06/02/2017 - A Voz do Brasil

Governo federal amplia o programa habitacional Minha Casa Minha Vida. Fies irá oferecer 150 mil novas vagas. Força Nacional envia 200 homens ao Espírito Santo para reforçar policiamento. Tudo isso você ouviu nesta segunda-feira em A Voz do Brasil!

audio/mpeg 06 02 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23881 KB




Transcrição


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.

 

"Está no ar a Voz do Brasil - As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite.

 

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gláucia: Segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017.

 

Airton: E vamos ao destaque do dia. Aumenta limite de renda para que mais famílias possam participar do Minha Casa, Minha Vida.

 

Gláucia: E o presidente Michel Temer diz que objetivo é entregar mais de 600 mil casas neste ano e gerar empregos.

 

Presidente da República - Michel Temer: Nós assentamos mais uma camada de tijolos nessa construção coletiva que é o crescimento do nosso país.

 

Airton: E você ainda vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: 150 mil vagas vão ser abertas para o Fies. Luana Caren.

 

Repórter Luana Caren: Estudantes interessados em financiar o curso superior devem ficar atentos. O prazo de inscrição para o Fies começa amanhã. Eu volto daqui a pouco com mais informações.

 

Airton: 200 militares da Força Nacional, além de tropas do exército, vão reforçar a segurança em Vitória no Espírito Santo.

 

Gláucia: E vamos detalhar para você a proposta de reforma da previdência. Por que é preciso garantir a aposentadoria no futuro?

 

Airton: A Voz do Brasil na apresentação de Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Airton: O sonho de comprar a casa própria vai poder ser realizado por mais famílias brasileiras.

 

Gláucia: É que o governo anunciou novas regras de acesso ao programa Minha Casa, Minha Vida. Uma delas amplia o limite de renda para que uma família possa financiar uma residência pelo programa com juros mais baixos que os oferecidos pelo mercado.

 

Airton: A previsão é contratar mais de 600 mil novas unidades ao longo deste ano.

 

Gláucia: As novas regras também devem gerar mais empregos na construção civil, um dos principais setores que impulsionam a economia do país.

 

Repórter Paulo La Salvia: Um milhão de empregos entre diretos e indiretos. Este é um dos resultados esperados com as mudanças nas regras do programa Minha Casa, Minha Vida. O dado foi divulgado pelo presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins, que disse que o passado recente vai ficar para trás.

 

Presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção - José Carlos Martins: Nos últimos tempos, o setor perdeu muito emprego. E agora, começamos a estimular este retorno. O setor da construção é um intermediário entre o sonho da Maria e o emprego do João. Então vamos dizer, hoje nós estamos aqui de alguma forma viabilizando o sonho de muitas famílias chegarem a ter a sua casa própria.

 

Repórter Paulo La Salvia: As mudanças foram aprovadas pelo Conselho Curador do FGTS e entram em vigor assim que publicadas no Diário Oficial da União, o que deve ocorrer nesta terça-feira. As faixas de renda para acessar o Minha Casa, Minha Vida foram reajustadas em 7,69%. Com isso a faixa um e meio passará do limite de 2350 para 2600 reais por mês de renda familiar. Para a faixa dois, o limite de renda sobe de 3600 para 4000 reais por mês, e na faixa três, o teto de renda familiar mensal aumenta de 6 mil e 500 para 9000 reais. Com as mudanças, a meta é contratar 610 mil novas moradias no Minha Casa, Minha Vida em 2017. Para o presidente Michel Temer as mudanças anunciadas vão beneficiar tanto a economia, quanto a população.

 

Presidente da República - Michel Temer: A construção civil, que é um setor que nós temos prestigiado no nosso governo, é, com toda razão, uma das peças-chave para a economia brasileira. O que vemos hoje é a combinação virtuosa de estímulo ao setor com o fortalecimento de um programa social da maior relevância, que é o Minha Casa, Minha Vida. Portanto, que se de um lado nós prestigiamos o setor produtivo do país, que é a iniciativa privada, de outro lado, estamos também apontando para a responsabilidade social do governo quando tratamos do Minha Casa, Minha Vida.

