Ministério da Educação

Instituto mineiro valoriza projeto que resgata valores através do karatê

Ensinar valores como trabalho em equipe, superação por meio do esporte, além de evitar o crescimento da criminalidade e uso de drogas. Este é o propósito do projeto “Lutamos pela Paz”, idealizado pelo medalhista de karatê, Altemário Ferreira Barbosa. Para desenvolver a proposta, o professor conta com a parceria do Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS). Com uma experiência de mais de três décadas no karatê, Barbosa encontrou no projeto uma forma de promover a disciplina em sala de aula, bem como despertar sentimentos de solidariedade e cooperação entre os alunos. “Com esse projeto a gente acaba sendo uma família, onde a gente acaba por respeitar a capacidade de cada criança, seu meio social, canalizar o excesso de energia, favorecendo a descarga emocional.” As inscrições para o “Lutamos pela Paz” estão sempre abertas. Um dos requisitos para a participação dos menores é a frequência e o bom desempenho escolar. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moss

Prêmio Capes de Tese 2016 vai reconhecer as melhores teses e artigos científicos de 2015

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Capes de Tese 2016. As teses e artigos derivados deverão ser inscritos pelos coordenadores de programas de pós-graduação, responsáveis pelos trabalhos, até o dia 17 de junho. O resultado será divulgado no mês de setembro. Os premiados receberão passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação que ocorrerá na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, em Brasília, no dia 14 de dezembro. Além disso, receberão certificado de premiação a ser outorgado ao autor, orientador, co-orientador (es) e ao programa em que foi defendida a tese. O orientador receberá, também, R$ 3 mil para participação em congresso nacional e, para o autor da tese, será destinada bolsa para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional por até 12 meses. Para mais informações, acesse capes.gov.br O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios.Sonora: Josiane Canterle

Projovem oferece apoio aos que desejam retomar os estudos

Oferecer apoio a jovens entre 18 e 29 anos para que eles possam retomar os estudos. Esse é objetivo do ProJovem, programa do Ministério da Educação (MEC) que investe na formação integral e na inclusão social desses jovens, por meio da conclusão do ensino fundamental, da qualificação profissional e do desenvolvimento de experiências de participação cidadã. Por meio da parceria entre estados e municípios, os estudantes recebam apoio pedagógico, material didático, alimentação escolar e bolsa auxílio. Para saber mais, acesse http://portal.mec.gov.br/ O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moss

Rede fortalecida de ensino estimula o crescimento do número de professores doutores em todo o país

A consolidação de uma política ampliada de acesso à educação e o fortalecimento da estrutura das instituições são dois fatores que colaboraram para dobrar o número de docentes com título de doutor nas universidades brasileiras. Dados da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação (MEC) revelam que houve um salto do quantitativo desde 2003. Em treze anos, houve uma ampliação de 189 % no quadro nacional: de 20.711 passou para atuais 59.658 doutores na rede pública de ensino. Segundo o secretário da Sesu, Jesualdo Pereira Farias, vinte universidades foram criadas nesse período. O investimento, que chegou também ao interior das grandes metrópoles, promoveu a retomada da realização de concursos nas universidades e a expansão de programas de pós-graduação, com expressivo crescimento na região norte e nordeste do país. Para saber mais, acesse http://portal.mec.gov.br/ O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth

Programa BPC na Escola é exemplo de inclusão

O programa BPC na escola comemora nove anos de existência com um dado marcante – o crescimento em 305% de pessoas com deficiência matriculadas nas escolas. Essa população, com idade de zero a dezoito anos, assistida pelo Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) saiu da marca dos 78,8 mil para 319 mil neste período. O BPC na Escola funciona por adesão municipal. O programa está presente em todos os estados brasileiros e mais o Distrito Federal. São 4.810 municípios que asseguram o direito à escolaridade aos 94% dos beneficiários. O primeiro Curso de Formação do BPC na Escola será por meio de videoaulas, que oferecem de forma didática, informações sobre o preenchimento dos questionários de pessoas em situação de vulnerabilidade. Para cada caso será estudada uma solução que permita o acesso e a permanência deste público às escolas, beneficiário ou não do BPC na Escola. Para mais informações sobre o BPC na Escola, acesse portal.mec.gov.br O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moss

