Imagens de satélite indicam que desastre ambiental em Brumadinho causou destruição de 269 hectares

Rejeitos de mineração devastaram mais de 133 hectares de vegetação nativa de Mata Atlântica e cerca 70 hectares de Áreas de Proteção Permanente ao longo de cursos d'água afetados pelos rejeitos de mineração.

audio/mpeg 01-02-19 - ROSAMELIA - DESTRUIÇÃO BRUMADINHO - VAL 01-02.mp3 — 1466 KB

Duração: 1m02s




Transcrição

Dados preliminares obtidos por meio de imagens de satélite indicam que o rompimento de barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG) causou a destruição de uma área de pelo menos 269 hectares.

 

Análise realizada pelo Centro Nacional de Monitoramento e Informações Ambientais do Ibama aponta que os rejeitos de mineração devastaram mais 133 hectares de vegetação nativa de Mata Atlântica e cerca 70 hectares de Áreas de Proteção Permanente ao longo de cursos d'água afetados pelos rejeitos de mineração.

 

A análise foi realizada no trecho da barragem da mina Córrego do Feijão até a confluência com o rio Paraopeba.

 

Foram comparadas imagens de satélite obtidas dois dias após o rompimento com imagens de 3 e 7 dias antes da catástrofe.