 

Repórter Paulo La Salvia: O presidente Michel Temer também defendeu que o Brasil tem tudo para retomar o crescimento neste ano.

 

Presidente da República - Michel Temer: Há sinais de que o crescimento econômico pode voltar já no começo deste ano. Não quero ser otimista demais, mas temos conversado muito com o ministro Meirelles, com o ministro Diogo e todos os ministros, e verificando que o crescimento começa suavemente agora e toma rumo definitivo no segundo semestre, sendo certo que no último trimestre deste ano, seguramente nós teremos uma redução do desemprego.

 

Repórter Paulo La Salvia: Por conta da defasagem do valor dos imóveis, principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, que têm os metros quadrados mais caros do país, o governo permitiu que ocorram reajustes no valor dos imóveis para o enquadramento no Minha Casa, Minha Vida. Os valores dos imóveis foram reajustados de um limite de 225 mil reais para 240 mil reais. Já para as regiões norte e nordeste, o teto do valor dos imóveis financiados pelo programa também foi corrigido de 170 mil para 180 mil reais. Reportagem: Paulo La Salvia.

 

Airton: E a jornalista Helen Bernardes conversou agora há pouco com o ministro das Cidades, que detalhou as mudanças no programa. Vamos ouvir.

 

Repórter Helen Bernardes: Eu vou conversar agora então com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, sobre novidades no programa Minha Casa, Minha Vida. Seja muito bem-vindo mais uma vez, ministro.

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Boa noite, Helen. Boa noite todos os amigos e amigas da Voz do Brasil. É um prazer enorme estarmos aqui.

 

Repórter Helen Bernardes: Ministro, então vamos começar explicando para a gente, para quem está nos ouvindo na prática, o que muda para quem quer participar do programa Minha Casa, Minha Vida?

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Nós temos um novo Minha Casa, Minha Vida. Ele agora é mais forte, mais revigorado. Nós atendemos um pedido do setor da construção civil no sentido de poder assumir um compromisso de construir mais unidades habitacionais e permitir um acesso mais fácil da população ao sonho da casa própria. Nós estamos mexendo na taxa de juros do programa, nós estamos elevando os limites dos valores dos imóveis, o que vai permitir a produção de mais unidades habitacionais, geração de emprego, e 600 novas mil unidades habitacionais contratadas no ano de 2017, Helen.

 

Repórter Helen Bernardes: Só para reforçar, então isso significa que mais famílias vão poder participar do sonho da casa própria, não é, ministro?

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Exatamente isso, e além de mais famílias participar do acesso ao sonho da casa própria, nós vamos com esses contratos gerar mais de um milhão de empregos no Brasil nesse momento em que a economia dá sinais de recuperação, dá autoestima.

 

Repórter Helen Bernardes: Quando isso começa a valer?

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Começa a valer de agora, essa aprovação foi do conselho curador, importante trabalho do governo, Caixa Econômica, Ministério do Planejamento, Ministério das Cidades. Agora é cobrar do setor da construção civil, mãos à obra, construir, entregar o sonho da casa própria.

 

Repórter Helen Bernardes: E é uma mão de duas vias, não é, ministro? As pessoas vão ter acesso ao sonho da casa própria, e ao mesmo tempo vamos gerar aí empregos, tentar fazer com que essa economia volte a crescer.

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: É isso, vamos gerar empregos no setor da construção civil, o setor da construção civil gera empregos em outras partes da cadeia produtiva, as empresas passam a poder ter a ocupação de toda a sua capacidade profissional, contrata-se profissionais liberais que participam dessas obras, e mais ainda, nós tornamos o financiamento e todo o desenho factível, desde quem recebe na faixa um do programa, aquela unidade que é praticamente dada, àqueles que vão participar de outras faixas do programa, que vão ter acesso ao financiamento mais fácil. Importante lembrar que agora a renda familiar vai até nove mil reais, ou seja, é um novo volume de famílias brasileiras que agora participam e são abraçadas pelo novo programa Minha Casa, Minha Vida.

