Com ajuda de cão, Vigiagro age para prevenir ingresso de peste suína africana

Pela primeira vez, o Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) utilizou o trabalho de um cão de detecção no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para intensificar o controle da entrada de produtos de origem animal e vegetal. O labrador Thor integra a dupla chamada K9, formada por ele e por um operador (fiscal), mas atuou intensamente entre os últimos dias 3 e 5, no desembarque do maior aeroporto internacional do país, em operação especial. Acompanhando 16 auditores fiscais agropecuários. O chefe do Centro Nacional de Cães de Detecção, Romero Teixeira, considerou o trabalho do cão bem-sucedido e destacou a apreensão de produtos como carne in natura bovina, sem osso, pé de galinha (torado para tira-gosto), grãos e sementes. Os produtos foram destruídos. O foco da equipe do Vigiagro era reforçar a vigilância para prevenir e evitar o ingresso de vírus transmissores das pestes suína africana e clássica, além de febre aftosa. De acordo com Romero Texeira, Thor ainda deverá atuar ainda esse ano na fiscalização em outros aeroportos. Dados preliminares mostram que nos três dias de fiscalização desembarcaram 4.200 passageiros no local. Desse total, foram selecionadas 131 pessoas cujas bagagens foram apontadas pelo cão para serem fiscalizadas. No período, foram monitorados 19 voos. Todos procedentes da China, Emirados Árabes Unidos, Marrocos, Colômbia, Portugal, Alemanha, África do Sul e Etiópia.

audio/mpeg 10-10-2018 MOMENTO AGRO -FINALIZADO 03M31s.mp3 — 3298 KB

Duração: 03'31"