Ministro cobra transparência e responsabilidade de empresas para crescimento do agro

Representantes de 28 entidades do agronegócio reuniram-se nesta quinta-feira (16) para avaliação do programa de desburocratização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançado há dois anos. Ao final do encontro, o ministro Blairo Maggi fez um apelo para que as associações cobrem dos empresários do setor responsabilidade e transparência nas entregas ao consumidor. Na opinião do ministro, a produção brasileira tem capacidade de dobrar e atender as necessidades dos compradores externos, mas precisa cumprir com os seus compromissos. Ele citou como exemplo o caso da Rússia, que exige a carne suína sem a presença da ractopamina – um indutor de crescimento usado no mundo inteiro, mas não aceito pelo mercado russo, e pelo erro de apenas um empresário todo o mercado brasileiro pode sofrer as consequências. Maggi garante que tem cobrado do ministério a mesma transparência e responsabilidade que está cobrando dos empresários. A reunião foi coordenada pelo secretário executivo do Mapa, Eumar Novacki, responsável pelo programa. Ele disse que nos últimos dois anos foram realizadas mais de mil entregas ao setor e que a meta até o final do ano é que esse número chegue a 1,5 mil. Novacki, no entanto, disse que, para isso, precisa continuar recebendo demandas das associações. Os representantes das entidades foram ouvidos sobre as mudanças ocorridas no setor, a partir da implantação do programa de desburocratização. A dirigente da Associação Brasileira de Criação de Suínos (ABCS), Ana Paula Vidal, enfatizou alguns avanços alcançados nos últimos dois anos como a desburocratização de processos em sanidade animal o que impulsionou a exportação de genética suína. Ela acredita que em 60 dias devem ser destravadas novas venda para a América Latina.

audio/mpeg 17-08-18 - MOMENTO AGRO - 3M28S - FINALIZADO - Reunião empresas.mp3 — 6518 KB

Duração: 3'28"