 

Repórter Helen Bernardes: Então eu agradeço ao ministro das Cidades, Bruno Araújo, pela disponibilidade de conversar aqui conosco mais uma vez. Muito obrigada, ministro.

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: O prazer é enorme, estamos sempre à disposição para tirar as dúvidas que a população precisar.

 

Gláucia: E a Voz do Brasil conversou com algumas pessoas que já foram beneficiadas com o programa Minha Casa, Minha Vida.

 

Airton: A gente vai saber o que mudou na vida delas na reportagem de Natália Koslyk. Ouça.

 

Repórter Natália Koslyk: Roselaine Santos morava num quarto com os dois filhos de 15 e 2 anos de idade que ficava nos fundos da casa da mãe, no município paulista de Mogi das Cruzes. Desde que recebeu a chave de seu novo lar, Roselaine conta que agora cada um tem o seu espaço.

 

Entrevistada - Roselaine Santos: Eu morava num cômodo só grande, né? Vivia as crianças, e meu neném dormia entre a cozinha e uma sala. Agora tem o cantinho, os quartos separados, tem o cantinho dele, tem o espaço deles. Eu também tenho meu espaço, minha liberdade. Então para mim foi muito satisfatório.

 

Repórter Natália Koslyk: No condomínio onde Roselaine mora, construído com recursos do Minha Casa, Minha Vida, as crianças também têm acesso a um parquinho, quadra de esportes e área de lazer. Já no caso de Fátima Contiero, também de Mogi das Cruzes, a casa própria chegou mais tarde, aos 60 anos de idade. Ela e o marido agora têm um cantinho para chamarem de seu.

 

Entrevistada - Fátima Contiero: Aonde eu estava morando era na casa da minha vó. E como é muito apertadinho, fiquei aguentando, aguentando. Ela me cedeu dois cômodos daqui para mim morar. Quando eu fiz a inscrição e saiu, eu fiquei feliz da vida.

 

Repórter Natália Koslyk: Adenilton Arouca de Ilhéus, na Bahia, Conseguiu a casa própria no mês passado. Ele se enquadra na faixa um do programa Minha Casa, Minha Vida, para quem tem renda mensal de até 1800 reais. Com essa oportunidade, Adenilton deixou o aluguel para trás.

 

Entrevistado - Adenilton Arouca: Morar de aluguel é um dinheiro irreversível, não volta mais. Além disso, você já paga agora, já está devendo o próximo mês. É uma coisa, assim, muito complicado, né? Então assim, é um sonho realizado de ter a nossa casa própria.

 

Repórter Natália Koslyk: Adenilton e o filho de 13 anos agora moram num apartamento de dois quartos no condomínio Sol e Mar. Ele se alegra porque vai conseguir algo que seus pais e avós nunca tiveram.

 

Entrevistado - Adenilton Arouca: Essa fase está sendo maravilhosa na minha vida. Uma readaptação, mas assim, em uma casa minha, num apartamento meu, onde eu vou ter alguma coisa para deixar para o meu filho.

 

Repórter Natália Koslyk: Desde 2009, o programa Minha Casa, Minha Vida já entregou mais de 3 milhões e 200 mil unidades. Reportagem: Natália Koslyk.

 

Gláucia: O atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Alexandre de Moraes, foi indicado hoje pelo presidente Michel Temer para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal, o STF.

 

Airton: O anúncio foi feito agora há pouco pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. Ele disse que as sólidas credenciais acadêmicas e profissionais o qualificam para a elevada responsabilidade de ministro do STF.

 

Gláucia: Alexandre de Moraes vai ocupar a vaga de Teori Zavascki, que morreu em um acidente de avião no dia 19 de janeiro.

 

Airton: Moraes ainda vai passar por uma sabatina em uma comissão do Senado e precisa ter seu nome aprovado pelos senadores.

 

Gláucia: O Governo Federal autorizou hoje o envio da Força Nacional e das Forças Armadas ao Espírito Santo.

