03/02/17 - A VOZ DO BRASIL

Confira os destaques de hoje na Voz do Brasil: São empossados os ministros da secretaria-geral da Presidência, do novo Ministério dos Direitos Humanos, da Secretaria de Governo e do Ministério da Justiça e Segurança Pública; Campus Party completa 10 anos com participação de mais de 120 mil pessoas; 2017 começa com menos famílias endividadas do que o início de 2016; Governo Federal deve criar plano para desenvolver mercado de tecnologia; Último dia para inscrição no Programa Universidade para Todos .

audio/mpeg 03-02-17 A Voz.mp3 — 11719 KB




Transcrição

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite.

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

Gláucia: Sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017.

Airton: E vamos ao destaque do dia: Presidente Michel Temer dá posse a novos ministros e diz que vai entregar um país mais forte e pacificador.

Presidente da República - Michel Temer: Nós teremos tempo para colocar o país num rumo adequado, e quem vier depois, pelo menos é isso que encontrará.

Gláucia: E você ainda vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

Airton: Em um dos maiores encontros de tecnologia do país o governo mostra programas para capacitar profissionais e ajudar a montar novas empresas.

Gláucia: E também busca parcerias para incluir no mundo da internet jovens do Bolsa Família.

Airton: Vamos falar ainda tudo sobre os medicamentos genéricos. Gabriela Noronha.

Repórter Gabriela Noronha: Eles possuem o mesmo princípio ativo de um remédio de marca, os chamados medicamentos de referência, mas, será que além da embalagem, existem outras diferenças?

Gláucia: Hoje na apresentação: Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

Airton: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

Gláucia: O Presidente Michel Temer deu posse hoje a novos ministros.

Airton: Foram empossados os ministros da Secretaria Geral da Presidência do novo Ministério dos Direitos Humanos, da Secretaria de Governo, e do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Repórter João Pedro Neto: Moreira Franco assume a recém-criada Secretaria Geral da Presidência, que tem status de Ministério, a pasta também vai abrigar secretarias que faziam parte da Casa Civil. O ministro Moreira Franco vai continuar comandando ainda o programa de parcerias de investimentos do governo, que realiza concessões à iniciativa privada, e explicou como vai ser sua atuação à frente da Secretaria Geral.

Ministro - Moreira Franco: Que nós passamos ter uma produção de conteúdo mais eficaz. Então, não há absolutamente nenhuma tentativa de resolver uma crise política, um problema político, porque nós não estamos vivendo crise política, ao contrário, ele acaba de dar uma demonstração que o rumo que nós estamos traçando para o país é o rumo que vai efetivamente nos permitir levar o Brasil a uma situação de reencontro com o crescimento econômico, com o investimento e com a geração de empregos.

Repórter João Pedro Neto: Primeira desembargadora negra do Brasil, Luislinda Valois, assume o recém-criado Ministério dos Direitos Humanos, e vai ser responsável também pelas políticas públicas de promoção e defesa dos direitos das minorias, pessoas com deficiência, em situação de vulnerabilidade e também da criança e do adolescente e do idoso, por exemplo. A ministra afirmou que para ela, a questão dos direitos humanos se relaciona com a inclusão de todos os grupos da sociedade.

Ministra - Luislinda Valois: Direitos humanos é inclusão. E nós temos que trabalhar para melhorar a condição de todo ser humano.
Repórter João Pedro Neto: O deputado federal Antônio Imbassahy vai comandar a Secretaria de Governo, responsável pela articulação política do Poder Executivo. E o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que substitui a pasta de Justiça e Cidadania será chefiado por Alexandre de Morais. O Presidente Michel Temer disse que a decisão de criar o Ministério da Justiça e Segurança Pública se justifica pela necessidade de a União integrar de maneira mais firme as ações nessa área, ao lembrar as recentes rebeliões e massacres em unidades penitenciárias no país. O Presidente disse contar com os novos ministros e com a sociedade para fazer o Brasil avançar.

