Aberta consulta pública sobre protocolo de atendimento a pessoas com Epidermólise Bolhosa

As contribuições podem ser enviadas até 31 de outubro; Já está funcionando o segundo comitê estadual de coordenação do Plano AgroNordeste, no Rio Grande do Norte; Programa "Novos Caminhos", lançado pelo Ministério da Educação, pretende abrir novas oportunidades e cursos na educação técnica e profissional.

audio/mpeg 11-10-19 - É NOTÍCIA EM 2 MIN - MARIA VILHENA TARDE - 2m08s.mp3 — 2416 KB

Duração: 2m08s




Transcrição

Está aberta uma consulta pública sobre protocolo de atendimento a pessoas com Epidermólise Bolhosa. 

As contribuições podem ser enviadas até 31 de outubro. 

O objetivo é definir critérios para o diagnóstico, tratamento e acompanhamento, além de organizar a linha de cuidado dessa doença nas unidades de saúde do SUS.

A medida atende a necessidade de pacientes e familiares, que enfrentam dificuldades para o diagnóstico da doença, resultando na demora para o início do tratamento.

A Epidermólise Bolhosa é uma doença rara, na pele, não contagiosa e ainda não foi descoberta a cura.

Mais informações sobre a consulta pública estão disponíveis no site saude.gov.br

------------------------------------------------

Já está funcionando o segundo comitê estadual de coordenação do Plano AgroNordeste, no Rio Grande do Norte.

Em parceria com o Senar, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, o plano traz novas oportunidades de integração comercial com o Mercosul e a União Europeia.

O programa é voltado para pequenos e médios produtores que já comercializam parte da produção, mas ainda encontram dificuldades para expandir o negócio e gerar mais renda e emprego na região onde atuam.

Para mais informações sobre o Plano AgroNordeste, acesse o site agricultura.gov.br

------------------------------------------

O programa "Novos Caminhos", lançado pelo Ministério da Educação, pretende abrir novas oportunidades e cursos na educação técnica e profissional.

Dividido em três eixos, o "Novos Caminhos" visa aumentar em 80% o número de matrículas no setor, subindo de quase dois milhões para três milhões e 400 mil alunos até 2023.

A iniciativa tem foco nas demandas do mercado e nas profissões do futuro.

Para mais informações, acesse mec.gov.br

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Maria Vilhena.