 

Airton: Os agentes da Força e os militares vão trabalhar nas ruas da cidade da grande Vitória, que passa por uma onda de violência desde que a Polícia Militar começou uma paralisação no fim de semana passado.

 

Gláucia: O estado vai contar com 200 agentes da Força Nacional a partir de hoje. Os militares também estão autorizados a começar o trabalho nesta segunda-feira, como afirmou o ministro da Defesa Raul Jungman.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungman: Sem sombra de dúvida, hoje de tarde para noite, nós já deveremos ter policiamento pelas Forças Armadas em conjunto com os órgãos de segurança local nas ruas. Agora o total do efetivo, que hoje eu ainda não sei, nas próximas 24, 48 horas estarão lá, porque as Forças Armadas se deslocam com muita rapidez e já tem um plano logístico montado para fazer o patrulhamento e monitoramento das ruas da grande Vitória.

 

Airton: Jungman está no Espírito Santo para organizar as ações dos militares.

 

Gláucia: O pedido da Força Nacional e dos militares foi feito pelo governador em exercício do estado, Cesar Colnago.

 

Airton: E o mutirão Defensoria Sem Fronteiras começou hoje a avaliar a situação jurídica de 5600 presos na região metropolitana de Manaus no Amazonas.

 

Gláucia: 75 defensores públicos federais e dos estados que integram a missão vão trabalhar sobre os processos dos detentos.

 

Airton: O objetivo é levar assistência jurídica a todo o Brasil e reduzir a população carcerária em 15% até 2018.

 

Gláucia: A iniciativa é fruto de um acordo entre o Ministério da Justiça, a Defensoria Pública da União, e o Colégio Nacional de Defensores Públicos Gerais, e tem validade de dois anos. 19 horas, 14 minutos no horário brasileiro de verão.

 

Airton: Você que está esperando para se inscrever no Financiamento Estudantil, o Fies, anote aí.

 

Gláucia: As inscrições para novos contratos começam amanhã, e a gente vai falar do número de novas vagas abertas pelo governo. Não saia daí.

 

Airton: Atenção, pequenos agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais de todo o país.

 

Gláucia: Um programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário quer apoiar você para produzir mais e melhor. Como participar? É o que vamos saber no quadro 'Pra Você, Cidadão' de hoje.

 

"Pra Você, Cidadão!"

 

Repórter Daniel Costa: As famílias de pequenos agricultores de todo o país em situação de extrema pobreza podem contar com ajuda para ter acesso a assistência técnica e recurso financeiro. O programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais existe para ampliar a produção dos pequenos agricultores e combater a pobreza na vida dessas famílias. Para ser beneficiado, é preciso fazer parte do Cadastro Único dos Programas Sociais do Governo Federal. Além da assistência técnica, os beneficiados recebem 2400 reais para desenvolver projetos produtivos com o objetivo de aumentar a produção de alimentos e melhorar a renda. Os recursos são transferidos diretamente aos agricultores pelo cartão do Bolsa Família em duas parcelas e não precisam ser devolvidos. Cerca de 50 mil famílias de pequenos agricultores vão ser beneficiadas neste ano. Para ter mais informações, é só ligar para 0800 707 2003. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Airton: O Congresso Nacional já retomou os trabalhos e deve começar a discutir a proposta de reforma da previdência enviada pelo governo.

 

Gláucia: Mas por que a reforma se tornou uma prioridade? Por que é tão importante discutir essa questão agora?

 

Airton: E é exatamente isso que começamos a explicar hoje na primeira de uma série de matérias especiais que você vai ouvir aqui na Voz do Brasil sobre a reforma da previdência.

 

Repórter Paulo La Salvia: A sociedade brasileira tem um prazo para parar de crescer. Alguns estudiosos do IBGE apontam 2035, outros 2042. A data não é o mais importante. O que chama a atenção é a tendência. De acordo com o secretário de Previdência Social, Marcelo Caetano, os estudos apontam que até a metade deste século menos pessoas vão nascer e vai aumentar o número de idosos no país.