Presidente da República - Michel Temer: O nosso objetivo é colocar o país nos trilhos. Eu estou usando uma linguagem popular para dizer que o único objetivo é este. Nós teremos tempo para colocar o país num rumo adequado e quem vier depois, pelo menos é isso que encontrará, encontrará um país ajustado, acertado e particularmente pacificado. Isto que é importante, porque é da união de todos que vai nascer a força do governo e a força da sociedade.

Repórter João Pedro Neto: A criação dos novos ministérios foi feita por medida provisória e já está em vigor, mas precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. Reportagem, João Pedro Neto.

Gláucia: E durante a cerimônia de posse dos novos ministros, o Presidente Michel Temer pediu um minuto de silêncio em homenagem à ex-primeira dama, dona Marisa Letícia.

Airton: Na noite de ontem Michel Temer esteve no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, para prestar condolências ao ex-presidente Lula.

Gláucia: Foi constatado que a ex-primeira dama não tem mais fluxo cerebral. Marisa Letícia foi internada em 24 de janeiro, depois ter sofrido um acidente vascular cerebral hemorrágico provocado pelo rompimento de um aneurisma.

Airton: Tudo sobre tecnologia num só lugar, é a Campus Party que completa dez anos este ano.

Gláucia: Mais de 120 mil pessoas participaram de atividades, palestras e demonstração de novos produtos. Brasileiros cheios de ideias, prontos para empreender.

Airton: E o Governo Federal também participa. Lá o objetivo é mostrar programas para capacitar esses empreendedores e ajudar a montar novas empresas.

Repórter Leonardo Meira: Inovação, ciência e empreendedorismo tudo amarrado com o gosto pela tecnologia. Andando pela Campus Party nossa equipe encontrou o estudante de análise de sistemas Diógenes Lacerda, o jovem já se capacitou pelo Brasil Mais TI, um programa do Governo Federal que oferece cursos online e de graça.

Estudante de análise de sistemas - Diógenes Lacerda: Eu fiz um de capacitação em Java, que até ele complementa bastante o que a gente aprende na faculdade, né?

Repórter Leonardo Meira: Para as jovens empresas com ideias inovadoras, o Governo Federal oferece o apoio do Programa Start Up Brasil. Uma empresa gaúcha desenvolveu um aplicativo para celular que cria listas de música feitas por especialistas para os diferentes momentos da vida. A Carla 'Vinch', que trabalha por lá, conta que eles receberam bolsas do Governo Federal para contratar e reter talentos.

Entrevistada - Carla 'Vinch': Ter esse poder aquisitivo para contratar pessoas é muito, muito importante.

Repórter Leonardo Meira: O diretor de inclusão digital do Ministério da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações, Américo Bernardes, explica que o Start Up Brasil busca incentivar empresas que criam tecnologias que ajudem no desenvolvimento do país.

Diretor de inclusão digital do Ministério da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações - Américo Bernardes: Um desenvolvimento de start ups como um mecanismo fundamental de desenvolvimento é entendido pelo ministério, né, como um elemento central para compor uma política de desenvolvimento do país.

Repórter Leonardo Meira: E até o final do ano deve ser lançada a Política Nacional de Start Ups, com regras claras para o setor e dando mais segurança para quem deseja investir nesses projetos, conta o secretário especial da Micro e Pequena Empresa, José Ricardo Veiga.

Secretário especial da Micro e Pequena Empresa - José Ricardo Veiga: É muito importante que a gente tenha uma política nacional para que as pessoas olhem para o ambiente da start up e entendam como ele é regulamentado, como abrir uma nova empresa.

Repórter Leonardo Meira: Outra novidade é que até o final de fevereiro vai ser lançado o Programa Empoderamento Digital. A ideia do governo é capacitar empreendedores para gerar renda com os negócios pela internet. Reportagem, Leonardo Meira.

Gláucia: E a tecnologia pode ser uma grande aliada para que jovens que recebem o Bolsa Família possam vencer a pobreza por meio do trabalho e do empreendedorismo nessa área digital de internet.

Airton: Para isso, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, também esteve na Campus Party, em São Paulo.

