15/02/17 - A Voz do Brasil

E vamos ao destaque do dia: 200 mil toneladas de milho vão atender pequenos produtores do nordeste. E presidente Michel Temer diz que governo tem atenção especial a região, castigada pela seca! E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje: Novas regras vão ajudar pequenos produtores a formalizar e vender seus produtos. Reforma da previdência: governo defende no Congresso proposta para garantir aposentadorias no futuro. E vamos responder dúvidas dos nossos ouvintes sobre o saque do FGTS de contas inativas.

audio/mpeg 15 02 17.mp3 — 11248 KB




Transcrição

A VOZ DO BRASIL – 15/02/2017


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19h00.

Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.

Gláucia: Boa noite.

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

Gláucia: Quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017.

Airton: E vamos ao destaque do dia: 200 mil toneladas de milho vão atender pequenos produtores do Nordeste.

Gláucia: E o presidente Michel Temer diz que governo tem atenção especial à região castigada pela seca.

Presidente Michel Temer: Este é um governo que também está ao lado dos pobres do Nordeste e de todo o Brasil. Embora nós tenhamos como lema a história da responsabilidade fiscal, nós não nos esquecemos daqueles mais carentes do nosso país.

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...

Gláucia: Novas regras vão ajudar pequenos produtores a formalizar e vender seus produtos. Natália Koslyk.

Repórter Natália Koslyk: A ideia é facilitar as condições de produção para os pequenos produtores de laticínios, mel e ovos.

Airton: Reforma da Previdência. Governo defende no Congresso proposta para garantir aposentadorias no futuro.

Gláucia: E vamos responder dúvidas dos nossos ouvintes sobre o saque do FGTS de contas inativas.

Airton: A Voz do Brasil de hoje, na apresentação de Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

Gláucia: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

Airton: Nos últimos anos, dezenas de municípios nordestinos têm enfrentado uma forte seca, o que prejudica severamente as plantações e rebanhos de pequenos produtores.

Gláucia: É, até que a água chegue para normalizar a situação, o governo federal tem tomado medidas para amenizar os efeitos da estiagem.

Airton: Hoje foi anunciada a venda dos estoques de milho para que os produtores consigam manter a alimentação dos rebanhos.

Repórter Mara Kenupp: O socorro para criadores e agroindústrias de pequeno porte que sofrem com a seca prolongada, principalmente no Nordeste, veio numa cerimônia no Palácio do Planalto: a liberação de milho dos estoques do governo para a venda. No início, a Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, previu 140 mil toneladas, mas o próprio presidente Michel Temer autorizou mais 60 mil.

Presidente Michel Temer: Nós autorizamos 140 mil toneladas de milho para o Nordeste. Eu quero neste ato autorizar mais 60 mil toneladas, portanto, perfazendo 200 mil toneladas de milho para o Nordeste.

Repórter Mara Kenupp: A expectativa do governo é beneficiar cerca de 45 mil pequenos produtores de aves, suínos, bovinos, ovinos, bubalinos, além de agroindústrias de pequeno porte, e, assim, garantir o abastecimento para a alimentação do rebanho. Segundo o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, a seca severa na região tem castigado bastante.

Governador de Pernambuco - Paulo Câmara: O que hoje está sendo anunciado aqui é muito importante na geração de renda e de emprego num momento também em que nós estamos vivendo.

Repórter Mara Kenupp: A previsão do embarque do milho do CentroOeste para o Nordeste é para o início de março. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, disse que o preço do milho será acessível.

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: A Conab venderá esse milho a preço de balcão a R$ 30,00 ou a R$ 33,00, dependendo de onde está a posição desse milho.

Repórter Mara Kenupp: O presidente Michel Temer disse que há uma prioridade em relação à situação no Nordeste.

Presidente Michel Temer: O nosso objetivo é chegar a quem mais precisa e sem muita burocracia, né? Embora governemos para todo o país, há uma prioridade em função do Nordeste. Como já fizemos com BolsaFamília, com Minha Casa, Minha Vida, atos que visam o bemestar, a prosperidade de todos.