MEC recebe solicitação de alunos que buscam local para a realização do simulado para o Enem 2016

O Ministério da Educação (MEC) disponibiliza 120 mil vagas para aqueles que não têm acesso à internet e também desejam testar seus conhecimentos. Esses estudantes, que precisam estar no último ano do ensino médio, têm até o dia 15 para escolher o local para a realização do simulado, que pode ser os campi de universidades, institutos federais, instituições particulares e comunitárias e escolas estaduais. O cadastro é totalmente gratuito e a expectativa é de que todos os 2,2 milhões estudantes do último ano do ensino médio da rede pública e particular façam o simulado. Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, essa é a oportunidade para que o estudante avalie seu desempenho e tenha sua nota comparada com a nota de corte do curso e faculdade escolhidos. A plataforma de estudos oferece ainda exercícios e videoaulas. Acesse http://horadoenem.mec.gov.br. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth

Trilhas da Educação - Das ruas para os livros

Alguém que perde a capacidade de sonhar ou se sente sem vontade de viver pode ser o personagem desse soneto de Mário Quintana, cujo título é “A rua dos cataventos”. A rua desse poema pode ser qualquer rua e, esta pessoa que narra o poema pode ser eu, pode ser você, pode ser aquele morador de rua que ninguém vê. Mas nem todo mundo fecha os olhos para esta situação marginal que tanta gente vive. Com o projeto: Tornar visíveis os invisíveis, um desafio instigante, a bibliotecária Terezinha Lima chamou atenção nacional para pessoas que vivem em situação de rua no pequeno distrito de Icoaraci, em Belém do Pará, levando-os para dentro da biblioteca local. Nesta 8ª edição, o prêmio valoriza iniciativas que estimulam a leitura e o hábito de ler, projetos que são voltados a pessoas em situação de rua, pais de alunos, detentas, além de crianças e adolescentes vítimas de abuso e violência sexual. Quatro projetos foram premiados, cada um em uma categoria diferente. São projetos que fazem a diferença e promovem a inclusão social, cuidam das pessoas mais vulneráveis e as chamam para conviver de novo em sociedade. Texto : Josiane Canterle / Narração : Fernanda Mastellari / Masterização : Jeyson Gonzaga / Vinheta : Luiz Antônio

MEC cria novo exame de avaliação para estudantes e cursos de medicina

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assinou uma portaria para a criação de um novo exame que vai ampliar a avaliação de desempenho dos alunos de medicina e a qualidade do ensino das instituições brasileiras. A Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (ANASEM) será implantada pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e aplicada aos estudantes de medicina de todo o país, a partir do mês de agosto. Será realizado um exame no segundo, quarto e sexto ano dos cursos para avaliação de conhecimentos e habilidades. A participação será obrigatória, segundo o que destacou Mercadante, para os estudantes que ingressaram na universidade a partir de 2015. Para saber mais, acesse www.inep.gov.br. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moos

