19 DE JUNHO DE 2017

Presidente Michel Temer está a caminho da Rússia e vai apresentar o Brasil para atrair mais investimentos e gerar empregos. Antes de embarcar, presidente Temer veta propostas que reduziam áreas de florestas nacionais. Cai número de acidentes nas rodovias durante o feriado.

audio/mpeg 19-06-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 46803 KB




Transcrição


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Airton: Olá. Boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Airton: 19 de junho de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque dessa segunda-feira: Presidente Michel Temer está a caminho da Rússia e vai apresentar o Brasil para atrair mais investimentos e gerar empregos.

 

Presidente da República - Michel Temer: Buscarei investimentos nas áreas de petróleo e gás, farei avançar o negócio da agricultura, buscarei trazer novas tecnologias e ampliar nossos contatos com o mercado europeu.

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Presidente Temer veta propostas que reduziam áreas a florestas nacionais.

 

Airton: Cai o número de acidentes nas rodovias durante a feriado. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: A Polícia Rodoviária Federal contabilizou 230 acidentes graves, redução de 20,7%. Também houve queda de 37% no número de mortes.

 

Gláucia: E vamos falar do início do pagamento do Bolsa Família. Mais de 13 milhões de famílias vão receber o benefício.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Airton: O Presidente Michel Temer está neste momento a caminho de Moscou, capital da Rússia.

 

Gláucia: Na agenda, reuniões com autoridades, investidores russos, com o objetivo de estreitar as relações entre os dois países. Relação que hoje já movimenta mais de US$4 bilhões.

 

Airton: Antes de embarcar, Temer divulgou nas redes sociais uma mensagem reforçando a importância dessa visita, que pode render bons acordos para o nosso país.

 

Presidente da República - Michel Temer: Terei encontro em Moscou com autoridades e empresários. Buscarei investimentos nas áreas de petróleo e gás, farei avançar negócios na agricultura, buscarei trazer novas tecnologias em setores estratégicos e ampliar nossos contatos com o mercado europeu, onde existem grandes oportunidades para vários setores produtivos do nosso país.

 

Gláucia: E na lista dos países que compram produtos brasileiros, a Rússia ocupa a 16 posição.

 

Airton: Por outro lado, o país também é 12 entre os que mais vendem para o Brasil.

 

Gláucia: É por isso que a Rússia é um considerada um parceiro comercial importante.

 

Airton: A repórter Taíssa Dias já está em Moscou, onde vai acompanhar a visita do presidente Temer, e preparou uma reportagem especial para mostrar para a gente como essa parceria já rendeu e ainda pode render bons frutos.

 

Repórter Taíssa Dias: O formato e o colorido das igrejas católicas ortodoxas, predominantes na Rússia, é diferente do que se vê no Brasil, parecem castelos. Outra diferença é o frio, mesmo na chegada do verão ainda tem gente andando de casaco pelas ruas de Moscou. No primeiro olhar é fácil encontrar muitas diferenças entre Brasil e Rússia, mas também há bastante em comum. Uma das semelhanças é o gosto pela carne, motivo de uma das principais fontes de comércio entre os dois países. Em 2016 o Brasil exportou para a Rússia mais de US$1 bilhão em carnes, suína, bovina e frango, e a parceria, que também se estende a outros produtos agropecuários, está sendo ampliada, é o que afirma o secretário-executivo do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki.

 

Secretário-executivo do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento: Eumar Novacki: Nós vendemos muito para a Rússia carne suína, soja, carne bovina, açúcar, frango, por outro lado, compramos waffles, que é especialidade da Rússia, farinha da batata, enfim, e alguns outros produtos de origem animal. Mas nós demos também um passo importante agora porque entendemos que o comércio é uma via de mão dupla, quem quer vender mais, tem que estar disposto a comprar.

 

Repórter Taíssa Dias: É, e ampliar esse mercado é exatamente um dos motivos da visita do Presidente Michel Temer a Moscou. Além da visita oficial, ele deve participar de um encontro com investidores russos. Uma agenda, que segundo o economista da Escola Nacional com Administração Pública, José Luiz Pagnussat, sinaliza positivamente para o comércio entre os dois países.