Repórter Mara Kenupp: O interessado em comprar o milho deve se cadastrar junto à regional da Conab e apresentar documentos. Reportagem, Mara Kenupp.

Gláucia: E a cada 10 empregos gerados no Brasil, três são relacionados à agricultura. O setor também é responsável por mais de 20% do PIB, o Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país.

Airton: A importância do setor foi lembrada pelo presidente Michel Temer durante a posse do novo presidente da Frente Parlamentar Agropecuária, deputado Nilson Leitão.

Gláucia: É, a Frente reúne um grupo de deputados ligados à agropecuária e o presidente Michel Temer pediu mais uma vez o apoio dos deputados para continuar a aprovar reformas importantes para o país.

Repórter Eduardo Biagini: No evento, o presidente Michel Temer afirmou que a Frente Parlamentar Agropecuária tem apoiado as ações do governo e que considera a Frente produtiva por reunir deputados que participam da atividade que é a base da economia responsável por mais de 20% de tudo que é produzido no Brasil.

Presidente Michel Temer: Quando nós no governo dizemos que o Brasil tem rumo, a primeira direção para a qual olho é exatamente a agricultura, o agronegócio.

Repórter Eduardo Biagini: Temer também falou sobre a estimativa recorde da safra atual, com mais de 215 milhões de toneladas, e da previsão de uma grande safra para o ano que vem. O presidente disse que o governo pretende, assim como já vem ocorrendo na agricultura, tornar mais simples o sistema tributário do Brasil.

Presidente Michel Temer: Nós queremos simplificar o sistema tributário do país, nós queremos desburocratizar, como fez o Blairo Maggi, no Ministério da Agricultura. E, para isso, nós precisamos de contar de apoio, e, mais do que apoio, nós precisamos contar com entusiasmo.

Repórter Eduardo Biagini: Temer lembrou das reformas já aprovadas com o apoio do Congresso em sete meses de governo, como o teto de gastos públicos e a reforma do ensino médio. O presidente afirmou que conta com os deputados da Frente para continuar a aprovar as reformas necessárias para o Brasil, como a da Previdência Social e a modernização da legislação trabalhista. Reportagem, Eduardo Biagini.

Airton: É, e para os pequenos produtores têm novas regras que vão abrir mercados para os seus produtos?

Gláucia: É que agora quem produz laticínios, ovos e mel de forma artesanal, ou melhor, em pequena produção, vai ter normas menos rígidas para produzir e, assim, formalizar o negócio.

Airton: Isso significa mais facilidade para vender a produção.

Repórter Natália Koslyk: Pequenos produtores de laticínios, ovos e mel vão ficar mais competitivos. As regras que orientavam a produção foram flexibilizadas e agora os donos de pequenos negócios terão mais facilidades, como ressaltou o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: Foram feitas 37 mudanças na instrução normativa, criando as condições para que essas pequenas indústrias possam ir para o mercado. Tudo isso está dando a condição para que as pequenas indústrias no interior do Brasil, dos municípios, possam vender para outro município, possam circular com a mercadoria dentro de estado e até em outros estados também.

Repórter Natália Koslyk: Luís Carlos Córdovas mora no interior do município catarinense de Lages. Agricultor familiar e produtor de queijo, acredita que a mudança na legislação vai ajudar os pequenos a se desenvolverem.

Agricultor Familiar e Produtor de Queijo - Luís Carlos Córdovas: É bom, sim, porque antes as leis que eram exigidas eram muitos fortes, rigorosas. Hoje já têm outros caminhos que a gente pode fazer, né?

Repórter Natália Koslyk: João Mello Miranda também é produtor de queijo em Santa Catarina, no município de Painel. Para ele a burocracia era o maior impedimento para os pequenos produtores entrarem no mercado formal.

Produtor de Queijo - João Mello Miranda: A aprovação dessas medidas do governo só vem a nos ajudar, que a burocracia era muito forte, né?

Repórter Natália Koslyk: As mudanças flexibilizam as exigências de alguns equipamentos e instalações, sem abrir mão dos padrões higiênicos e sanitários, preservando a segurança dos alimentos e a saúde pública. Reportagem, Natália Koslyk.