MEC cria novo exame de avaliação para estudantes e cursos de medicina

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assinou uma portaria para a criação de um novo exame que vai ampliar a avaliação de desempenho dos alunos de medicina e a qualidade do ensino das instituições brasileiras. A Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (ANASEM) será implantada pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e aplicada aos estudantes de medicina de todo o país, a partir do mês de agosto. Será realizado um exame no segundo, quarto e sexto ano dos cursos para avaliação de conhecimentos e habilidades. A participação será obrigatória, segundo o que destacou Mercadante, para os estudantes que ingressaram na universidade a partir de 2015. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assinou uma portaria para a criação de um novo exame que vai ampliar a avaliação de desempenho dos alunos de medicina e a qualidade do ensino das instituições brasileiras. A Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (ANASEM) será implantada pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e aplicada aos estudantes de medicina de todo o país, a partir do mês de agosto. Será realizado um exame no segundo, quarto e sexto ano dos cursos para avaliação de conhecimentos e habilidades. A participação será obrigatória, segundo o que destacou Mercadante, para os estudantes que ingressaram na universidade a partir de 2015. “Esta avaliação é condicionada, é condicionante da diplomação dos cursos de medicina. Portanto, é uma avaliação obrigatória para os estudantes de medicina se diplomarem no Brasil. A cada dois anos, nós vamos ter uma evolução do progresso desses estudantes. E também posteriormente das instituições. A responsabilidade pela inscrição é da instituição e do aluno. Eles terão que se inscrever nos cursos senão prejudicarão a sua diplomação. Não receberão diploma se não fizerem exame de avaliação a cada dois anos.” Ainda segundo o ministro, uma comissão foi criada para estabelecer as diretrizes e também monitorar a fase de execução das provas. Todo o processo será feito de forma integrada ao Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos no Exterior, o Revalida – que unifica o processo de revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior de acordo com as diretrizes curriculares nacionais dos cursos de medicina. Mercadante aproveitou a ocasião para divulgar o resultado do Revalida nesse último ano. Cerca de 4.280 profissionais fizeram o exame e 1.683 foram aprovados, habilitados para o exercício da medicina no país. Para o ministro, outras alternativas exitosas têm colaborado para o criterioso processo de acompanhamento desses jovens profissionais. Um exemplo é o Programa Mais Médicos - que abrange ações entre o MEC e o Ministério da Saúde – e que tem melhorado o campo de prática, avaliação e supervisão desses profissionais a partir da lei aprovada em 2013. O programa obriga a realização de uma avaliação específica dos cursos de clínica médica, ginecologia, obstetrícia, além de pediatria, cirurgia e medicina da família e da comunidade. Para saber mais, acesse www.inep.gov.br. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moss

Abertas as inscrições para a Universidade do Professor

Professores de todo o Brasil tem até o dia 5 de maio próximo para se candidatar a uma das 105 mil vagas oferecidas pela Rede Universidade do Professor. Este é um programa do Ministério da Educação que visa a formação dos professores das redes públicas de educação. As inscrições devem ser feitas na Plataforma Freire, na internet. Para esta seleção, as vagas se destinam à formação inicial dos professores efetivos dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, que ainda não possuem formação nas disciplinas que lecionam. Esses professores poderão realizar sua inscrição nos cursos de licenciatura nas áreas de Matemática, Química, Física, Biologia, Letras-Português, Ciências, História e Geografia. Para mais informações acesse freire.capes.gov.br O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Josiane Canterle

Trilhas da Educação - O desejo de trabalhar e a necessidade de estudar

A história que hoje eu vou contar pode ser parecida com a de alguém que você conhece. E não, não é mera coincidência. No tempo em que uma mulher casar com pouca idade era comum, também era comum não ir para a escola. Não era necessário saber ler e escrever para cuidar da casa e dos filhos. Isso era o que muitos entendiam. Quando criança, Raimunda não pôde ir para escola. Só conseguiu depois de casada, mas antes da chegada dos filhos. Tampouco pôde trabalhar, pois cuidar da família ocupava todo o seu tempo. Estudou até a 5ª série. Atualmente, 8,7% da população brasileira é de analfabetos entre as pessoas acima de 15 anos, e, com isso, o país tem um grande desafio: erradicar o analfabetismo. A Educação de Jovens e Adultos é pensada justamente para estes cidadãos que não tiveram a oportunidade de estudar na idade certa e que agora sentem a necessidade de aprender. As aulas são diferenciadas para atender a estas pessoas que veem na educação a saída para mudar de vida e conquistar seus sonhos, a exemplo do que a estudante do Distrito Federal, a Raimunda, está fazendo.

