Governo Federal vai ampliar o ensino nos presídios brasileiros

Mais de 24 milhões de reais serão investidos na instalação de novas salas de aula nas penitenciárias brasileiras. Todas as aulas serão presenciais. Em alguns casos, será usada tecnologia para participação de professores especialistas à distância.

audio/mpeg 10-09-18 - ROSAMELIA DE ABREU - ENSINO PRISIONAL - VAL 14-09 VALE ESTA.mp3 — 1318 KB

Duração: 1M24S




Transcrição

Mais de 24 milhões de reais serão investidos na instalação de novas salas de aula nas penitenciárias brasileiras.

 

 

Todas as aulas serão presenciais. Em alguns casos, será usada tecnologia para participação de professores especialistas à distância.

 

A previsão é de que as primeiras aulas-piloto sejam implementadas ainda este ano.

 

 

Atualmente, das mais de 720 mil pessoas que estão no sistema prisional, apenas 12% estudam. O número representa pouco mais de 74 mil e 500 presos.

A meta do governo é que, em três anos, pelo menos 40% dos apenados estejam estudando.

 

De acordo com o Depen, o Departamento Penitenciário Nacional, cerca de 647 mil detentos não têm educação básica completa.

Das mil 449 unidades prisionais em todo o país, 820 contam com salas de aula. 

Os recursos são do Fundo Penitenciário Nacional, por meio de parceria entre os ministérios da Segurança Pública e da Educação.