Exército em Pernambuco deve comprar R$ 356 mil da agricultura familiar

Propostas devem ser entregues até 3 de julho na sede do Batalhão Logístico de Recife

audio/mpeg 21-06-19 Exécito em Pernambuco deve comprar R$ 356 mil da agricultura familar.mp3 — 4223 KB

Duração: 3m




Transcrição

LOC: Produtores rurais e cooperativas devem estar atentos a uma oportunidade de venda para o Exército Brasileiro. É que o décimo quarto Batalhão Logístico de Recife, em Pernambuco, deve adquirir 356 mil reais em produtos da agricultura familiar. O processo será viabilizado pela modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA, coordenado pelo Ministério da Cidadania. As propostas devem ser entregues até 3 de julho na sede do batalhão.

Mais de 50 itens compõem a lista de demandas do Exército. Grande parte são frutas, verduras e hortaliças, alguns dos artigos comercializados pela Cooperativa de Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Estado de Pernambuco, do município de Camocim de São Felix. A Coopeafa já entregou alimentos para hospitais da região e para a Aeronáutica no Estado por meio do PAA e estão interessados na chamada pública da unidade militar. A presidente da cooperativa, Ângela Nascimento, relata a transformação que a Compra Institucional promoveu na vida dos agricultores.

SONORA ANGELA NASCIMENTO

LOC: Por lei, ao menos trinta por cento dos produtos obtidos para alimentação nas instituições públicas federais devem vir da agricultura familiar. A coordenadora de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério da Cidadania, Hetel Santos, chamou atenção para a compra de produtos típicos da região.

SONORA COORDENADORA HETEL SANTOS

LOC: Por meio da Modalidade Compra Institucional, o agricultor pode vender até vinte mil reais, por ano, para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o teto é de seis milhões de reais por ano, por órgão comprador.

Para acompanhar as chamadas públicas abertas em todo o país, basta acessar o portal comprasagriculturafamiliar.gov.br.

 

Reportagem: André Luiz Gomes (Ministério da Cidadania)