 

Secretário de Previdência Social - Marcelo Caetano: A gente ainda hoje é um país jovem, hoje a gente tem na faixa de 11 a 12 idosos para cada 100 pessoas em idade ativa, mas a gente envelhece muito rápido. Quando chegar em 2060, o IBGE, por exemplo, ele projeta que esses 11, 12 idosos vão virar 44 idosos para cada 100 pessoas em idade ativa.

 

Repórter Paulo La Salvia: Segundo o economista da Escola Nacional de Administração Pública, José Luiz Pagnussat, os idosos também vão viver mais, o que pressiona a Previdência Social, que paga atualmente benefícios a 34 milhões de aposentados e pensionistas no Brasil.

 

Economista da ENAP - José Luiz Pagnussat: A expectativa de vida das pessoas que se aposentam cresceu muito e tende a crescer mais nos próximos anos. Hoje a pessoa que se aposenta aos 60 anos tem uma expectativa de vida de 22 anos em média no país.

 

Repórter Paulo La Salvia: A ex-funcionária pública de Brasília, Maria do Socorro Dantas, começou a trabalhar muito jovem e se aposentou em 2008. Mas só deixou os correios 7 anos depois, aos 53 anos, idade baixa para padrões internacionais.

 

Entrevistada - Maria do Socorro Dantas: 53 anos para você aposentar é muito cedo. Tanto que hoje eu tento preencher meu horário, meu dia a dia com outras coisas que não sejam necessariamente, que me deem uma renda, mas que eu consiga trabalhar meu intelectual.

 

Repórter Paulo La Salvia: Pela lei, um homem que começou a trabalhar aos 18 anos e contribuiu para a previdência por 35 anos tem direito à aposentadoria. No caso das mulheres, elas têm que contribuir por 30 anos para ter o benefício. Homens ainda podem se aposentar aos 65 anos e mulheres aos 60 anos com 15 anos de contribuição, regras que estão ampliando os gastos do sistema, segundo o diretor de Assuntos Fiscais e Sociais do Ministério do Planejamento, Arnaldo de Lima.

 

Diretor de Assuntos Fiscais e Sociais - Arnaldo de Lima: Estamos pagando benefício para mais pessoas, com valor maior e por mais tempo. Isso exige ajustes para que a gente consiga continuamente aperfeiçoar o nosso sistema, que é tão importante para a gente.

 

Repórter Paulo La Salvia: Somando o envelhecimento da população, aumento da expectativa de vida e uma aposentadoria precoce, o resultado é um saldo negativo nas contas da Previdência Social, tanto no sistema para o setor privado, quanto para o setor público. No ano passado, este rombo nas contas chegou a 227 bilhões de reais, quatro vezes maior do que o orçamento da cidade de São Paulo, a mais rica do país. É por isso que o governo enviou uma reforma ao congresso, que segundo o economista da Universidade de Brasília, José Matias Pereira, é necessária.

 

Economista da UNB - José Matias Pereira: No contexto que nós vivenciamos e diante da importância de você priorizar as finanças públicas, de reorganizar as finanças públicas que a reforma da previdência não seja levada adiante.

 

Repórter Paulo La Salvia: Entre os principais pontos da reforma da Previdência Social, estão uma idade mínima para homens e mulheres se aposentarem e um tempo maior de contribuição para requerer o benefício. Reportagem: Paulo La Salvia.

 

Gláucia: As inscrições para o primeiro semestre do Financiamento Estudantil, o Fies, começam nesta terça-feira.

 

Airton: E o Ministério da Educação promete anunciar novidades no programa nos próximos meses. A repórter Luana Caren tem ao vivo as informações. Olá, Luana. Boa noite.

 

Repórter Luana Caren (ao vivo): Olá, Airton, boa noite. Boa noite, Gláucia, e a todos os ouvintes da Voz Brasil. O ministro da Educação vai oferecer 150 mil vagas para o Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies, neste primeiro semestre de 2017. Estudantes interessados em financiar o curso superior devem ficar atentos, porque o prazo de inscrição começa amanhã. Este ano o teto global de financiamento por semestre será 30 mil reais, ou seja, as mensalidades devem ser de até cinco mil reais. O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que estão sendo estudadas mudanças no Fies para tornar o programa sustentável. As novidades devem ser anunciadas em março e só vão valer para o segundo semestre.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Serão medidas bastante firmes e que preservem, em primeiro lugar, a garantia de que os estudantes todos que estão hoje estudando com o financiamento do Fies terão garantia plena de concluir os seus estudos, e que novos estudantes ingressarão também no sistema.

 

Repórter Luana Caren (ao vivo): O Ministério da Educação também apresentou um balanço do SISU e do Prouni. Cerca de dois milhões e meio de estudantes disputaram uma das 238 mil vagas oferecidas pelo Sistema de Seleção Unificada em universidades e institutos federais de ensino superior em todo o país. As universidades do nordeste foram as mais procuradas pelos estudantes, e também ofereceram a maior quantidade de vagas. As áreas com maior nota de corte foram direito, medicina e engenharia mecânica e mecatrônica. Os candidatos selecionados na primeira chamada podem fazer a matrícula até quarta-feira. Outros um milhão e meio de alunos disputaram uma bolsa de estudos do Prouni. Foram oferecidas 214 mil vagas em 13 mil e 500 cursos de mais de mil instituições particulares de ensino superior. Direito, administração e pedagogia foram os cursos mais disputados. Os alunos têm até o dia 13 para comprovar as informações. A segunda chamada do Prouni será divulgada no dia 20 de fevereiro. Ao vivo, Luana Caren.

 

Gláucia: 19 horas, 22 minutos no horário brasileiro de verão.

 

Airton: Tá aqui um desafio, como melhorar a administração das cidades, combater a corrupção e incentivar a transparência?

 

Gláucia: Esses foram os temas de um evento promovido nessa segunda-feira para gestores municipais de todo o país.

 

Airton: Os encontros foram organizados pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União e foram realizados em todos os estados.

 

Repórter José Luiz Filho: Um dia de aprendizado. Assim foi esta segunda-feira para prefeitos, secretários e servidores municipais de todo o Brasil. Entre eles, o chefe do Executivo da cidade de Garça, do interior de São Paulo, João Carlos dos Santos, que conta o que aprendeu.

 

Prefeito de Garças - João Carlos dos Santos: Principalmente os temas que mais influenciam o dia a dia: a licitação, a condução correta do recurso, e em prol do interesse do bem comum.

 

Repórter José Luiz Filho: No encontro Município Transparente, promovido pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União, os administradores municipais receberam orientações sobre como aplicar com mais eficiência e qualidade os recursos públicos, como explica o superintendente da Controladoria Geral da União em São Paulo, Roberto Viegas.

 

Superintendente da CGU-SP - Roberto Viegas: O atual momento do país, com restrições orçamentárias, tem que ser perseguido melhorar a qualidade do gasto, melhorar a eficiência do uso dos recursos públicos, enfim.

 

Repórter José Luiz Filho: No encontro, os participantes também conheceram detalhes do Painel Municípios, ferramenta lançada no início do mês pelo ministro da Transparência, Torquato Jardim, com indicadores de todos os municípios do país relativos à fiscalização, transparência pública, ouvidoria e punições aplicadas a empresas. Reportagem: José Luiz Filho.

 

Gláucia: 40 municípios do Piauí que sofrem com o longo período de estiagem tiveram situação de emergência reconhecida hoje pelo Ministério da Integração Nacional.

 

Airton: A partir do reconhecimento, as prefeituras podem solicitar recursos da União para a perfuração de poços, operação carro-pipa e implantação de adutoras de engate rápido.

 

Gláucia: Além disso, garante aos agricultores a renegociação de dívidas, além da aquisição de cestas básicas.

 

Airton: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Airton: Boa noite para você, até amanhã e uma boa semana.