nós fizemos nossa parte para atenuar problemas e sofrimentos. Por isso, eu quero manifestar a minha plena confiança no espírito natural de responsabilidade, de solidariedade e de patriotismo de cada um daqueles caminhoneiros que servem ao nosso país.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Depois de atender caminhoneiros, governo trabalha para garantir serviços essenciais. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Para do governo, a prioridade agora é a normatização dos serviços de abastecimento.

 

Nasi: Segundo Polícia Rodoviária Federal, não há registro de bloqueios nas rodovias do país.

 

Gabriela: E tem resultado positivo do aquecimento da economia.

 

Nasi: Abril registra a melhor arrecadação dos últimos quatro anos.

 

Gabriela: Na apresentação da Voz do Brasil de hoje, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Diesel bem mais barato nos postos, garantia de um preço mínimo de frete, isenção de pedágios para caminhões com eixos suspensos.

 

Nasi: Mudanças que reduzem os custos dão previsibilidade e tranquilidade aos caminhoneiros.

 

Gabriela: As novas medidas foram anunciadas na noite desse domingo, pelo Presidente Michel Temer.

 

Nasi: Durante todo o fim de semana o governo realizou reuniões e ontem se reuniu com representantes da categoria para apresentar a nova proposta.

 

Gabriela: Agora o governo espera a contrapartida.

 

Repórter Bruna Saniele: No novo acordo apresentado aos caminhoneiros, o presidente da República Michel Temer atendeu às principais reivindicações da categoria, a primeira delas é a redução do preço do óleo diesel nas bombas, que deve cair R$ 0,46 e terá a duração de 60 dias. Depois desses dois meses de redução, os reajustes no preço serão apenas mensais, como explicou o Presidente Michel Temer, em pronunciamento neste domingo.

 

Presidente Michel Temer: O preço do óleo diesel já barateado pela redução de R$ 0,46 será válido pelos próximos 60 dias. Até confesso, a primeira das hipóteses era 15 dias, depois 30 dias, agora acertamos que será por 60 dias. E, a partir daí, ou seja, daqui a dois meses, só haverá reajustes mensais. Assim, cada caminhoneiro poderá planejar melhor seus custos e o valor do frete, é a chamada previsibilidade, para que o caminhoneiro ou as empresas transportadoras, os donos dessas transportadoras saibam exatamente como contratar o seu trabalho.

 

Repórter Bruna Saniele: O presidente também assinou três Medidas Provisórias para entender às demandas dos caminhoneiros. Uma delas garante que 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, sejam destinados aos caminhoneiros autônomos. A segunda estabelece uma tabela mínima para o preço do frete em todo o país. E a terceira isenta os caminhoneiros com caminhões vazios da cobrança de pedágio dos eixos suspensos. O Presidente Michel Temer reforçou que assim o governo atende a praticamente todas as reivindicações da classe.

 

Presidente Michel Temer: Nós fizemos nossa parte para atenuar problemas e sofrimentos. As medidas que acabo de anunciar, repito, atendem a praticamente todas as reivindicações que nos foram apresentadas. Por isso, eu quero manifestar a minha plena confiança, a confiança do governo no espírito natural de responsabilidade, de solidariedade e de patriotismo de cada um daqueles caminhoneiros que servem ao nosso país.

 

Repórter Bruna Saniele: Temer disse ainda que as medidas negociadas anteriormente e assinadas pelos ministros e pelas lideranças seguem valendo, entre elas o acordo de que não haverá reoneração da folha de pagamento para o setor de transporte rodoviário de carga. O presidente destacou que durante toda a semana o governo conversou com entidades de classe, parlamentares, ministros para chegar a uma proposta que pudesse pôr fim à paralisação e dar solução aos problemas enfrentados pela população nesses dias. Reportagem, Bruna Saniele.

 

Nasi: E o hoje pela manhã o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, deu mais detalhes sobre como o governo vai fazer para reduzir o preço do diesel nas bombas.

 

Gabriela: Parte do dinheiro virá da redução de impostos.

 

Nasi: E outra parte vai ser subsidiada, ou seja, o governo paga à Petrobras a diferença do valor cobrado a menos.

