Autoridades brasileiras e venezuelanas tratam da erradicação de aftosa no país vizinho

Autoridades sanitárias do Brasil e da Venezuela se reuniram nesta quarta-feira (5), na região de fronteira em Pacaraima (RO) para debater o plano de erradicação da febre aftosa em território venezuelano. A atuação conjunta está prevista na resolução número 1 da Comissão Sul Americana da Luta contra a Febre Aftosa (Cosalfa) de abril de 2018 que reconheceu a necessidade premente dos 13 países membros apoiarem a Venezuela sobre a coordenação do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa). Todo Brasil foi reconhecido livre de aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em maio de 2018.No outro lado da fronteira a Venezuela é o único país da América Latina declarado não livre em toda a sua extensão territorial. Na Venezuela o rebanho bovino soma 15,4 milhões de cabeças e a última ocorrência de febre aftosa foi registrada em abril de 2013. O chefe da delegação brasileira, Guilherme Marques, diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e delegado do Brasil na Organização Mundial de Saúde Animal disse que as ações conjuntas terão início a partir da fronteira do Brasil para dentro da Venezuela. A delegação venezuelana será chefiada por Wilmer Alcázar, diretor do Instituto Nacional de Saúde Animal do país. Participam da delegação brasileira pelo ministério da Agricultura o coordenador de Saúde Animal, Heitor David Medeiros e o chefe da Divisão de Febre Aftosa, Diego Viali dos Santos.

audio/mpeg 05-09-2018 MOMENTO AGRO Venezuela 02M33s FINALIZADO.mp3 — 2384 KB

Duração: 02'33"