Secretário defende aprovação de emendas para ampliar atendimento a dependentes químicos

Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, apresentou no Senado as ações do governo federal junto às comunidades terapêuticas, e reforçou a necessidade da aprovação de emendas ao orçamento da União para viabilizar melhorias

audio/mpeg Emendas parlamentares a comunidades terapêuticas podem aumentar reinserção social de dependentes químicos, aponta Ministério da Cidadania.mp3 — 5289 KB

Duração: 3m45s




Transcrição

LOC: Aumentar a capacidade de atendimento de dependentes químicos em comunidades terapêuticas. Essa foi a pauta da reunião da Frente Parlamentar Mista a favor das Comunidades Terapêuticas, nesta terça-feira, no Senado Federal. Senadores, deputados e representantes do setor acompanharam a apresentação do secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, sobre as opções de programas e iniciativas que os parlamentares podem apoiar, por meio de emendas ao orçamento da União.

A realização de oficinas e a modernização das unidades, além da compra de equipamentos e de veículos, estão entre exemplos de investimentos que podem ser realizados a partir da iniciativa dos parlamentares. Quirino Cordeiro ressaltou que as emendas têm o poder de fortalecer essas unidades, consideradas extremamente relevantes para a reinserção social dos dependentes químicos.

SONORA SECRETÁRIO QUIRINO CORDEIRO

LOC: O presidente da Frente Parlamentar Mista, Eros Biondini, destacou que a novidade da possibilidade da destinação de recursos para a área acontece graças ao fortalecimento da Nova Política Sobre Drogas que vem sendo desenvolvida pelo governo federal. Na reunião, Biondini contou que, durante a juventude, já foi atendido em uma comunidade terapêutica e que as unidades são fundamentais para que os usuários de entorpecentes possam se recuperar.

SONORA DEPUTADO FEDERAL EROS BIONDINI

LOC: O atendimento aos dependentes químicos pode ter um salto qualitativo com o reforço da destinação de emendas, apontou a representante da Federação Brasileira das Comunidades Terapêuticas, Areolenes Nogueira.

SONORA AREOLENES NOGUEIRA

LOC: A Nova Lei de Drogas foi sancionada em junho pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Entre as modificações, ela estabelece ações mais rígidas contra o tráfico de drogas, prevê a internação involuntária de usuários para desintoxicação e reforça o trabalho das comunidades terapêuticas.

A Política Nacional Sobre Drogas é desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania, Saúde, Justiça e Segurança Pública, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A pasta da Cidadania é responsável pelo tratamento de dependentes químicos com foco na estratégia da abstinência dos usuários. Ao todo, a pasta financia cerca de 11 mil vagas em comunidades terapêuticas – quantidade quatro vezes maior do que a do ano anterior.

Reportagem: André Luiz Gomes (Ministério da Cidadania)