Níveis de contaminação após queda da barragem devem ser informados à população, alerta ministra

Em reunião na terça feira (19), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, recebeu da secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Ana Valentini, um relato sobre a situação em Brumadinho em decorrência do acidente com a barragem da Vale. Ana Valentini descreveu sua preocupação com as últimas análises de água do Rio Paraopeba, que detectaram presença de metais pesados nos primeiros 20 quilômetros mais próximos à barragem que rompeu. A secretária afirmou que, juntamente com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), elaborou um plano de monitoramento de bovinos, ovinos, aves, cultivos ribeirinhos. Há preocupação até com possíveis casos de raiva, uma vez que a quantidade de helicópteros usada nos trabalhos de busca dos corpos das vítimas da tragédia despertou migração irregular de morcegos na região. Tereza Cristina sugeriu que as autoridades estaduais deixem claro para toda a população qual é a real extensão do problema e os índices de contaminação. A ministra advertiu sobre a necessidade de monitoramento preciso e de grande esclarecimento à população sobre os locais onde há riscos e onde não há riscos reais de contaminação de solo, água, fauna e flora. A campanha de vacinação contra febre aftosa no estado, também foi discutida no encontro, a secretaria de Minas solicitou apoio do Mapa para cumprimento das metas do Plano Nacional de Erradicação de Febre Aftosa, no que foi orientada pela ministra a elaborar um projeto no qual fique descrito a ordem de recursos necessários para execução da vacinação sem prejuízo algum para imunidade do rebanho mineiro.

audio/mpeg MOMENTO AGRO Brumadinho 03M06s FINALIZADO.mp3 — 2903 KB

Duração: 03'06"