Preços de frutas e verduras caem nas principais centrais de abastecimento do país

Os hortifrutis mais comercializados nas Ceasas registraram queda generalizada no último mês. É o que aponta a análise do 8º Boletim Prohort, divulgado nesta quinta-feira (16) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Dentre as hortaliças, as maiores quedas foram registradas pela cebola, chegando a ficar 54,6% mais barata na Ceasa em Belo Horizonte. O tomate também teve queda de mais de 50% em Goiânia. Já nas frutas o principal recuo foi da melancia, ficando 47% mais em conta no Rio de Janeiro. Apenas a maçã registrou estabilidade tanto nas cotações como na comercialização. O superintendente da Abastecimento Social, Nilton Junior, explicou que a notícia para o consumidor é reflexo da boa oferta desses itens nos mercados, gerada pela maior quantidade de produtos e pela constância no abastecimento, não havendo registro de escassez de nenhuma fruta ou hortaliça. Embora as quedas nos preços sejam positivas ao consumidor, por não causarem grandes impactos na inflação, essas cotações afetam de maneira negativa os produtores. Com os baixos valores comercializados, o agricultor nem sempre consegue arcar com o custo de produção, o que pode refletir numa menor área das culturas para os próximos meses, a fim de diminuir os prejuízos registrados. Nilton Junior disse que a Conab já identificou o problema e estuda um planejamento para contribuir com o setor. O levantamento é feito mensalmente pelo Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) da Conab, a partir de informações fornecidas espontaneamente pelos grandes mercados atacadistas do país. Para a análise do comportamento dos preços de julho, foram considerados os entrepostos dos estados de SP, MG, RJ, ES, CE, PE e GO.

audio/mpeg 16-08-18 - MOMENTO AGRO - 4M07S - FINALIZADO.mp3 — 7746 KB

Duração: 4'07"