Gláucia: Foram publicadas também novas regras para a renegociação de dívidas de agricultores sob gestão da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba, a Codevasf, e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, Dnocs.

Airton: A portaria do Ministério da Integração Nacional beneficia cerca de 12 mil agricultores atingidos pela seca prolongada em regiões do semiárido.

Gláucia: É, a renegociação é válida para parcelas de dívidas vencidas entre 31 de dezembro de 2006 e 31 de dezembro de 2011. Os descontos variam de 15% a 95%.

Airton: É, e começaram hoje as audiências públicas que vão discutir a reforma da Previdência.

Gláucia: Os deputados da comissão especial ouviram o ministrochefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o secretário de Previdência, Marcelo Caetano. Eles afirmam que a reforma é essencial para que no futuro todos que tenham direito possam receber aposentadoria.

Repórter Paulo La Salvia: O Brasil precisa se adequar às melhores práticas internacionais. Esta foi uma das mensagens do secretário de Previdência Social, Marcelo Caetano, na comissão especial que discute a reforma na Câmara. Um exemplo é a idade mínima para se aposentar. Segundo Marcelo Caetano, o Brasil é um dos poucos mais do mundo que não tem esta regra, proposta agora com a reforma. Caetano ainda apresentou outro problema: as contas do sistema. Caso a reforma não seja aprovada, elas vão aumentar.

Secretário de Previdência Social - Marcelo Caetano: O gasto do INSS com a proporção do PIB, ele está flutuando aí na faixa de 8%. Com o processo de envelhecimento populacional no ritmo que a gente vê, quer dizer, esse gasto vai subir para 17%, 18% do PIB daqui a quatro décadas mais ou menos. Então, quer dizer, quando a gente faz essa discussão, tem uma questão de olhar para a fotografia, para o presente, e olhar para o futuro, quer dizer, ainda que possa haver discussões a respeito da fotografia, o futuro está aí pela questão do envelhecimento populacional.

Repórter Paulo La Salvia: O ministrochefe da Casa Civil também falou aos deputados. Disse que o saldo negativo nas contas da Previdência Social foi de R$ 227 bilhões no ano passado, quatro vezes maior do que o orçamento da cidade de São Paulo, a mais rica do país. Eliseu Padilha afirmou ainda que a reforma respeita os direitos adquiridos e os aposentados não vão ser prejudicados. Padilha ainda lembrou que as mudanças propostas vão valer para servidores públicos, políticos e trabalhadores da iniciativa privada.

Ministro-Chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Nós estamos buscando a fazer com que todos os brasileiros tenham as mesmas regras para a Previdência Social: o Regime Geral da Previdência, o Regime dos Deputados e Senadores e o Regime dos Servidores Públicos terão as mesmas premissas, as mesmas bases.

Repórter Paulo La Salvia: No Palácio do Planalto, em evento com produtores rurais, o presidente Michel Temer defendeu que se a reforma não for feita agora as próximas gerações vão ser prejudicadas.

Presidente Michel Temer: Porque quando se fala em Previdência, as pessoas, quem tem 20 anos, 22 anos, diz: “Isso não é comigo, porque lá para frente é que eu vou pensar em aposentadoria”. Mas não é bem assim, não. Se os cofres da Previdência estiverem, vamos dizer, vulnerados como estão nos dia de hoje, mais adiante o prejudicado não será apenas o aposentado; será aquele que hoje tem o financiamento estudantil, aquele que tem as benesses do governo para fins sociais, porque estes jovens talvez não tenham como continuar nos trabalhos que fazem se o país for à bancarrota, for à falência.

Repórter Paulo La Salvia: A comissão especial ainda tem em seu cronograma pelo menos sete audiências públicas e um seminário internacional para discutir a reforma da Previdência. A ideia é ouvir representantes dos mais variados segmentos da sociedade. Reportagem, Paulo La Salvia.

Airton: O portavoz da presidência da República, Alexandre Parola, disse, nesta terçafeira à noite, que o presidente Michel Temer recebeu com tranquilidade a decisão do Supremo Tribunal Federal, o STF, em manter a nomeação de Moreira Franco como ministro da SecretariaGeral da Previdência.