 

Repórter Márcia Fernandes: Para cobrir as despesas da negociação com os caminhoneiros o Governo Federal estima um custo máximo de R$ 9,5 bilhões até o final do ano, desse total, R$ 3,8 bilhões e sairão de um corte no orçamento, os outros R$ 5,7 bilhões virão de uma reserva de contingência, uma espécie de sobra que está prevista no orçamento de 2018. Será um desconto de R$ 0,46 no preço do litro do diesel, R$ 0,30 virão de subsídios e R$ 0,16 da queda dos impostos Cide, PIS e Cofins. Esse valor vai ser compensado com a reoneração da folha de pagamento de outros setores. O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirma que a medida beneficia os consumidores sem desequilibrar as contas.

 

Ministro da Fazenda - Eduardo Guardia: Nós tínhamos uma preocupação com o consumidor, fazer o benefício chegar ao consumidor, evidentemente com uma preocupação fiscal, tudo o que foi feito foi dentro da responsabilidade fiscal, e a gente vai detalhar tudo isso, preservar a autonomia da Petrobras, que foi preservada nesse processo e evitar qualquer tipo de distorção no funcionamento desse importante mercado. Então, nós olhamos para essas quatro dimensões para por essa proposta de pé.

 

Repórter Márcia Fernandes: Para que essas pedidas passem a valer, o Governo Federal deve publicar duas medidas provisórias. É preciso também esperar que o Congresso Nacional aprove a reoneração da folha de pagamento. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Gabriela: E, além de medidas para pôr fim à paralisação dos caminhoneiros, o governo realiza uma ação conjunta para garantir o abastecimento de gêneros de primeira necessidade.

 

Nasi: Depois de anunciar um novo acordo, o governo acompanha de perto as movimentações em todos o país.

 

Gabriela: Em entrevista hoje, ministros voltaram a reforçar que todas as reivindicações da categoria foram entendidas.

 

Repórter Cleide Lopes: O governo avalia que todas as reivindicações dos caminhoneiros foram atendidas nas negociações que se estenderam durante toda a semana passada e na edição das três Medidas Provisórias enviadas ao Congresso Nacional com determinações que atendem à categoria. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que o governo agora espera o fim da paralisação dos motoristas de caminhão.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: A extinção do movimento foi negociada com todas as lideranças. Nós fizemos a nossa parte, agora esperamos que a outra parte também cumpra com a sua, que já começou a cumprir, é bom que a gente faça esse registro. E queremos ver se conseguimos acelerar esse processo com a maior velocidade possível para dar a tranquilidade à família brasileira.

 

Repórter Cleide Lopes: O ministro Eliseu Padilha também informou que um fórum permanente discute no governo reivindicações dos caminhoneiros.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Existe um fórum permanente do Governo Federal com a representação do Ministério dos Transportes com as entidades dos caminhoneiros do Brasil. É 24 horas por dia todos os dias. E todas essas reivindicações que aparecem no setor vão para esse fórum e lá elas são consideradas e são, sim, analisadas.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o governo a prioridade agora é a normalização do serviço de abastecimento, que deve ocorrer gradativamente. O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, explicou que em alguns estados a situação já está praticamente normalizada. O ministro falou ainda quais área vão merecer atuação especial do governo e fez um balanço de alguns serviços já retomados.

 

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional - Sérgio Etchegoyen: Estamos agora com uma prioridade absoluta para área de saúde. Brasília está recebendo um suprimento importante para o prosseguimento dos tratamentos de hemodiálise. Já abastecemos os aeroportos mais importantes do país. Já normalizamos os abastecimentos para as termoelétricas mais importantes, ou mais críticas, Rondônia e Roraima. Caminhamos para ampliação dos corredores de abastecimento. A Polícia Rodoviária Federal e as Forças Armadas têm oferecido escoltas que têm aumentado o número de caminhões ao longo dos trajetos, porque há muitos caminhoneiros que dependiam de segurança para prosseguir.

 

Repórter Cleide Lopes: O governo também negocia para evitar a greve anunciada pelos trabalhadores da Petrobras. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E daqui a pouco mais informações sobre o fim dos bloqueios e a normalização do abastecimento do país.

 

Gabriela: Uma espécie de consultoria para ajudar a sua empresa a aumentar a produção.

 

Nasi: Este é o Programa Brasil Mais Produtivo, que está com inscrições abertas.

 

Gabriela: Os detalhes você houve daqui a pouquinho ainda nesta edição. Não saia daí.

 

Nasi: A arrecadação de impostos somou mais de R$ 130 bilhões em abril.

 

Gabriela: Um aumento de quase 8% em comparação ao mesmo mês do ano passado. Foi o melhor resultado para o mês nos últimos quatro anos.