Gláucia: Ele foi buscar parcerias para que jovens de baixa renda tenham acesso a conhecimentos de tecnologia.

Repórter Carolina Graziadei: O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, se reuniu com o CEO global do evento, Carlo Cozza, para quem expressou o interesse de desenvolver parcerias que deem condições para que os jovens de famílias pobres tenham acesso a este mercado. Em visita aos 'stands', Terra conheceu jovens inovadores que buscam transformações sociais por meio da tecnologia, como Thiago Jucá, que é criador de uma start up que usa impressoras 3D de para fazer próteses. Para o ministro Osmar Terra, iniciativas como esta devem exemplo e o estímulo à criatividade e ao empreendedorismo é o caminho para mudar a realidade de milhares de adolescentes que hoje não têm perspectivas de um futuro melhor.

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: O que nós queremos era inspirar esses jovens, né, que estão ligados, principalmente ligados ao Bolsa Família, que eles possam ter essa oportunidade, né? E o Campus Party, ele é uma forma de disseminação dessas experiências, né, que pode ser muito útil para nós; não só para os meninos, os jovens do Bolsa Família participarem do Campus Party, para eles verem o que é, eles terem acesso à informação, como também depois para ter curso de capacitação desses jovens, para inclui-los nesse mercado digital, que é extraordinário, que é o futuro.

Repórter Carolina Graziadei: Osmar Terra também se reuniu com o presidente do Instituto Campus Party Brasil, Francesco Farruggia. A intenção do encontro foi o desenvolvimento de uma parceria que possibilite aos jovens o acesso ao mercado da tecnologia e inovação. Para Francesco Farruggia a atuação conjunta entre o governo e evidentes da sociedade civil é o caminho para tornar isso realidade.

Presidente do Instituto Campus Party Brasil - Francesco Farruggia: A característica do jovem 'geek' está a de ser colaborativo, querer fazer coisas para os outros, por exemplo, um cara que sabe robótica gosta de ensinar robótica a outro, não quer ser pago necessariamente por isso. Se nós conseguirmos canalizar toda essa energia, nós poderemos acelerar o processo ou reduzir os danos na revolução digital.

Repórter Carolina Graziadei: Essas parcerias integrarão as ações do Ministério do Desenvolvimento Social, o objetivo é a criação de condições para que as pessoas possam vencer a pobreza por meio do trabalho e do empreendedorismo. De Brasília, Carolina Graziadei.

"Ciência e tecnologia, fique por dentro".

Airton: É, e a gente está vendo aí que os brasileiros estão cada vez mais conectados à internet.

Gláucia: E o uso dessa tecnologia avança, dos computadores e telefones celulares, a internet chega a eletrodomésticos e outros objetivos do nosso dia a dia.

Airton: E o Governo Federal pretende fazer um plano para desenvolver esse novo mercado que pode trazer muitos benefícios para o país.

Repórter Natália Coslique: Você sabe o que é a internet das coisas? Vou explicar, esse termo se refere a uma revolução tecnológica, que tem como objetivo conectar itens usados no nosso dia a dia à rede mundial de computadores. A gente vê por aí que cada vez mais surgem eletrodomésticos, meios de transporte, até mesmo tênis, roupas e maçanetas conectadas à internet. O Ministério de Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações está desenvolvendo um plano nacional de internet das coisas. O objetivo é desenvolver políticas para esse setor que podem trazer muito impacto no dia a dia no país, como explica o secretário de política de informática do Ministério, Maximiliano Martinhão.

Secretário de política de informática do Ministério - Maximiliano Martinhão: Dsse poder de comunicação você extrai benefícios. Aí existem exemplos para a área de fabricação de produtos para a indústria, para a área de transporte, para a área de saúde, para diversos setores econômicos.

Repórter Natália Coslique: O secretário disse também que o Brasil tem potencial para 43 milhões de aparelhos conectados usando a internet das coisas até 2020, por isso o Plano Nacional de Internet das Coisas está recebendo contribuições da população através de uma consulta pública. O graduado em tecnologia da informação, Mauro Miyashiro, de Campinas, São Paulo já mandou sua sugestão e aponta porque é importante acompanhar as discussões.