Gláucia: Relator de uma ação que contestava a nomeação de Moreira Franco, o ministro Celso de Mello entendeu que a situação não pode ser encarada como obstrução de Justiça. 19hs13min, no horário brasileiro de verão.

Airton: Ontem saiu o calendário para saque do FGTS de contas inativas.

Gláucia: E daqui a pouquinho vamos tirar dúvidas de muitos ouvintes que querem saber como retirar o dinheiro.

Airton: E como a gente ouviu hoje aqui na Voz do Brasil, a agricultura deve ter safra recorde.

Gláucia: É, e muito do que produzimos é exportado, sai do país pelos nossos portos.

Airton: Se o trabalho por lá for eficiente, garantimos competitividade à frente de outros países. Ao contrário, acabamos perdendo clientes.

Gláucia: E um relatório divulgado hoje mostra o desempenho desses terminais no ano passado. Para o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, investimentos no setor portuário são prioridade para o governo.

Repórter José Luiz Filho: Quase um trilhão de toneladas. Esta foi a quantidade de mercadorias que passou pelos portos brasileiros no ano passado. Cerca de 630 milhões de toneladas só em granéis sólidos como soja, milho e açúcar. Os números estão no Relatório de Desempenho Aquaviário de 2016, e é importante para que as empresas que utilizam os serviços portuários tenham informações para planejar investimentos e, assim, aumentar as chances de crescer com menos percalços. O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, disse que o governo federal trabalha para dar mais eficiência aos portos brasileiros com ações como a concessão de terminais à iniciativa privada. Maurício Quintella Lessa também citou os investimentos do governo federal na melhora da infraestrutura dos portos.

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - Maurício Quintella Lessa: Só esse ano nós assinamos contratos no valor de R$ 800 milhões para as dragagens dos portos de Santos, Itajaí, em Santa Catarina, e Paranaguá, no Paraná. Já estamos dragando o porto de Vitória e neste primeiro trimestre vamos concluir a dragagem do porto do Rio de Janeiro. E teremos, ainda em 2017, as dragagens de Maceió, lá em Alagoas, e de Fortaleza, no Ceará. Como resultado desse processo de dragagem nós teremos, sem dúvida nenhuma, maior possibilidade de navios de grande porte acessarem os portos, uma melhora da capacidade, da capacidade, uma melhoria do preço de frete. Os portos brasileiros ganham em competitividade.

Repórter José Luiz Filho: Segundo o ministro dos Transportes, a modernização do sistema portuário brasileiro é uma das prioridades do governo federal para que o país consiga aumentar a eficiência e a competitividade no comércio mundial. Reportagem, José Luiz Filho.

Airton: Programas do governo federal para a educação devem ser reajustados. Isso foi o que garantiu, hoje, o ministro da Educação, Mendonça Filho.

Gláucia: É, depois do aumento nos recursos para a merenda escolar, o Ministério da Educação vai rever o programa de transporte escolar e fornecer mais ônibus.

Repórter Bruno Romeu: O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou que alguns programas do MEC terão reajustes em 2017. O anúncio foi feito em audiência com prefeitos do interior de São Paulo na sede do Ministério, em Brasília. No encontro, o ministro ressaltou a importância das parcerias entre o MEC e os estados e municípios, programas essenciais da pasta como, por exemplo, o de merenda escolar, que recentemente foi reajustado em mais de R$ 400 milhões. Mendonça Filho aproveitou para anunciar que em breve outro programa de destaque do MEC também será reajustado.

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Brevemente a gente deve estar anunciando também reajuste com relação ao PNATE, que é o Programa Nacional de Transporte Escolar, que também está defasado e acumulando uma defasagem histórica.

Repórter Bruno Romeu: O ministro lembrou Aos prefeitos presentes no encontro que o Ministério da Educação vai avaliar a possibilidade de aumento no fornecimento de novos ônibus escolares do Programa Caminhos da Escola. Reportagem, Bruno Romeu.