 

Nasi: Segundo os dados da Receita Federal, esse aumento foi impulsionado pelo maior consumo da população além de maior produção industrial e importações.

 

Gabriela: De acordo com o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita, Claudemir Malaquias, essa alta é um reflexo da recuperação da economia.

 

Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita - Claudemir Malaquias: Os fatores que determinaram a arrecadação dos tributos federais no mês de abril e também no período acumulado dos quatro primeiros meses do ano, são permanentemente os indicadores macroeconômicos. A recuperação gradual da atividade econômica tem sido apresentada aí através dos números da arrecadação. O desempenho está atrelado ao desempenho da atividade econômica.

 

Nasi: No acumulado do ano a arrecadação federal chega a quase R$ 500 bilhões com alta de mais de 8% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Gabriela: Levantamento da Polícia Rodoviária Federal indica que não existem mais bloqueios em rodovias federais, apesar de haver ainda aglomerações de caminhoneiros que não comprometem o fluxo das vias.

 

Nasi: A PRF também está oferecendo escolta a caminhoneiros que queriam voltar ao trabalho em segurança. Vamos conversar agora com a repórter Raíssa Lopes, que tem mais informações. Boa noite, Raíssa.

 

Repórter Raíssa Lopes (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Então, desde sexta-feira, quando o presidente da República, Michel Temer, estabeleceu a Missão de Garantia da Lei e da Ordem e que órgãos governamentais, incluindo o Ministérios, Forças Armadas e agentes federais, trabalhem em conjunto para garantir que alimentos, combustíveis e insumos essenciais para a saúde cheguem para a população. De acordo com o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Renato Dias, ainda há pontos de concentração de manifestantes, mas não existem mais bloqueios totais ou parciais em nenhuma rodovia.

 

Diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal - Renato Dias: Nós temos 494 pontos de aglomeração de caminhoneiros. Tudo o que nós vamos apresentar aqui é inerente somente às rodovias federais. Não existe nenhum bloqueio total. Esses pontos, a maior parte dos veículos já deixaram, inclusive, o acostamento e a via, estão estacionados em pátios de postos de gasolinas ou em pátios próximos às rodovias. Tivemos já um total de 742 liberações. Significa que do total de liberações, já atingem aí 56% desses pontos. Conseguimos já realizar 386 escoltas, dessas, somando 973 carretas escoltadas. Uma grande parte dessas corretas priorizando o restabelecimento da normalidade dos aeroportos.

 

Repórter Raíssa Lopes (ao vivo): O governo também afirma que muitos caminhoneiros relataram pressões para não voltar ao trabalho. O serviço de inteligência da Polícia Rodoviária Federal trabalha na identificação de pessoas alheias ao movimento, que estariam impedindo o retorno dos motoristas de caminhão. O diretor da PRF, Renato Dias, informa que os motoristas que quiseram poderão contar com a proteção da Polícia Rodoviária Federal.

 

Diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal - Renato Dias: Tendo em vista que grande parte desses pontos de aglomeração, as lideranças não estão obrigando os caminhoneiros a permanecer, mas falsas lideranças, sim, que às vezes ofereçam alguma ameaça. A Polícia Rodoviária Federal, juntamente com as Forças Armadas, a Força Nacional, estará pronta para garantir a escolta e a segurança de todos aqueles que, de livre e espontânea vontade, já se sentem realizados e contemplados e desejam retomar as suas atividades.

 

Repórter Raíssa Lopes (ao vivo): O governo também garante que as atividades estão voltando ao normal. Segundo o chefe do Estado do Maior Conjunto das Forças, Ademir Sobrinho, o abastecimento de combustível de 15 aeroportos, que são responsáveis por 95% do transporte aero no país, está garantido. Ele disse também que grandes cidades estão com grande parte do transporte público funcionando. Sobrinho falou também sobre a distribuição de insumos para a saúde e dos corredores de transporte criados para permitir que alimentos cheguem às cidades.

 

Chefe do Estado do Maior Conjunto das Forças - Ademir Sobrinho: Estamos planejando a continuação do apoio ao Ministério da Saúde, a criação de corredores, porque a logística de alimentos, a mesma logística de saúde e a logística de ração, ela é muito grande, nós não temos como escoltar todos esses carregamentos. Então, nós vamos estabelecer... já estamos estabelecendo corredores de transporte com segurança e com abastecimento para permitir que grande parte dos alimentos, combustíveis, material de saúde e ração cheguem aos destinatários finais. Já está estabelecido praticamente o Corredor Belo Horizonte-Brasília, esse corredor será estendido.