Graduado em tecnologia da informação - Mauro Miyashiro: Eu acho vai contribuir para qualidade de vida e o aumento de produtividade, né?

Repórter Natália Coslique: O ministro da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, destacou que com o plano o governo contribui e estimula um setor importante da economia, a tecnologia, com impacto no dia a dia dos brasileiros.

Ministro da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: A internet das coisas é uma grande oportunidade para a economia do Brasil avançar e se desenvolver para que possamos gerar mais empregos, que é um dos grandes problemas do Brasil hoje.

Repórter Natália Coslique: Você pode descaro sugestões e indicar que ideias podem ser desenvolvidas para o plano até a próxima segunda-feira, 6 de fevereiro. Anote aí o endereço na internet: www.participa.br/cpiot. Reportagem. Natália Coslique.

Gláucia: 19h13 no horário brasileiro de verão.

Airton: Você é daqueles que quando vai à farmácia costuma comprar medicamentos genéricos?

Gláucia: Daqui a pouquinho vamos explicar se eles realmente são eficazes no tratamento.

Airton: O estado de Sergipe aderiu hoje ao Plano Nacional de Segurança Pública. O termo de adesão foi assinado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Alexandre de Morais e o governador Jackson Barreto.

Gláucia: É, o plano tem como foco a diminuição de homicídios, da violência contra a mulher e uma melhora no sistema prisional do país.

Airton: Ele começou a ser feito há cerca de oito meses e agora está ganhando a adesão oficial dos estados, é o que comenta o ministro Alexandre de Morais.

Ministro - Alexandre de Morais: E ontem, em Natal, nós finalizamos isso para o Rio Grande do Norte, hoje aqui em Sergipe, semana que vem em Porto Alegre, para o Rio Grande do Sul, e na sequência para as demais capitais. Nós vamos instalar nas 27 capitais em 2017, na região de fronteira, em 2018 pegar as regiões metropolitanas de cada uma dessas capitais.

Gláucia: E atenção, você que quer conseguir uma bolsa em faculdade particular pelo Prouni, o Programa Universidade Para Todos.

Airton: As inscrições concorrer a uma das bolsas termina daqui a pouco às 23h59 e são feitas pela internet.

Repórter Eduardo Biagini: O Prouni oferece mais de 214 mil bolsas de estudo integrais e parciais em faculdades particulares, 5% a mais em relação ao ano passado. Podem concorrer às bolsas, estudantes de baixa renda que não tenham diploma do curso superior e que fizeram no mínimo 450 pontos no Enem. Para concorrer a uma bolsa integral o estudante tem que aprovar uma renda familiar de até R$1.405,00 por mês. Para a bolsa parcial, em que o governo fica responsável por metade da mensalidade, a renda familiar mensal tem que ser de até R$2.810,00. As inscrições são feitas pela internet em site: prouni.mec.gov.br. O resultado sai na próxima segunda-feira. Eduardo Biagini para a Voz do Brasil.

Gláucia: É, e desde hoje o estudante aprovado no Sisu, Sistema de Seleção Unificada, pode fazer a matrícula.

Airton: O prazo termina na próxima quarta-feira, dia 8. A matrícula deve ser feita na instituição onde o estudante foi selecionado.

Gláucia: E 2017 começou com menos famílias endividadas do que o início de 2016.

Airton: É, uma pesquisa da Confederação Nacional de Comércio e Bens Serviços e Turismo mostra que em janeiro deste ano pouco mais de 55,5% das famílias tinham algum tipo de dívida. No começo do ano passado esse índice era de mais de 61%.

Repórter Nazi Brum: A pesquisa revela que o endividamento das famílias em janeiro deste ano é o menor desde junho de 2010, há quase sete anos. Para a confederação que faz o levantamento, o recebimento do 13º salário e o menor consumo das famílias ajuda a explicar a queda na quantidade de endividados. Na opinião do economista José Luís Pagnussat, o governo tem tomado medidas para aquecer o consumo, como a mudança na regra dos juros rotativos do cartão de crédito, que são aqueles cobrados quando não se paga a fatura na íntegra.

