Reforma completa um ano com a criação de 372 mil empregos formais

Os dados são do CAGED, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho

audio/mpeg 12-11-18 - ROSAMELIA - REFORMA TRABALHISTA - VAL 30-11 VALE ESTA.mp3 — 2236 KB

Duração: 2M03S




Transcrição

A reforma trabalhista completa um ano em novembro.

 

A partir dessa data, foram criados mais de 372 mil postos de empregos formais em todo país, segundo dados do CAGED, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho.

 

Neste período foram realizadas 47 mil 139 admissões na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 35 mil 930 empregos, envolvendo mais de 6 mil e 400 empresas.

 

 

 

Quando foi proposta, ainda em 2016, a nova legislação tinha o objetivo de atualizar a CLT, Consolidação das Leis Trabalhistas , instituída em 1943, e aproximar o Brasil do que era praticado em outras nações desenvolvidas.

 

 

A modernização trabalhista trouxe, então, as novas formas de contrato, como o de trabalho intermitente, que é o trabalho remunerado pelo período trabalhado, quando as jornadas são imprevisíveis, não regulares, relativas a uma demanda variável

 

Outro regime de contratação, o de trabalho em regime de tempo parcial, registrou 54 mil 587 admissões, gerando um saldo de 18 mil 729 empregos em todo o país.

 

Além dos novos contratos, a Lei Trabalhista fortaleceu as convenções e os acordo coletivos de trabalho, conferindo a eles supremacia em relação à lei.

 

Além disso, permitiu maior espaço de negociação direta entre empregadores e as representações de trabalhadores em assuntos como a forma de cumprimento da jornada de trabalho.

Da Rede Nacional de rádio em Brasília, Ra