>> “Você na Voz do Brasil”.

Airton: Hoje foi publicado no Diário Oficial da União as regras para o saque do FGTS de contas inativas.

Gláucia: É, e tem muita gente com dúvida. De ontem para hoje a nossa equipe recebeu inúmeras perguntas dos ouvintes querendo ter mais informações sobre o Fundo de Garantia.

Airton: Então, vamos conversar de novo hoje com o jornalista Nazi Brum, que está aqui no estúdio e vai ajudar a gente a entender melhor esse assunto. Nazi, boa noite.

Repórter Nazi Brum: Boa noite, Airton. Boa noite, Gláucia. Boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Bem, vamos começar com a pergunta do Carlos Leandro, lá de Niterói, no Rio de Janeiro. Vamos ouvir.

Ouvinte da Voz do Brasil - Carlos Leandro: Eu sou o Carlos Leandro, de Niterói. Eu gostaria de saber como eu sei se eu tenho algum FGTS ainda inativo para receber.

Repórter Nazi Brum: Então, Carlos, para ajudar pessoas como você, a partir de hoje todas as agências da Caixa Econômica Federal estão abrindo duas horas mais cedo. Esse horário também vai ser ampliado amanhã e sextafeira. Além disso, nesse sábado mais de 1.800 agências também vão abrir para atender os trabalhadores interessados em retirar o saldo de contas inativas do FGTS.

Gláucia: E, Nazi, reforça aí para a gente, por favor, quem tem direito a sacar esse dinheiro.

Repórter Nazi Brum: Bom, Gláucia, quando o trabalhador é contratado com carteira assinada é aberta uma conta do FGTS. Se ele pede demissão essa conta fica inativa. O saldo que pode ser sacado a partir do mês que vem é o das contas que ficaram inativas até dezembro de 2015. Agora, a Adriana, lá de Montes Claros, em Minas Gerais, mandou uma dúvida importante aqui para a gente.

Ouvinte da Voz do Brasil - Adriana: Eu gostaria de saber se o trabalhador vai receber todo o valor inativo ou tem algum limite por pessoa.

Repórter Nazi Brum: Olha, Adriana, não tem limite para sacar. O dinheiro de todas as contas inativas em seu nome vai poder ser retirado. E, como eu falei agora há pouco, essas contas devem estar inativas até dezembro de 2015.

Airton: E também tem um calendário aí, não é mesmo, Nazi? Cada trabalhador vai ter uma data para sacar o dinheiro, não é isso mesmo?

Repórter Nazi Brum: É sim, Airton. No dia 10 de março começa o prazo para quem nasceu em janeiro e fevereiro. Quem faz aniversário nos meses de março, abril e maio vai poder sacar o FGTS a partir de 10 de abril. Quem faz aniversário em junho, julho e agosto recebe a partir do dia 12 de maio. Já os aniversariantes de setembro, outubro e novembro recebem a partir de 16 de junho. E, por fim, quem faz aniversário em dezembro recebe a partir do dia 14 de julho. O prazo para o saque de todo mundo vai até 31 de julho.

Gláucia: Agora, Nazi, o Wendel Silva, de Rio do Sul, em Santa Catarina, também tem uma pergunta importante. Vamos ouvir.

Ouvinte da Voz do Brasil - Wendel Silva: A dúvida que eu tenho é: poderemos ou têm formas de transferir o dinheiro dos recursos do FGTS para uma conta poupança federal?

Repórter Nazi Brum: Olha, Wendel, essa dúvida quem vai te responder é o presidente da Caixa, Gilberto Occhi. Vamos ouvir.

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Occhi: No primeiro dia do calendário, os clientes da Caixa que tiverem conta de poupança individual receberão o seu crédito imediato. Se ele tiver uma conta corrente, ele vai ter que ir no www.caixa.gov.br/contasinativas e ele vai poder autorizar ali o crédito na sua conta corrente na Caixa, mesmo que ela seja uma conta conjunta.

