Banco Nacional de Perfis Genéticos conta com 17.361 perfis de condenados

Resultado representa um crescimento de 165% se comparado com último relatório, divulgado em novembro de 2018.

audio/mpeg 12-06-19 - ROSAMELIA - BANCO NACIONAL DE PERFIS GENETICOS - VAL 17-06.mp3 — 1705 KB

Duração: 1m49s




Transcrição

O Banco Nacional de Perfis Genéticos conta com 17.361 perfis de condenados cadastrados.

A informação está no relatório semestral da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), publicado nesta terça-feira (11).

 

O resultado representa um crescimento de 165% se comparado com último relatório, divulgado em novembro de 2018.

 

Os números revelam o comprometimento e a força tarefa dos estados em coletar e inserir no banco o material biológico dos condenados.

 

Até o final do ano, uma das metas prioritárias do Ministério da Justiça e Segurança Pública, é alcançar a marca de 65 mil cadastros no Banco Nacional de Perfis Genéticos.

 

 

 

O relatório revela ainda que 825 investigações criminais foram auxiliadas, incluindo crimes contra a vida, crimes sexuais e crime organizado e que foram processados no banco nacional de perfis genéticos mais de nove mil vestígios de local de crime.

 

“Esse aumento exponencial vai contribuir para dar celeridade na resolução da criminalidade, auxiliar investigações, evitar novos delitos e proteger inocentes injustamente acusados”, afirma a administradora do Banco Nacional de Perfis Genéticos e coordenadora do Comitê Gestor da Rede Integrada de Perfis Genéticos, perita federal, Aline Minervino.