 

Economista da Escola Nacional com Administração Pública - José Luiz Pagnussat: Produzir mais para exportar, significa gerar emprego aqui para os produtos que são comprados lá fora. Então, exportar é importante. E abrir mercado, se abre com presidente indo visitar os países. E a Rússia, em especial, é um mercado extremamente importante e estável. Daí a visita, do ponto de vista político, não só econômico, ser importante.

 

Repórter Taíssa Dias: Diálogo é a palavra-chave e o Brasil já vem estreitando essa relação com o mercado russo. A indústria de calçados é uma das beneficiadas. A gestora de projetos da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, Roberta Ramos, conta que uma recente missão brasileira de empresários do setor gerou expectativa de negócios de US$4 milhões para este ano.

 

Gestora de projetos da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados - Roberta Ramos: A Rússia é um mercado que importa muito, importa quase metade ou um pouco mais que a metade do que é consumido no país. Só que dessa importação, que é algo equivalente a R$400 milhões, 80% disso vem da gente. Então, a gente tem muito espaço para o calçado brasileiro.

 

Repórter Taíssa Dias: E não é só uma questão comercial. Para o professor de relações internacionais da Universidade Católica de Brasília, Cleomar de Souza, a visita do Presidente Michel Temer a Moscou é uma nova estratégia de relações com outros países, abrindo portas em todos os continentes.

 

Professor de relações internacionais da Universidade Católica de Brasília - Cleomar de Souza: Tem também esse aspecto de vender uma imagem de um Brasil que é multilateral e não apenas de uma cooperação muito baseada em cadastro no hemisfério pela metade.

 

Repórter Taíssa Dias: Além de empresários, Michel Temer também terá encontros com o presidente da Rússia, Vladimir Putin e autoridades do executivo e legislação russos. De Moscou, capital da Rússia, Taíssa Dias.

 

Gláucia: Começou o pagamento do Bolsa Família do mês de junho.

 

Airton: Ao todo estão sendo liberados mais de R$2 bilhões e R$300 milhões pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

 

Gláucia: Mais de 13 milhões de famílias recebem o benefício em todo o país.

 

Repórter Carolina Graziadei: A Natália Cruz é mãe de dois filhos e diarista. O Bolsa Família ajuda a complementar a renda e a garantir a alimentação dos filhos.

 

Diarista - Natália Cruz: Para mim é um dinheiro, assim, que vem sempre na hora certa. E ele também é um dinheiro abençoado, viu? Porque ele rende. Dá para mim comprar o arroz, feijão, o leite do meu filho, a fruta dos meus filhos. Então, para mim ele faz muita diferença. Se não fosse ele eu não saberia nem como é que eu criava as minhas crianças.

 

Repórter Carolina Graziadei: O Ministério também está criando um programa que vai proporcionar a inclusão produtiva dos beneficiários do Bolsa Família. Eles vão ser capacitados e orientados para terem melhores condições no mercado do trabalho ou até mesmo montarem o negócio próprio. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, explica que a ação ajudar as famílias a vencerem os ciclos de pobreza.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Aquelas que puderem ir evoluindo dentro do programa, ter sua própria renda, seu emprego, né? E não precisar mais do benefício do Bolsa Família, deverão ser mais apoiadas do que são.

 

Repórter Carolina Graziadei: Para saber o dia em que poderá sacar o benefício é só conferir o Número de Identificação Social, o NIS, que está impresso do cartão do programa. Os que terminam com final um podem sacar no primeiro dia do pagamento, os com final dois, no segundo dia, e assim por diante. Os recursos ficam disponíveis para saque por um período de três meses. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Airton: Vinte por cento a menos de acidentes graves e 37% a menos de mortes em comparação ao feriado do ano passado.

 

Gláucia: Este é o balanço da Operação Corpus Christi, da Polícia Rodoviária Federal. O repórter Nei Pereira tem os detalhes.