Economista - José Luís Pagnussat: É, no campo do crédito ao consumidor, né, várias medidas foram adotadas desde o final do ano passado, né? Uma recente que teve bastante destaque a mídia foi relacionado ao cartão de crédito.

Repórter Nazi Brum: Ficar livre das dívidas é um alívio, foi o que sentiu o técnico de produção Gilberto Macedo, depois que uma loja não aceitou um cheque dele de R$18,00, resolveu botar as contas em dia. Não renovou o cheque especial, cancelou o cartão de crédito e não fez novas dívida no período.

Técnico de produção - Gilberto Macedo: Agora eu quero comprar, tanto é que eu agora já consegui até o meu apartamento lá na Samambaia, que comprei sem pegar dinheiro de ninguém, vendi um carro que eu tinha, vendi o outro que era mais velho, estou com um imóvel novo, graças a Deus, e não estou devendo nada.

Repórter Nazi Brum: Para mais de 70% dos endividados, o cartão de crédito continua sendo o principal tipo de dívida, seguido de carnês e pelo financiamento de carro. Reportagem, Nazi Brum.

Gláucia: Airton, você já tomou medicamento genérico?

Airton: Já. Já tomei, sim.

Gláucia: E você sabe o que é um genérico?

Airton: Glaucia, eu sei que possuem o mesmo princípio ativo dos medicamentos de marca e que costumam ser mais baratos.

Gláucia: Pois é, Airton, a repórter Gabriela Noronha foi às farmácias conversou com a Anvisa para explicar para a gente essa diferença e principalmente para a gente saber se eles são seguros mesmo.

Repórter Gabriela Noronha: Nas prateleiras das farmácias sobre é possível encontrá-los, é só procurar e lá estão eles, os medicamentos genéricos. Registrados do Brasil há 17 anos, os genéricos podem ser identificados pela embalagem, uma tarja amarela com a letra G. Eles possuem o mesmo princípio ativo de um remédio de marca, os chamados medicamentos de referência. Os genéricos vieram para aumentar a concorrência entre os laboratórios e oferecer à população um preço mais em conta. Mas, será que além da embalagem, existem outras diferenças? Jarbas Barbosa, diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária responde para a gente.

Diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Jarbas Barbosa: É a mesma droga, a mesma substância com o mesmo efeito. Só não tem o mesmo nome porque o medicamento, quando ele é descoberto, se coloca um nome de fantasia nele, digamos assim. E o medicamento genérico usa somente o nome da substância, ele não pode ter um nome de fantasia.

Repórter Gabriela Noronha: De acordo de Jarbas Barbosa, são feitos testes de qualidade rigorosos para garantir a segurança e a qualidade do produto. Assim, o consumidor pode comprar o genérico sabendo que ele é confiável.

Diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Jarbas Barbosa: Nesse processo de registro é requerido aqui na Anvisa testes definitivos que nós chamamos bioequivalência. O que é bioequivalência? Em indivíduos que são voluntários é retirado no sangue e na urina dessas pessoas para verificar se a disponibilidade daquele medicamento genérico é exatamente equivalente ao do medicamento de referência.

Repórter Gabriela Noronha: Francisco Alves, gerente de uma farmácia popular em Brasília, conta que o genérico é cada vez mais procurado no balcão.

Gerente de farmácia - Francisco Alves: Os medicamentos já são procurados pelo cliente: "Eu quero o genérico". Então, a gente indica o genérico para ele, por quê? Porque nós sabemos que o genérico tem qualidade, o genérico é bem mais acessível para o bolso do consumidor.

Repórter Gabriela Noronha: O servidor público Leandro Feitosa concorda, ele vai à farmácia a cada dois meses comprar remédios para o tratamento da mãe e conta que o genérico é o escolhido.

Servidor público - Leandro Feitosa: Normalmente a opção é pelo genérico por ser mais barato. Até hoje não tivemos problemas com o genérico.

