Criança Feliz já detectou a necessidade de pré-natal de mais de 7 mil mulheres

Desde que foi criado, em 5 de outubro de 2016, o programa já atendeu 108 mil gestantes; Mais de 233 milhões de reais serão investidos na Atenção Primária da Saúde; Lançado nesta quinta-feira (05), o Programa Brasil Mais Cooperativo, para fortalecer o cooperativismo rural brasileiro.

audio/mpeg 05-07-19 - E NOTICIA 2 MIN - MARIA VILHENA -TARDE - 1m48s.mp3 — 2062 KB

Duração: 1m48s




Transcrição

Mais de 233 milhões de reais serão investidos na Atenção Primária da Saúde. 

Cerca de 10 milhões de pessoas serão beneficiadas com o credenciamento de quase 10 mil novas equipes e serviços.

Na prática, o investimento na Atenção Primária qualifica o atendimento prestado à população com mais consultas, exames e medicamentos disponíveis.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (3) pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em Brasília.

-----------------------------------------------------------------------------------

O Criança Feliz completou mil dias nesta quinta-feira (4) com um saldo de 108 mil gestantes atendidas. 

Além de identificar as gestantes sem pré-natal, o Programa Criança Feliz alcançou números expressivos desde que foi implantado. Em todo o país, 678 mil pessoas foram atendidas e mais de 16 milhões e 800 mil de visitas domiciliares realizadas.

O Programa  é uma iniciativa do Governo Federal para ampliar a rede de atenção e o cuidado integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida.

 
------------------------------------------------------------------------------------ 

Foi lançado nesta quinta-feira, 4 de julho, o Programa Brasil Mais Cooperativo.

O objetivo é fortalecer o cooperativismo rural brasileiro.

Além desta iniciativa, o Ministério da Agricultura assinou portaria que amplia o acesso das cooperativas à emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf.

Também foi assinada uma proposta de decreto que cria o Selo Biocombustível Social, para beneficiar mil e 600 cooperativas em atividade no país.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Maria Vilhena