 

Repórter Raíssa Lopes (ao vivo): A Missão de Garantia da Lei e da Ordem vai até o dia 4 de junho. Essas missões são realizadas em graves situações de perturbação da ordem, quando há o esgotamento das formas tradicionais de segurança pública e dão provisoriamente aos militares das Forças Armadas a possibilidade de atuar com poder de polícia até o restabelecimento da normalidade. Ao vivo, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: A Secretaria-Geral da Presidência da República ganhou novo comando hoje.

 

Nasi: O Presidente Michel Temer deu posse a Ronaldo Fonseca de Souza como novo ministro, no lugar de Moreira Franco, que foi para o Ministério de Minas e Energia.

 

Gabriela: A Secretaria-Geral é quem coordena um programa importante para o governo, as concessões e privatizações.

 

Repórter Pablo Mundim: Em seu primeiro discurso como ministro, Ronaldo Fonseca disse que o governo vai dar andamento a três leilões de ferrovias planejados para este ano. Disse que o Brasil precisa acabar com a dependência do transporte rodoviário e que encomendou um estudo sobre a reorganização dos modais ferroviários no Brasil.

 

Ministro de Minas e Energia - Ronaldo Fonseca: O segundo semestre será o momento das ferrovias do Brasil. A Secretaria-Geral da Presidência já tem estudos prontos. Nós estamos com leilões, inclusive, para sair. Temos três leilões da Norte-Sul, da Oeste-Leste, do Ferrogrão que já está quase pronto para sair. O TCU está fazendo os estudos, já temos parte liberado e com certeza nós vamos avançar nesse tema.

 

Repórter Pablo Mundim: O Presidente Michel Temer disse que o ministro Ronaldo Fonseca tem como qualidades a capacidade de diálogo e de agregação. E reforçou que o ministro vai ter a responsabilidade de levar adiante a política de concessões e privatizações do governo.

 

Presidente Michel Temer: Porque tudo o que nós acabamos concedendo ou privatizando deu certo ao longo do tempo, como dará certo nas privatizações e concessões que o Ronaldo vai levar adiante. Portanto, não tenho menor dúvida de que o Ronaldo cumprirá, com plena, a competência a função que, ora, assume.

 

Repórter Pablo Mundim: Além do programa de parcerias de investimentos, a Secretaria-Geral também é responsável pela comunicação social do governo. Estão ligadas ao órgão a Empresa Brasil de Comunicação, EBC, e a Empresa de Planejamento e Logística, EPL. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Muitos empresários têm dificuldade em detectar problemas nos processos de produção.

 

Gabriela: E isso significa perdas na hora de competir no mercado. Muitas empresas até fecham as portas.

 

Nasi: E para mudar esse cenário, inclusive, dentro de empresas que tem potencial e só precisam de um empurrãozinho, o governo abriu novas inscrições para o Programa Brasil Mais Produtivo.

 

Gabriela: Meta é atender 300 empresas com uma espécie de consultoria, ajudando a aumentar a produtividade com melhorias rápidas e de baixo custo.

 

Repórter Rosamélia de Abreu: Samuel Antunes tem uma fábrica de móveis em Brasília. A empresa tinha vários gargalos que aumentavam muito o custo dos produtos, como o desperdício de material e tempo.

 

Empresário - Samuel Antunes: Matéria-prima era gritante. A fábrica, a gente tinha... era muita sobra que sobrava.

 

Repórter Rosamélia de Abreu: Samuel Antunes contou que com o apoio do pessoal do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, Senai, que fez um diagnóstico da empresa para melhorar a sua produção ao adotar nossos procedimentos e mudar o modo de trabalhar da empresa, hoje ele comemora os resultados.

 

Empresário - Samuel Antunes: A questão de realmente mudar algumas metodologias, a questão de locomoção, né? Então que a gente se locomovia muito para poder chegar a uma determinada situação de projeto. Então, ela conseguiu adequar e fazer um fluxograma, né?

 

Repórter Rosamélia de Abreu: Como a fábrica de Samuel Antunes, o Brasil Mais Produtivo já atendeu 3 mil empresas em todas as regiões brasileiras. Os resultados apresentados foram expressivos, como o aumento médio da produtividade de mais de 52% na linha de produção selecionada. De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial, Igor Calvet, neste ano a meta é atender um total de 300 empresas.

