Pessoas que cumprem pena vão ter acesso aos cursos oferecidos pela Escola do Trabalhador

O projeto vai começar pelos presídios femininos e depois será implantado gradativamente para todo o sistema federal e estadual

audio/mpeg 11-10-18 - ROSAMELIA DE ABREU -CURSOS PRESOS - VAL 15-10.mp3 — 975 KB

Duração: 1m02s




Transcrição

Pessoas privadas de liberdade vão poder fazer cursos oferecidos pela Escola do Trabalhador.

 

O projeto vai começar pelos presídios femininos e depois será implantado gradativamente para todo o sistema federal e estadual.

 

A novidade foi estabelecida por um acordo de cooperação assinado nesta quarta-feira pelo  ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello, e o ministro da Segurança Nacional, Raul Jungmann.

 

O acordo prevê ainda a articulação para que carteiras de trabalho sejam emitidas para essas pessoas quando ganharem liberdade.

 

As medidas favorecem a ressocialização, empregabilidade e cidadania para os brasileiros que já passaram pelo sistema prisional.

 

O Brasil tem 726 mil detentos, a terceira maior população carcerária do mundo, sendo que 85% deles não têm profissão e outros 88% não tem acesso ao ensino.

 

 

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, RA