Minha Casa, Minha Vida recebe R$443 milhões do governo federal

A expectativa é que até a próxima semana sejam liberados mais R$ 100 milhões no Programa Minha Casa, Minha Vida; Campanha Semana do Brasil visa incentivar o consumo e estimular a economia do país; 51 planos de saúde de dez operadoras estão com sua comercialização suspensa.

audio/mpeg 06-09-19 - E NOTICIA EM 2 MINUTOS - MANHA - DILSON.mp3 — 4113 KB

Duração: 2:11s




Transcrição

Recursos da ordem de R$ 443 milhões foram repassados nesta quinta-feira, dia 5, do Ministério do Desenvolvimento Regional para o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida . A expectativa é que até a próxima semana sejam liberados mais R$ 100 milhões.

 

De acordo com o ministro Gustavo Canuto, a preocupação do presidente Jair Bolsonaro é com as famílias de baixa renda. E que, mesmo em um período de ajuste fiscal, as pessoas não percam seus empregos e a economia fique aquecida.

 

Segundo o ministro, serão injetados no mercado R$ 543 milhões para garantir a continuidade de 234 mil unidades em andamento no país.

Ao todo, o Governo Federal já entregou à população mais de 242 mil empreendimentos em todo o Brasil – mais de 1.500 casas por dia.

……………………………………………

Começa hoje (6) e vai até o próximo dia 15 a campanha Semana do Brasil, movimento lançado pelo governo que visa a incentivar o consumo e estimular a economia do país. Até o momento, 4.680 empresas e entidades estão mobilizadas e vão participar da semana oferecendo descontos e promoções aos consumidores.

A semana, que aproveita as comemorações do 7 de setembro, data em que se celebra a Independência do Brasil, tem como mote “Vamos valorizar o que é nosso” e é inspirada em campanhas de varejo de outros países, como os Estados Unidos, que costumam realizar promoções em feriados nacionais. A proposta pretende gerar um ambiente de confiança para este e os próximos meses de 2019.

………………………………

 

Por determinação da Agência Nacional de Saúde (ANS), a partir desta sexta-feira (6), 51 planos de saúde de dez operadoras estão com sua comercialização suspensa, em função de reclamações feitas pelos clientes, durante o segundo trimestre.

De acordo com a ANS, a medida é resultado do Programa de Monitoramento de Garantia de Atendimento, que monitora a qualidade do serviço prestado pelo setor e atua na proteção dos beneficiários.

Somados, os 51 planos atendem a 278,6 mil beneficiários, que terão mantida a garantia à assistência regular.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé