09 DE JUNHO DE 2017

Começa neste sábado o saque de contas inativas do FGTS para nascidos em setembro, outubro ou novembro. Inflação de maio é a menor para o mês em 10 anos. Prefeitura de São Paulo vai receber R$ 25 milhões do governo federal para combater dependência química na cidade

audio/mpeg 09-06-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 46773 KB




Transcrição

A Voz do Brasil 09.06.2017

 

Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil, as notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentador, Nasi Brum: Boa noite!

Apresentadora, Gláucia Gomes: Olá, boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

Nasi: Sexta-feira, 9 de junho de 2017.

Gláucia: E vamos ao destaque do dia. Amanhã começa o saque de contas inativas do FGTS para nascidos em setembro, outubro e novembro. Beatriz Amiden.

Repórter, Beatriz Amiden: Nessa etapa, 7,5 milhões de trabalhadores vão poder sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS, vão ser quase R$ 11 bilhões liberados.

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

Gláucia: Inflação de maio é a menor para o mês em dez anos. José Luís Filho.

Repórter, José Luís Filho: Quem às compras semanalmente nota a diferença principalmente em relação ao ano passado.

Nasi: Prefeitura de São Paulo vai receber R$ 25 milhões do governo para combater a dependência química na cidade.

Gláucia: E você toma remédio sem receita? Nós vamos falar dos perigos da automedicação.

Nasi: Hoje na apresentação, Gláucia Gomes e Nasi Brum.

Gláucia: E para assistir a gente ao vivo na internet basta acessar: www.voz.gov.br.

Nasi: Atenção trabalhadores nascidos em setembro, outubro ou novembro, e que têm contas inativas do FGTS.

Gláucia: A partir de amanhã já vai ser possível fazer o saque dessas contas, o prazo foi antecipado e mais de 2 mil agências da Caixa vão estar abertas em todo o Brasil fazer o atendimento exclusivo a quem tem dinheiro a receber.

Nasi: E você já está programando o que fazer com esse dinheiro extra? A repórter Beatriz Amiden foi às ruas para saber, já tem gente que se programou e tem o destino certo para essa renda a mais.

Repórter, Beatriz Amiden: A consultora de beleza Gisele Magalhães foi a uma agência da Caixa o mês passado pagar as contas e aí resolveu checar se tinha algum saldo na conta inativa do FGTS e para a sua surpresa...

Consultora de beleza, Gisele Magalhães: Eu não sabia realmente se eu tinha algum valor disponível para saque, então pela surpresa eu tinha um valor, então eu utilizei o valor para pagar a conta que eu tinha, foi maravilhoso.

Repórter, Beatriz Amiden: Já a recepcionista Carla Silva está ansiosa para o sábado chegar. Não é só porque é final de semana não, é que ela vai poder sacar um dinheirinho do FGTS, ela disse que não é muito, mas que já vai fazer a alegria dos dois filhos.

Recepcionista, Carla Silva: Eu vou sair no final de semana, levar as crianças tomar sorvete, para dar um passeio.

Repórter, Beatriz Amiden: O autônomo Manoel Francisco também está à espera para sacar o FGTS e já tem o destino certo para o dinheiro.

Autônomo, Manoel Francisco: Eu vou pagar umas conta minha que tava atrasada, conta do cartão de crédito, vou dar um jeito de parcelar a conta do cartão de crédito e esse dinheiro vai dar uma boa ajuda, e aí esse dinheiro chegou em boa hora.

Repórter, Beatriz Amiden: Nessa etapa, 7,500 milhões trabalhadores vão poder sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS, vão ser quase R$ 11 bilhões liberados, o saque foi antecipado em função do feriado de Corpus Christi, 2.015 agências da Caixa vão funcionar nesse sábado para atender o cidadão. Além disso, na semana que vem, segunda, terça e quarta-feira as agências vão abrir duas horas mais cedo, mas as pessoas não precisam correr, o prazo para sacar o dinheiro vai até o dia 31 de julho. Reportagem, Beatriz Amiden.

Gláucia: E para saber mais sobre essa nova etapa de saques de contas inativas do FGTS a gente conversa por telefone com o presidente da Caixa, Gilberto Occhi. Boa noite, presidente!

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi: Boa noite a você, Gláucia, boa noite a todos, que está nos ouvindo através da Voz de Brasil.

Gláucia: Presidente, a gente ouviu agora pouco que mais de 2 mil agências da Caixa vão abrir amanhã para atender quem fazer o saque das contas inativas do FGTS. Como as pessoas podem saber se uma agência perto de casa vai estar aberta?

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi: Olha, ele pode entrar no site da Caixa: www.caixa.gov.br, contas inativas, ele vai ter todas as informações das agências da Caixa ou ele pode ligar no 0800-726-2017, esse número é exclusivo para dar informações com relação ao saque das contas inativas do FGTS.

Nasi: Presidente, ultimamente saíram alguns boatos de que os saques do FGTS seriam interrompidos, o dinheiro para os trabalhadores já está garantido, não é mesmo?

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi: Essa hipótese surgiu apenas com a não aprovação da Medida Provisória pelo Congresso Nacional, isso já ocorreu, os saques vão transcorrer normalmente, e a partir de amanhã o trabalhador que nasceu entre setembro, outubro ou novembro, ele poderá se dirigir à uma agência da Caixa, à uma casa lotérica, à um correspondente da Caixa, às salas de auto-atendimento da Caixa, e ele poderá fazer o saque do seu FGTS. Nós teremos amanhã 2.500 agências abertas totalmente e exclusivamente para atender a esses trabalhadores e teremos também mais 69 agências que nós identificamos que tem muita procura por essas agências também que estarão abertas as suas salas de auto-atendimento com empregados da Caixa para orientar o trabalhador que for até à agência da Caixa no próximo sábado, amanhã, dia 10 de junho.

Gláucia: Nós ouvimos agora pouco, presidente, que as pessoas estão usando ou vão usar esse dinheiro extra para pagar contas, fazer compras, dar presentes, como é que o saque de contas inativas está ajudando a economia do país?

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi: Olha, Gláucia, eu quero dizer aí a todos que a Caixa já pagou, até o presente momento, cerca de R$ 27,700 bilhões. É muito recurso que está entrando na economia sobre essas diversas maneiras que você acabou de citar, alguns estão preferindo pagar dívidas que eles têm contraídas, pagar inclusive dívidas atrasadas, outras estão tendo a oportunidade de adquirir algum bem, seja ele uma televisão, uma geladeira, um fogão, qualquer bem que ele possa ter o desejo e que não tinha um recurso extra para receber; e outros até mesmo estão guardando dinheiro, aplicando na poupança, fazendo algum investimento para que possa usar esse recurso no futuro próximo para que ele possa guardar para ter uma economia. Então isso é muito importante, o que ajuda a economia é a circulação desse recurso, seja ele através da quitação de dívida, seja ele através da aquisição de algum bem que o trabalhador tenha desejo, ele vai ajudar especialmente a economia brasileira. Nós temos uma expectativa que ao final desse pagamento que é 31 de julho desse ano, que encerra o pagamento, nós tenhamos aí a oportunidade de ter um incremento no PIB brasileiro de 0,05%, isso é fundamental para a melhoria da economia, para a circulação desses recursos e para a retomada do crescimento brasileiro.

Nasi: Conversamos então com o Gilberto Occhi, presidente da Caixa Econômica Federal. Muito obrigado, presidente, pela participação aqui na Voz de Brasil

Presidente da Caixa, Gilberto Occhi: Obrigado a vocês e um bom trabalho a todos e um bom sábado com saques nas agências da Caixa Econômica Federal. Muito obrigado e boa noite.

Gláucia: A inflação do mês de maio ficou em 0,31%, o menor índice para os meses de maio, nos últimos dez anos.

Nasi: Nas redes sociais o presidente Michel Temer comentou que a economia dá mais um sinal de recuperação e que o poder de compra do brasileiro aumentou.

Gláucia: A queda do preço dos alimentos e transportes foi o que mais contribuiu para o resultado.

Repórter, José Luís Filho: Com variação de 0,31%, índice de preços ao consumidor amplo, considerada a inflação oficial do país, registrou o menor patamar para o mês de mês desde 2007 e no acumulado nos últimos 12 meses, o IPCA alcançou 3,60%, também o menor percentual dos últimos dez anos, e bem abaixo do centro da meta estipulada pelo Banco Central de 4,5% ao ano. Os números foram apresentados hoje pela coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes

Coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes: Está havendo um recuo bastante intenso em vários itens de consumo, o importante nas famílias.

Repórter, José Luís Filho: Os custos com alimentação e transporte foram os principais responsáveis pela variação de preço no mês passado com queda de preços de 0,42% o item transportes ajudou a segurar a inflação, os motivos foram a redução em relação a abril nos preços das passagens áreas, no valor dos automóveis e no litro de etanol, o motorista José Reis percebeu a diferença na hora de abastecer o carro.

Motorista, José Reis: Baixou, principalmente o carro, melhor para todos, né?

Repórter, José Luís Filho: Já o grupo alimentos e bebidas, responsável por um quarto das despesas das famílias, registrou queda de 0,35%. Quem vai às compras semanalmente nota a diferença principalmente em relação ao ano passado,

Consumidora: Deu para notar que agora que agora eles não estão subindo tanto como subia antigamente.

Consumidora: Eu acredito que as frutas estão mais em queda, equilibrou um pouquinho o preço.

Consumidor: Em comparação ao ano passado um pouquinho menor.

Repórter, José Luís Filho: A inflação só não teve uma variação menor em maio por conta do preço da energia elétrica que aumentou, 8,98% em relação a abril, mês em que as tarifas de energia tiveram descontos aplicados na Agência Nacional de Energia para compensar a cobrança indevida em 2016 no chamado encargo de energia reserva. Reportagem, José Luís Filho.

Nasi: A prefeitura de São Paulo vai receber aproximadamente R$ 25 milhões em ações do Governo Federal para combater a dependência química na cidade.

Gláucia: O anúncio da ajuda foi feito hoje pelo ministro do Desenvolvimento Social Osmar Terra em encontro com o prefeito João Dória.

Repórter, Carolina Graziadei: O apoio federal vai reunir ações na área da assistência social, saúde e segurança pública. O ministro Osmar Terra afirmou que é preciso unir esforços para enfrentar a epidemia de drogas.

Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra: Nós vamos trabalhar em conjunto com o Ministério da Saúde e com o Ministério da Saúde no tratamento de dependência química e oferecer vagas nos serviços para tratar dependência e também para oferecer vagas em abrigos, tirar essa população da rua, para ela ter uma oportunidade de ter uma qualidade de vida melhor.

Repórter, Carolina Graziadei: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra e o prefeito de São Paulo João Dória anunciaram nessa sexta-feira a adesão da capital paulista ao Criança Feliz. Com visitas semanais o programa vai ajudar as famílias com acompanhamento e orientação sobre a melhor maneira de estimular o desenvolvimento dos filhos. 120 mil crianças serão atendidas na cidade até 2018. O prefeito de São Paulo, João Dória afirmou que era inadmissível que a maior cidade do país ficasse fora de um programa com potencial de promover tantas mudanças na sociedade.

Prefeito de São Paulo, João Dória: Estamos integrados e multiplicando, se possível de curto e médio prazo o impacto desse programa na capital de São Paulo.

Repórter, Carolina Graziadei: O Ministério do Desenvolvimento Social também formalizou o repasse de R$ 3 milhões para incentivo à agricultura familiar por meio do Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA. A ideia é estimular e fortalecer iniciativas de produção orgânica em hortas urbanas. Reportagem, Carolina Graziadei.

Nasi: Na hora de comprar frutas e verduras você consegue optar pelo orgânico?

Gláucia: É, o consumo desses alimentos livres de agrotóxicos vem aumentando no país, prova disso é o aumento também do número de produtores Brasil afora.

Nasi: De 2013 pra cá mais que dobrou o número de unidades produtoras, são quase 15 mil registradas no Ministério da Agricultura.

Gláucia: E o governo federal tem várias ações que incentivam a comercialização desses produtos que também chegam à mesa de famílias de baixa renda e na merenda das crianças nas escolas públicas.

Repórter, Gabriela Noronha: A busca por alimentos saudáveis a cada dia ganha mais adeptos e os produtos orgânicos são opção certa para quem se preocupa com a saúde do próprio corpo e do meio ambiente, como é o caso de Glória Bona. A aposentada conta que há 15 anos só compra verduras e frutas livres de agrotóxicos.

Aposentada, Glória Bona: Você começa a fazer uma limpeza no seu organismo daquilo que você já ingeriu há algum tempo.

Repórter, Gabriela Noronha: Além de não usar agrotóxicos, a produção orgânica deve ser feita de forma que conserve os recursos naturais, garanta a biodiversidade e não tenha impactos ambientais, por isso sistemas agroflorestais que integram cultivos de alimentos com árvores são muito comuns nesse tipo de produção. No Centro Vocacional Tecnológico em Agroecologia e Agricultura Orgânica da Universidade de Brasília, estudantes e professores desenvolveram esse sistema para pesquisa. O brasiliense Marcelo Nicoline participou desse e de vários projetos da universidade quando era estudante, com os conhecimentos, ele realizou grande sonho de se tornar produtor de orgânicos.

Marcelo Nicoline: Eu queria comer um alimento saudável e ter a certificação, eu me certificar que eu estou comendo um produto alí de qualidade, poder realmente uma qualidade de vida pra mim primeiramente e depois pra isso, para a gente poder estar melhorando o planeta como um todo porque esse trabalho que a gente faz não é simplesmente para a gente ter alimento orgânico para a gente, é um trabalho que vai simples da produção orgânica.

Repórter, Gabriela Noronha: Outros grandes incentivos à produção de alimentos orgânicos no Brasil são o programa de aquisição de alimentos para distribuição de alimentos para creches e asilos e o programa nacional de alimentação escolar, sistemas de compras institucionais do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário em que os produtos orgânicos podem ter um acréscimo de até 30% em seu valor. Reportagem, Gabriela Noronha.

Gláucia: Dezenove horas, quinze minutos em Brasília.

Nasi: Você vai ouvir ainda nessa edição.

Gláucia: Novo tratamento para esclerose múltipla vai estar disponível no SUS.

Nasi: E vamos falar também dos perigos da automedicação.

Gláucia: O presidente Michel Temer participou hoje de uma cerimônia especial para a Marinha Brasileira.

Nasi: É a comemoração dos 152 anos da Batalha Naval do Riachuelo que marcou a vitória brasileira na Guerra do Paraguai em junho de 1865.

Gláucia: Em mensagem lida durante o evento pelo cerimonial, o presidente Temer exaltou a importância da Marinha para o país.

Presidente Michel Temer: A Marinha protege os principais meios de escoamento da produção nacional, a Marinha protege pague nosso vastíssimo litoral de importância estratégica no Atlântico Sul, a segurança dos mares e a segurança das hidrovias são indispensáveis para o desenvolvimento do país.

Nasi: O presidente Michel Temer e o Ministro da Defesa, Raul Jungmann entregaram ainda a Ordem do Mérito Naval que premia civis e militares que prestaram serviços relevantes à Marinha Brasileira.

Gláucia: Entre os homenageados estão o ministro do Planejamento, Diogo Oliveira, a advogada-geral da União, Grace Mendonça e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

Nasi: Todo mundo sabe da importância dos estudos, e é por isso que muita gente, por diversos motivos está aderindo à educação à distância.

Gláucia: Essa modalidade de ensino está crescendo no país e agora um decreto do Ministério da Educação vai permitir o surgimento de mais cursos desse tipo.

Nasi: É, e em breve a educação à distância poderá ser utilizada até no ensino fundamental.

Repórter, Luana Karen: Com o tempo disputado entre o trabalho, a maternidade, e as obrigações domésticas, Helena Coimbra viu na educação à distância o melhor caminho para o curso superior.

Helena Coimbra: Ele me abriu grandes experiências, foi uma modalidade de estudo muito mais brilhante no qual você precisa se dedicar muito mais.

Repórter, Luana Karen: O censo da educação superior feito pelo INEP mostra que a oferta de cursos à distância cresce 10% ao ano desde 2010, agora o Ministério da Educação regulamentou a oferta de ensino à distancia ampliando as possibilidades e facilitando o caminho para que mais cursos sejam oferecidos, é o explica Henrique Sartori, secretário de regulação e supervisão da educação superior do Ministério da Educação.

Secretário de regulação e supervisão da educação superior do Ministério da Educação, Henrique Sartori: Todos sabem que a modalidade da educação à distância evoluiu muito, não só as ferramentas, mas as plataformas com que hoje faz possível que as instituições exclusivamente AED existam e ofertem os cursos na sua, dentro da sua vocação e dentro do seu plano de desenvolvimento institucional.

Repórter, Luana Karen: As instituições poderão oferecer exclusivamente cursos à distância, sem precisar oferecer simultaneamente cursos presenciais. Zeli Ambros está à frente da diretoria de ensino à distância de um centro universitário de Brasília, com o decreto do MEC, Zeli acredita que mais pessoas terão acesso ao ensino superior pelo caminho do ensino à distância.

Diretora de ensino à distância, Zeli Ambros: Hoje nós temos o jovem e também a pessoa que procura uma segunda graduação, procura aprofundar os seus conhecimentos, ela trabalha, então ela não tem muitas vezes esse tempo de ficar na instituição, de segunda à sexta, de segunda à sábado, e isso permite realmente que seja um processo bem inclusivo.

Repórter, Luana Karen: O decreto do MEC também autoriza o ensino à distancia na educação fundamental nos casos em que o aluno esteja impedido de frequentar a sala de aula por problemas de saúde, por estar no exterior, se morar em local que não possua rede regular de ensino ou se estiverem privado de liberdade. Reportagem, Luana Karen.

Gláucia: Uma dor de cabeça, um resfriado, mal-estar, sintomas que fazem muita gente ir para a farmácia e comprar o primeiro medicamento que encontra.

Nasi: É, mas é preciso tomar cuidado, a automedicação representa um risco grande para a saúde.

Gláucia: Por isso o Sistema Nacional de Informações Toxicológicas trabalha em campanhas para conscientizar a população.

Repórter, Natália Melo: Nas farmácias a lista de remédios estampando as prateleiras é grande, muitos deles dispensam receita para a compra, uma tentação para quem busca alívio imediato dos sintomas.

Consumidor: Existem alguns medicamentos como analgésico, remédio para a gripe, alguma coisa assim que a gente compra sem receita mesmo, né?

Consumidor: Olha, quando é uma dor de cabeça simples, algo que a gente vê que pode resolver a gente vai direto na farmácia.

Repórter, Natália Melo: Mas não é só nos casos mais graves que o médico deve ser consultado, de acordo com a coordenadora do Sistema Nacional de Informações Toxicológicas, Rosany Bochner, a automedicação pode ser perigosa nas situações menos esperadas.

Coordenadora do Sistema Nacional de Informações Toxicológicas, Rosany Bochner: Um grande exemplo isso é a aspirana, que era um remédio supertranquilo, todo mundo usava e tal, mas na dengue você já vê o estrago que ele pode causar, então a gente vê que nenhum medicamento, ele é isento de perigo ou de problema.

Repórter, Natália Melo: A coordenadora lembra que os medicamentos são a principalmente causa de intoxicação no Brasil, são casos como ingestão por crianças, tentativas de suicídio, erro de administração dos medicamentos e prescrição médica inadequada. Uma das metas da Organização Ação Mundial de Saúde é reduzir em 50% os acidentes por intoxicação nos próximos cinco anos. Segundo Rosany Bochner, o Brasil já está fazendo a sua parte.

Coordenadora do Sistema Nacional de Informações Toxicológicas, Rosany Bochner: Pelo Conselho Federal de Farmácia que vem colocando essa posição mesmo do farmacêutico de ser uma função mais atuante junto com o consumidor.

Repórter, Natália Melo: Mais de 27 mil pessoas são vítimas de intoxicação por medicamentos todos os anos no Brasil, segundo dados do Sinitox. Reportagem, Natália Melo.

Nasi: Os pacientes diagnosticados com esclerose múltipla vão contar com uma nova opção de tratamento no Sistema Único de Saúde, o SUS.

Gláucia: A novidade vai estar disponível em até seis meses nas unidades de saúde do país para atender cerca de 12 mil pacientes que já recebem tratamento na rede pública.

Repórter, Beatriz Amiden: Subir e descer escada, atravessar a rua, passar por uma rampa, tudo isso é muito fácil para a maioria das pessoas, mas para a jornalista Rayssa Saraiva é um desafio, há três ela começou a perder o equilíbrio, cair e ficar com a visão borrada, foi assim que ela descobriu que tem esclerose múltipla, uma doença auto-imune que ainda não tem cura.

Jornalista, Rayssa Saraiva: É muito difícil porque a gente passa a adaptar muitas coisas, a gente tem que aprender de novo com muitas coisas e tem que levar.

Repórter, Beatriz Amiden: Para tratar a doença, Rayssa vai todos os meses no hospital para tomar medicação na veia que diminui as crises e previne e foi justamente pensando em pessoas como a Rayssa que o Ministério da Saúde incorporou ao sistema público o primeiro medicamento oral de primeira linha para tratar a esclerose múltipla, é a teriflunomida que ajuda a reduzir os surtos e a progressão da doença. Vânia Canuto, diretora de gestão e incorporação de tecnologia em saúde do Ministério da Saúde explica que esse remédio vai melhorar muito a qualidade de vida dos pacientes.

Diretora de gestão e incorporação de tecnologia em saúde do Ministério da Saúde, Vânia Canuto: Nesses 14 medicamentos, oito são orais, então vai haver uma alteração completa na forma de tratamento da esclerose múltipla.

Repórter, Beatriz Amiden: A possibilidade de um remédio oral com poucos efeitos colaterais é um ganho de qualidade de vida para os pacientes, além disso, melhora adesão ao tratamento, como explica o neurologista José Moreira dos Santos.

Neurologista, José Moreira dos Santos: O uso oral vai aumentar essa adesão ao tratamento e consequentemente um melhor controle da doença.

Repórter, Beatriz Amiden: E a novidade chegou como uma esperança na vida da Rayssa.

Jornalista, Rayssa Saraiva: Cada pessoa reage ao medicamento de forma diferente, por isso a variedade é essencial para o nosso tratamento.

Repórter, Beatriz Amiden: O medicamento vai estar disponível nas farmácias de alto custo do SUS em até seis meses. Reportagem, Beatriz Amiden.

Nasi: Unidades de Pronto Atendimento, UPAs, que estavam prontas e ainda não funcionavam começaram a atender essa semana em dez estados brasileiros.

Gláucia: São 14 unidades que vão receber do Ministério da Saúde um total de R$ 28,5 milhões por ano.

Nasi: Outras três unidades de sete estados que já estavam em funcionando começaram a receber recursos para a qualificação.

Nasi: As UPAs 24 horas têm capacidade de realizar cerca de 130 mil atendimentos diários a mais de R$ 100 milhões de brasileiros. Atualmente existem mais de e as unidades funcionando em todo o país.

Nasi: O estado de Pernambuco vai receber recursos para obras voltadas ao abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de águas da chuva e manejo de resíduos sólidos.

Gláucia: O anúncio foi feito hoje pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo em Caruaru.

Nasi: O Governo Federal vai destinar R$ 335 milhões para 34 obras em 13 municípios pernambucanos.

Gláucia: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da presidência da República.

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e bom fim de semana!

Gláucia: Boa noite para você e até segunda!

"Brasil, Ordem e Progresso".