 

Repórter Nei Pereira: De 14 a 18 de junho, período do feriadão de Corpus Christi, a Polícia Rodoviária Federal contabilizou 230 acidentes graves em rodovias federais, contra 290 registrados em 2016, redução de 20,7%. Também houve queda de 37% no número de mortes, foram 74 este ano contra 118 no ano passado. Para diminuir acidentes e mortes durante o feriadão, a PRF reforçou o efetivo nos trechos com maior incidência de acidentes nas rodovias de todo o país. Durante os cinco dias, policiais rodoviários federais realizaram mais de 47 mil testes de alcoolemia, os chamados testes de bafômetro, que resultaram em 941 autos de infração por embriaguez. A PRF apreendeu ainda quase 3 toneladas de maconha, 84 armas de fogo, mais de 2.600 munições e recuperou 80 veículos. Ao todo, mais de 132 mil pessoas foram fiscalizadas durante o feriadão. Nei Pereira para a Voz do Brasil.

 

Airton: Os trabalhadores com direito a abono salarial do PIS/Pasep, referente a 2015, têm menos de 15 dias para ir a uma agência bancária e sacarem o benefício.

 

Gláucia: A gente vai saber quem tem direito e o que deve fazer no quadro de hoje Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Mirna Aledo: Trabalhadores inscritos do PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e que trabalharam pelo menos 30 dias no ano de 2015 com remuneração mensal de até dois salários mínimos, têm direito ao abono salarial. O valor é proporcional ao tempo que a pessoa trabalhou com Carteira assinada em 2015. Quem trabalhou o ano inteiro vai receber o valor integral, que é de um salário mínimo. O saque pode ser feito até o dia 30 de junho. Quem for da iniciativa privada deve retirar o dinheiro em uma agência da Caixa Econômica Federal, já os servidores públicos precisam se dirigir a uma agência do Banco do Brasil. Para saber se você tem direito ao abono salarial, ligue para a central de atendimento Alô Trabalho, do Ministério do Trabalho, que atende pelo número 158 ou acesse o site: www.trabalho.gov.br. Mirna Aledo para a Voz do Brasil.

 

Gláucia: 19h11 em Brasília.

 

Airton: Daqui a pouco vamos falar dos vetos do Presidente Michel Temer a medidas que poderiam reduzir áreas de florestas.

 

Gláucia: Nós conversamos com o presidente do Instituto Chico Mendes, que detalha medida para garantir a preservação da Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará.

 

Airton: Pequenos criadores podem comprar ração mais barata do que compram no mercado.

 

Gláucia: É o programa Vendas Em Balcão da Conab, que está com novas regras para aumentar o acesso de produtores, principalmente do Norte e Nordeste.

 

Repórter Alessandra Bastos: Em uma chácara no Distrito Federal, a veterinária Joana Denise Vasconcelos tem criação de gado e usa o milho como ração para os animais. O depósito tem 80 sacas de milho que garantem a alimentação de 200 vacas por 15 dias. O milho foi comprado na Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, por meio do programa Vendas Em Balcão, que repassa a pequenos criadores produtos mais baratos que no mercado. Segundo Joana Vasconcelos, uma boa economia mensal.

 

Veterinária - Joana Denise Vasconcelos: A principal vantagem que a fazenda vê em comprar o milho mais em conta é que o no final do mês a gente consegue economizar bastante com a alimentação das vacas.

 

Repórter Alessandra Bastos: Este ano o programa de Vendas Em Balcão mudou algumas regras para abranger mais produtores, principalmente do Norte e Nordeste, onde o preço da saca é de R$33,00. Agora, para fazer parte, é preciso estar no Sican, o Sistema De Cadastro Nacional De Produtores Rurais. De acordo do superintendente de abastecimento social da Conab, Nilton Araújo Silva Junior, houve alteração também no limite de tamanho da propriedade.

 

Superintendente de abastecimento social da Conab - Nilton Araújo Silva Junior: Foi proposta uma alteração de quatro para até dez módulos fiscais, entendendo que um percentual expressivo dos pequenos criadores estava sendo prejudicados.

 

Repórter Alessandra Bastos: O criador de ave de Rio Branco, no Acre, Luiz Gonzaga Mendes, já sentiu os benefícios das mudanças, ele foi a uma unidade regional da Conab e constatou que sua margem de compra foi ampliada.

 

Criador de ave - Luiz Gonzaga Mendes: Já melhorou bastante, entendeu? Porque o preço da Conab, ele é bem mais em conta do que o local aqui, e é um milho de qualidade, né?

