Gestores públicos podem participar do Programa Saúde na Escola até dia 15

Entre os doze temas que deverão ser abordados na escola estão o incentivo à atividade física, combate ao aedes e atualização da situação vacinal de alunos e professores; Portaria regulamenta antecipação do BPC a moradores de Brumadinho-MG; Ano de 2019 começa com recorde na exportação de café.

audio/mpeg 13-02-19 - E NOTICIA 2 MIN - SUZETTE - MANHA.mp3 — 2088 KB

Duração: 2:13s




Transcrição

Os gestores públicos de 1 mil 643 municípios têm até a próxima sexta-feira, dia 15 de fevereiro, para sinalizar o interesse em participar do Programa Saúde na Escola (PSE). As inscrições estão abertas desde o dia 19 de novembro do ano passado. Até o momento, 3 mil 881 cidades indicaram escolas que realizarão, por dois anos, atividades de educação em saúde nas escolas públicas. Entre os doze temas que deverão ser abordados na escola estão o incentivo à atividade física, combate ao aedes e atualização da situação vacinal de alunos e professores.

Criado em 2007 pelo governo federal, o Programa Saúde na Escola surgiu como uma política intersetorial entre os ministérios da Saúde e da Educação, com o objetivo de promover qualidade de vida aos estudantes da rede pública de ensino por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde.

 

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Portaria publicada no Diário Oficial da União, nesta terça-feira, dia 12 de fevereiro, pelo governo federal regulamenta a antecipação do pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) a moradores de Brumadinho (MG), região atingida pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão.

 

Segundo a Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, por meio do benefício, ao todo, são repassados mais de R$ 700 mil por mês para 774 idosos e pessoas com deficiência no município.

 

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

O ano de 2019 começou com recorde na exportação de café. Dados do Conselho dos Exportadores (Cecafé) mostram que janeiro alcançou 3 milhões e 280 mil sacas e obteve o melhor resultado para o mês. Os números são referentes ao produto verde, solúvel, torrado e moído.

 

De acordo com a entidade, o volume vendido foi 20,8% maior que o registrado no mesmo mês em 2018, quando as exportações bateram em 2 milhões e 720 mil sacas.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Suzette Calderon