Repórter Nazi Brum: Agora, é bom reforçar que para quem é correntista da Caixa esse depósito vai ser feito automaticamente, sempre no primeiro dia do calendário do trabalhador. Para quem tem conta em outros bancos, aí vai ser necessário a retirada do dinheiro nas agências ou nos caixas de atendimento e lotéricas para quem tem um Cartão Cidadão. Nós fomos às ruas e tem muita gente animada com esse dinheiro extra que vai entrar nos próximos meses. Vamos ouvir.

Entrevistado: É um dinheiro que você não pode fazer nada, entendeu, que fica preso. Vindo agora é numa hora excelente.

Repórter Natália Mello: Vai usar para quê?

Entrevistado: Rapaz, para pagar conta.

Entrevistada: Quitar dívida, colocar alguma coisa em dia. O salário só não está dando.

Airton: E é verdade, hein? Trinta milhões de brasileiros devem sacar dinheiro nas contas inativas. É muita gente mesmo, hein?

Gláucia: Sem dúvida, Airton. Quarenta bilhões devem aquecer a economia do país nos próximos meses. Nazi, muito obrigada pelas informações, ao vivo, aqui com a gente na Voz do Brasil. 19hs21min, no horário brasileiro de verão.

Airton: Uma mancha de pele, fungos entre os dedos e até um câncer. Ir à praia e pegar aquele sol é gostoso, mas sempre cuidando da saúde, porque as doenças de pele crescem no verão.

Gláucia: E nós conversamos com uma dermatologista que fala sobre algumas doenças mais comuns nesse período e também dá dicas para que você possa se prevenir.

Repórter Natália Mello: Ítalo trabalha numa barraca em uma praia no Rio de Janeiro. São horas caminhando embaixo do sol todos os dias. O vendedor diz que conhece os riscos que o sol pode trazer à saúde, e com tanta exposição ao calor diariamente ele diz que está prevenido.

Vendedor - Ítalo: Muito protetor solar, muita água, suco.

Repórter Natália Mello: O excesso de sol é a principal causa de doenças de pele, e de acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Dermatologia, apenas 23% da população usa protetor solar diariamente. Por isso os médicos alertam: na hora de curtir o verão todo cuidado com o sol é pouco. A chefe do Departamento de Dermatologia do Hospital Federal de Ipanema, Márcia Senra, cita as principais queixas dos pacientes durante o período.

Chefe do Departamento de Dermatologia do Hospital Federal de Ipanema - Márcia Senra: Manchas, é muito comum por causa da estética o melasma. Então, esse melasma, você trata e quando chega no verão ele piora novamente, porque ele acende novamente só por ter luz solar, né?

Repórter Natália Mello: Têm ainda as doenças causadas pelos fungos, que, segundo a dermatologista, são mais comuns durante o verão, como a micose.

Chefe do Departamento de Dermatologia do Hospital Federal de Ipanema - Márcia Senra: É, você fica mais vulnerável porque o fungo gosta de área quente e úmida. Então, se você fica passando a linha e o dedo úmido entre os dedos, na virilha, isso aí propicia maior instalação do fungo, ele adora.

Repórter Natália Mello: E para que essas doenças não tenham chance durante o verão os dermatologistas dão algumas dicas, como secar bem o corpo após o banho, não andar descalço no chão úmido e evitar usar sapatos muito fechados durante o dia inteiro de calor. É importante também evitar o sol entre 10h00 e 16h00 e aplicar o filtro solar a cada duas horas. A exposição solar sem proteção é responsável ainda pelo tipo de câncer mais frequente no Brasil, o não-melanoma. A Dra. Márcia Senra fala sobre a doença.

Chefe do Departamento de Dermatologia do Hospital Federal de Ipanema - Márcia Senra: É, a preocupação maior é com o câncer de pele. Pode surgir de uma pinta, de um sinal que já existia, ou ele pode, pelas exposições sucessivas, aparecer.

Repórter Natália Mello: A estimativa do Inca é de 175 mil novos casos de câncer de pele não-melanoma a cada ano. Reportagem, Natália Mello.

Airton: Essas foram as notícias do governo federal.

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Airton: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, a notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

Gláucia: Boa noite para você e até amanhã.