 

Secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial - Igor Calvet: Então, em 2018, 300 empresas serão atendidas em cinco setores da nossa economia, setor de alimentos e bebidas, setor moveleiro, calçados, têxteis e também metal-mecânicos, espalhados aí por oito estados da Federação. Todos as regiões do país terão estados representados.

 

Repórter Rosa Amélia de Abreu: O Programa Brasil Mais Produtivo está nas inscrições abertas até 16 de junho de 2018. Reportagem, Rosamélia de Abreu.

 

Nasi: Para receber a consultoria é precise inscrever pela internet no endereço: www.brasilmaisprodutivo.gov.br.

 

Gabriela: Começaram os Jogos Sul-Americanos na cidade de Cochabamba, na Bolívia.

 

Nasi: Participam mais de 4 mil atletas de 14 países.

 

Gabriela: E a Brasil também está lá com 316 esportistas, e já temos conquista de medalhas.

 

Nasi: Vamos saber dos resultados com o repórter Abelardo Mendes Junior, que acompanha tudo de perto.

 

Repórter Abelardo Mendes Junior: Mais de 4 mil atletas de 14 países estão inscritos para as competições que vão distribuir mais de 1,2 mil medalhas. Desses 4 mil atletas, 316 são brasileiros, e, entre eles, 234 fazem parte de alguma categoria do programa Bolsa Atleta do Ministério do Esporte. O foco da Delegação Brasileira aqui em Cochabamba é conseguir vagas nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, já que 16 esportes valem qualificação para a Pan. E lá em Lima, no Peru, várias competições valeram um lugarzinho nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. As disputas começaram no sábado e até o fim da tarde dessa segunda-feira o Brasil já tem oito medalhas de ouro, cinco de prata e oito de bronze. Em esportes como judô, natação, ginástica artística, remo, esgrima, karatê e badminton. Histórias como a da medalha de ouro da equipe de badminton, conquistada no início da tarde por Ygor Coelho, Artur Pomoceno, Fabiana da Silva e Luana Vicente, com vitória na final sobre a seleção peruana. Essa foi a primeira medalha de ouro brasileira no badminton em jogos sul-americanos. O Ygor Coelho conta para a gente como foi.

 

Atleta - Ygor Coelho: E a gente levando a medalha de ouro, é a primeira da história. Então, me sinto muito honrado em fazer parte da primeira equipe da geração ouro.

 

Repórter Abelardo Mendes Junior: Acompanhe toda a cobertura dos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba no site: rededoesporte.gov.br.

 

Gabriela: E inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio que quiserem atendimento pelo nome social devem fazer o pedido a partir de hoje.

 

Nasi: Ouça como solicitar no nosso quadro 'Pra Você Cidadão'.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: Já está aberto o período para solicitações de atendimento por nome social no Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, 2018. Participantes transsexuais e travestis que quiserem ser identificados no exame conforme a sua identidade de gênero têm até o dia 3 de junho para fazer a solicitação. O pedido deve ser feito pela internet no endereço: enem.inep.gov.br/participante. Após informar CPF, senha e o nome social usado, deverão ser anexados os documentos que motivam a solicitação de atendimento pelo nome social. Os pedidos não aceitos vão poder ser consultados na página do participante. Daniel Costa, para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: E a partir da hoje também estão abertas as inscrições para vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies.

 

Nasi: As novas oportunidades vão preencher vagas do processo anterior em que, por diversos motivos, como por não comprovação de renda ou desistência, alguns estudantes não tiveram empréstimo total ou parcial contratado.

 

Gabriela: Podem se descrever todos os estudantes que participaram do processo anterior e que não contrataram, além de candidatos que tenham feito a prova do Enem em qualquer edição desde 2010.

 

Nasi: As inscrições devem ser feitas pela internet no endereço: fiesselecao.mec.gov.br.

 

Gabriela: E agora última informação sobre a paralisação dos caminhoneiros. A Companhia Nacional do Abastecimento, a Conab, acaba de publicar uma chamada pública para a contratação de frete para os caminhoneiros autônomos.

 

Nasi: A chamada prevê a remoção de 26 mil toneladas de milho dos estoques públicos que estavam em Sorriso, no Mato Grosso, e deve ser enviado para Palmeira, no Piauí.

 

Gabriela: Esta é a primeira chamada pública que atende a proposta do governo da Medida Provisória publicada ontem, no Diário Oficial, que garante 30% do frete da Conab para os trabalhadores autônomos.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".