INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS REDUZEM PREVISÃO DE INFLAÇÃO PARA 2019

De acordo com o Banco Central, a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, passou, dessa vez, de 3,94% para 3,87%.

audio/mpeg 11-02-19 - MARA KENUPP - BOLETIM FOCUS - VAL 11-02.mp3 — 2027 KB

Duração: 1m26s




Transcrição

De acordo com o Banco Central, a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, passou, dessa vez, de 3,94% para 3,87%.

A projeção é do boletim Focus, uma publicação semanal, que contém estimativas de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Para 2020, a previsão para o IPCA permanece em 4%. Para 2021 e 2022 também não houve alteração na estimativa: 3,75%.

Já, a meta de inflação deste ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional é de 4,25%, com tolerância de 2,75% de mínima e 5,75%, de máxima.

Para o mercado financeiro, a taxa de juros, a Selic, deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, até o fim de 2019.

A projeção de taxa para a expansão do Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi mantida em 2,50%, em 2019 e nos próximos três anos.