Cresce o número de brasileiros que conquistam o primeiro diploma na família

No entanto, o Brasil vem assistindo a um fenômeno histórico: um em cada três formandos são os primeiros dentro da família a conquistarem o diploma de nível superior. Segundo dados do questionário socioeconômico do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), 35% dos formandos que participaram do exame e que responderam à pesquisa afirmaram ser o primeiro integrante da família a concluir uma faculdade. Hoje, os programas de acesso ao ensino superior do Ministério da Educação (MEC) registram inúmeras histórias de superação, como a trajetória de José Cleison da Silva. Nos últimos doze anos, o MEC criou mais de cinco milhões de vagas nas universidades em todo o país. O Sistema de Seleção Unificada (SiSu), que oferece vagas a candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas instituições públicas de educação superior, também cresceu. Para este ano, o programa vai ofertar 228 mil vagas. Já o ProUni vai destinar 203 mil bolsas de estudo em todo o país em 2016. O programa é responsável pela oferta de bolsas de estudo integrais e parciais de até 50% nas universidades particulares, aos alunos da rede pública que fizeram o Enem. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Karenina Moss

Universidade de Aveiro oferece bolsas a estudantes com bom desempenho no Enem

A universidade portuguesa de Aveiro vai oferecer bolsas de estudos aos participantes com melhor classificação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os interessados estarão isentos da realização de provas de acesso, mas devem fazer a inscrição a partir do dia 18 de abril na página da instituição, no endereço http://www.ua.pt. O prazo se estende até o dia 29 do mesmo mês. A fase de pré-candidatura já está em curso. Até a data de abertura das inscrições, os interessados podem preencher o formulário disponível na página. Para concorrer a uma vaga, o candidato não pode ter nacionalidade de um estado-membro da União Europeia, nem residir há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em Portugal. A Universidade de Aveiro é uma instituição pública, que abrange unidades de ensino superior universitário e politécnico. Com unidades em cidades da região, oferece cursos nas modalidades de graduação e pós-graduação. Para mais informações, acesse: http://www.ua.pt/ http://portal.inep.gov.br/web/enem/enem-em-portugal O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth

Publicado edital para as bolsas remanescentes do Prouni

No período de 23 à 31 de março os interessados em conseguir uma bolsa do Prouni poderão se candidatar às vagas remanescentes do processo seletivo referente ao primeiro semestre de 2016. As inscrições podem ser feitas somente pela internet no endereço siteprouni.mec.gov.br O edital foi publicado no Diário Oficial da União nesta sexta-feira, dia 18. As bolsas remanescentes não terão efeitos retroativos, ou seja, são válidas a partir da data de emissão do correspondente Termo de Concessão de Bolsa. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Josiane Canterle

Divulgado resultado final de cursos de excelência selecionados para Universidade do Brics

O Ministério da Educação divulgou os 12 programas de pós-graduação brasileiros selecionados para compor a Universidade em Rede do Brics, que é o grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O extrato publicado nesta segunda-feira, 21, no Diário Oficial da União pode ser conferido no site do MEC. Os 12 programas pertencem a 9 instituições públicas e correspondem às 6 áreas de estudos propostas pelo edital. As instituições selecionadas deverão desenvolver projetos pedagógicos comuns de mestrados profissionais, acadêmicos e doutorados, em língua inglesa, no âmbito da Universidade em Rede. As propostas de cursos novos serão submetidos à Capes, conforme as normas e regulamentações do Sistema Nacional de Pós-Graduação. Para saber mais acesse mec.gov.br . O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Josiane Canterle

Educação infantil na Base Nacional Comum Curricular valoriza a brincadeira e interatividade como formas de aprendizado

A educação infantil é a primeira etapa da educação básica e tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança de zero a cinco anos de idade. Diferente do ensino fundamental e médio, pensando no que tem sido discutido a partir do processo de construção da Base Nacional Comum Curricular (BNC), essa fase não se organiza por áreas do conhecimento e, sim, por campos de experiência: a ludicidade, em primeiro lugar. A brincadeira. E as interações. O desafio de todos que têm trabalhado no texto da Base, na Educação Infantil, é estabelecer uma dinâmica que estimule aspectos físico, afetivo, intelectual e social de toda criança nessa faixa de idade. Tudo isso com a compreensão também dos educadores E os pequenos são valorizados no processo de construção da Base quando se discute a intencionalidade de todos os aprendizados nessa fase inicial, quando eles ainda frequentam as creches. Nessa etapa da Base Nacional Comum Curricular, as equipes estão fazendo reuniões com associações científicas, trabalhando com os dados que chegam pelo portal oficial da BNC, para que a proposta da educação infantil busque especificar o que está posto nas diretrizes curriculares nacionais. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth

A ciência nossa de todos os dias dentro e fora da sala de aula

Tudo é ciência. E ela está mais presente no nosso cotidiano do que podemos perceber. Das simples às complexas mudanças naturais ou provocadas pelos seres humanos. Contemplar essa infinidade de conhecimentos é a mais difícil e árdua tarefa dos especialistas que estão sintetizando as contribuições coletadas pela consulta pública à Base Nacional Comum Curricular. Esse documento vai indicar 60% do conteúdo que as escolas brasileiras devem ensinar desde a educação infantil até o final do ensino médio. E o processo de consulta pública encerra no próximo dia 15 de março. Para saber mais, acesse: basenacionalcomum.mec.gov.br O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Texto :Josiane Canterle / Locução : Fernanda Mastellari

Ciências Humanas na Base: história mobiliza maior número de contribuições

Refletir sobre as várias formas de organização social dos seres humanos no tempo e no espaço, sua produção cultural, suas formas de pensamento e os conflitos vividos em diferentes regiões do Brasil e do mundo. Essa é a proposta do ensino das ciências humanas ao longo de toda a educação básica. A área é constituída pelas matérias de história, geografia e ensino religioso, desde o ensino fundamental até o ensino médio, e sociologia e filosofia, exclusivamente, no ensino médio. O conteúdo acaba sendo trabalhado interdisciplinarmente. A história – entre as matérias que integram as ciências humanas - é a disciplina que tem recebido o maior número de contribuições no processo de elaboração da Base. Até o início deste mês, 1.048.386 sugestões chegaram através do portal oficial basenacionalcomum.mec.gov.br. Geografia vem em segundo lugar. As contribuições apontam, entre outros aspectos, para uma maior articulação do ensino atual sobre civilizações antigas com o que prevê a Lei 11.645, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Para mais informações, acesse http://basenacionalcomum.mec.gov.br O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth

A beleza de ser uma eterna aprendiz

Somente em 1827 as mulheres foram autorizadas a frequentar a escola no Brasil e 50 anos depois receberam a permissão para ingressar no ensino superior. Essa diferença de gênero se reflete ainda hoje, especialmente, entre as pessoas acima de 60 anos de idade, faixa etária onde a maioria se declararam analfabetos, no Censo 2010, são mulheres. Mas elas são persistentes e resistentes. Aquele sonho de criança de aprender a ler e escrever não morre facilmente. No Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população feminina já é maior que a masculina. Elas, as mulheres, também são maioria no ensino médio e superior. Com a Constituição de 1988, foi assegurado que homens e mulheres têm os mesmos deveres e os mesmos direitos. A equidade salarial ainda é um objetivo, mas nada atrapalha a força dessas mulheres.O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Josiane Canterle

O desafio da matemática na Base Nacional Comum Curricular

Das operações aritméticas, como multiplicação e divisão, até os procedimentos algébricos mais complexos, é a abordagem do conteúdo e o desempenho do docente, segundo o professor Antônio Cardoso do Amaral, que faz toda a diferença para o aprendizado da matéria. Amaral é professor há 15 anos e compõe o grupo de especialistas envolvidos no processo de elaboração da Base. Se você tem alguma contribuição para a Base Nacional Comum Curricular, o prazo para o envio de sugestões é 15 de março. Acesse o portal http://basenacionalcomum.mec.gov.br. As contribuições podem ser individuais ou coletivas. A segunda versão do documento deve ser entregue ao Conselho Nacional de Educação (CNE) até junho de 2016. O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios. Sonora: Marina Fauth