Repórter Gabriela Noronha: Hoje no Brasil existem 3.800 medicamentos genéricos registrados na Anvisa. A venda dos genéricos corresponde a 30% do mercado. Reportagem, Gabriela Noronha.

Gláucia: 19h21 no horário brasileiro de verão.

Airton: Foi assim a recepção de quem chegou hoje à tarde do aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro.

Gláucia: É, a Beija-Flor de Nilópolis levou bateria e passistas para botar os turistas em clima de carnaval, e quem viu aprovou.

Repórter Natália Melo: Rio de Janeiro, terra do sol, do mar e de muito samba. E a poucos dias do carnaval, quem desembarcou no Santos Dumont teve uma surpresinha, era uma das escolas mais tradicionais que se apresentava a todo vapor para receber quem vinha de longe, a Beija-Flor. Dona: Zuara Maria tem uma loja do aeroporto e não foi a cadeira de rodas que a impediu de se divertir com a batucada.

Dona de loja - Zuara Maria: Claro que não. Só de ouvir o povo brasileiro já é suficiente. Eu senti que tudo isso que fazem.

Repórter Natália Melo: E na festa teve de tudo, passistas, casal de mestre-sala e porta-bandeira. A apresentação é uma parceria da Infraero com as escolas de samba do Rio para dar aos turistas o gostinho do carnaval carioca. A vendedora Pâmela Regolo ficou feliz de ver sua escola de samba favorita contagiando os visitantes.

Vendedora - Pâmela Regolo: Para mim o carnaval, ainda mais sendo a minha escola de samba, é maravilhoso, né? Chegar aqui e ver uma apresentação da minha escola samba é muito bom, imagina para quem não é do nosso país, deve ser melhor ainda.

Repórter Natália Melo: Mais de um milhão de turistas devem curtir o carnaval no Rio de Janeiro. Na próxima sexta-feira, dia 10 de fevereiro, será a vez da Portela animar os passageiros no aeroporto Santos Dumont. Reportagem, Natália Melo.

Airton: A ampliação de investimentos entre Brasil e Argentina e o fortalecimento do Mercosul vão ser alguns dos assuntos discutidos na visita que o presidente argentino, Mauricio Macri, faz ao país, na terça-feira da semana que vem.

Gláucia: É, a Argentina preside temporariamente o Mercosul. A ideia, segundo o embaixador Estivallet de Mesquita é que os dois países trabalhem para fortalecer o bloco econômico que é formado também por Uruguai, Paraguai e Venezuela.

Embaixador - Estivallet de Mesquita: Vai trabalhar que para que nós possamos avançar a máximo possível na eliminação de barreiras que ainda existem ao comércio entre os países, no caso especificamente entre Brasil Argentina, mas o Mercosul também tem um programa de trabalho para analisar as barreiras entre todos os seus integrantes. Nós queremos avançar na negociação de alguns acordos, como cooperação e facilitação de investimento e de contas governamentais.

Airton: Entre 2013 e 2015 o comércio entre Brasil e Argentina cresceu de US$9 bilhões e US$200 milhões para mais de US$23 bilhões.

Gláucia: É, a Argentina é o terceiro principal destino das exportações brasileiras, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Airton: O Brasil vende para a Argentina principalmente carros, veículos de carga e peças para automóveis e tratores.

Gláucia: O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, sobrevoou regiões afetadas por enchentes no Acre e anunciei o recurso de cerca de R$4 milhões para ações emergenciais na região.

Airton: O dinheiro vai beneficiar mais de 104 mil pessoas afetadas pelas inundações e custear o envio de 107 kits de ajuda humanitária em socorro à população, como água, alimentos, colchões, materiais de higiene pessoal e limpeza.

Gláucia: É, as cheias no estado do Acre já atingiram mais de 32 mil pessoas, deixando quase 2 mil pessoas desalojadas e outras 2 mil desabrigadas.

Airton: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e um bom fim de semana.

Airton: Boa noite para você e até segunda-feira.