Brasil sedia o simpósio Going Dark sobre uso de novas tecnoloigas que são usadas em práticas criminosas

O encontro reúne representantes de 12 países e do Brasil

audio/mpeg 11-02-19 - ROSAMELIA - SIMPOSIO GOING DARK- VAL 11-02 VALE ESTA.mp3 — 1884 KB

Duração: 1m50s




Transcrição

O ministério da Justiça e Segurança Pública promove a partir desta segunda-feira o simpósio internacional sobre Going Dark.

 

O evento reúne polícias judiciárias de 12 países e do Brasil, e representantes de tribunais superiores e conselhos nacionais para discutir O aumento do uso de novas tecnologias criados para fins lícitos mas que acabam sendo usadas em práticas criminosas.

 

Nesse cenário, a investigação policial vem encontrando dificuldades na atribuição da autoria do delito, muito em razão de smartphones bloqueados por senha, dados armazenados em nuvem e conteúdo das comunicações em aplicativos de mensagens protegidos por criptografia.

 

Essa problemática é conceituada como Going Dark. O encontro será aberto pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, no auditório Tancredo Neves.

 

 

Essa será a segunda vez que o assunto é tema de debate mundial.

 

A primeira foi no ano passado em Bruxelas, na Bélgica, em encontro organizado pelo FBI e pelo Departamento de Justiça do Estados Unidos.

 

O simpósio brasileiro terá como foco as inovações conceituais, legislativas e tecnológicas e compartilhamento de boas práticas que possam restaurar a capacidade investigativa das forças de segurança pública.