Conab estima produção de grãos em 237,3 milhões de toneladas

Soja e milho são os produtos que devem ter maior crescimento na safra

audio/mpeg 10-01-2019 MOMENTO AGRO Safra 03M30s FINALIZADO.mp3 — 3274 KB

Duração: 03'30"




Transcrição

O quarto levantamento da safra de grãos realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra que a estimativa da produção de grãos para a safra 2018/19 é de 237,3 milhões de toneladas. Se comparado com a safra passada, o crescimento deverá ser de 9,5 milhões de toneladas, o que representa um volume 4,2% superior. Já a área plantada está prevista em 62,5 milhões de hectares, um aumento de 1,2%, em relação com a safra 2017/18. O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eduardo Sampaio, observou em relação a soja que a cultura foi parcialmente prejudicada por condições climáticas, mas  destacou, que mesmo assim, a  safra será a segunda maior da história. Entre os destaques do estudo estão a soja, que deverá atingir 118,8 milhões de toneladas, e o milho primeira safra, que teve aumento de 0,4% na área a ser cultivada que deve resultar em uma produção de 27,5 milhões de toneladas. O algodão também é destaque na produção brasileira, com uma concentração do plantio em janeiro e um crescimento superior a 25,3% na área e 20,3% na produção. Outro bom resultado pode ser encontrado na primeira safra do amendoim, que pode chegar a 551,7 mil toneladas, com um aumento de 10% em relação à safra passada. Por outro lado, o arroz deve ter uma colheita menor que a safra passada, ficando em 11,2 milhões de toneladas, e o feijão primeira safra também apresenta uma queda de 7,7% na área em relação à safra passada e produção estimada em 1,1 milhão de toneladas. Com o fim da safra das culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale), a Conab identificou resultados melhores do que na safra passada, mesmo com as adversidades climáticas nas principais regiões produtoras. A produção de trigo ficou 27,3% superior à safra anterior, chegando a 5,4 milhões de toneladas.