 

Repórter Alessandra Bastos: Podem participar do programa da Conab os pequenos criadores de bovinos, aves, suínos, caprinos e ovinos. Os inscritos podem adquirir até 10 toneladas de milho por mês. Com contribuição de Mara Kenupp, reportagem, Alessandra Bastos.

 

Airton: Pelo programa Vendas De Balcão, a Conab vende milho mais barato a pequenos agricultores.

 

Gláucia: Mas um outro programa, também da Conab, tem o objetivo contrário, comprar produtos de agricultores familiares para doar a creches, escolas, hospitais, restaurantes populares.

 

Airton: É o PAA, o Programa De Aquisição De Alimentos. E os produtores que quiserem vender tem prazo até o dia 14 de julho para se inscrever.

 

Repórter Raquel Mariano: Associações e cooperativas formadas por agricultores familiares já podem apresentar propostas de venda de alimentos para a Conab. Os produtores devem apresentar projetos pelo Programa De Aquisição De Alimentos, PAA, na modalidade Compra Com Doação Simultânea. Pelo programa, a Conab compra o alimento dos agricultores e abastece creches, escolas, hospitais, restaurantes populares, cozinhas comunitárias e outros lugares da rede de assistência social. Cinquenta milhões de reais vão ser destinados para compra de alimentos. Para saber mais informações, acesse a página da Conab na internet no endereço: canab.gov.br ou procure as superintendências do órgão em cada estado. As inscrições para os projetos vão até o dia 14 de julho. Raquel Mariano para a Voz do Brasil.

 

Gláucia: O Presidente Michel Temer vetou hoje duas propostas que poderiam facilitar o desmatamento na região amazônica de Jamanxim, no Pará.

 

Airton: Uma delas transformava parte da Floresta Nacional do Jamanxim em área da proteção ambiental, com critérios de uso mais flexíveis. A outra proposta também diminuía áreas de proteção em um parque nacional na mesma região.

 

Gláucia: O Ministério do Meio Ambiente já havia se manifestado contra as mudanças feitas pelo Congresso. Temer afirmou que as propostas contrariavam o interesse público.

 

Airton: Nós conversamos com o presidente do Instituto Chico Mendes, órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski falou da importância dos vetos para garantir a preservação da floresta.

 

Presidente do Instituto Chico Mendes - Ricardo Soavinski: São áreas que carecem um pouco mais de estudos e discussão para que em si, estando de novo nessa direção, possa ser aprofundado do debate, inclusive, com... se possível com audiência no local, enfim, e que tenha uma base técnica necessária para fazer encaminhamentos.

 

Gláucia: O presidente do ICMBio disse ainda que agora o governo trabalha para enviar novos projetos de lei para pacificar os conflitos na região e também combater o desmatamento.

 

Presidente do Instituto Chico Mendes - Ricardo Soavinski: É uma coisa que logicamente tem que ser rápida, até porque isso gera muito conflito na região, gera muito desentendimento. E o ideal, quando você faz a gestão de qualquer unidade de conservação é que você tenha a população entendendo claramente os objetivos das unidades, os limites, o que pode e o que não pode fazer, ou seja, cada vez mais tem que trabalhar no sentido de ter a população a favor dessas áreas, trabalhando junto com essas áreas, entendendo bem o papel dessas áreas.

 

Airton: E por falar em preservação, o Brasil conta com inúmeros parques e florestas cheios de atrações.

 

Gláucia: Para quem gosta de passeios na natureza, Brasília tem uma opção imperdível para os amantes do pedal.

 

Airton: É a maior trilha sinalizada em unidade de conservação do país, são 44 quilômetros na Floresta Nacional de Brasília.

 

Gláucia: A nossa equipe não ficou de fora. Em duas rodas acompanhou os trilheiros para saber o gostinho de pedal ar em meia à floresta.

 

Repórter Luana Karen: Coruja, tucano, pica-pau, tem também anta, capivara, tamanduá, e se brincar, topa até com lobo-guará. E o que falar das árvores pequenas de galhos retorcidos e das flores que se destacam pelas cores vivas em meio ao barro vermelho do Planalto central. O cerrado é a grande atração da floresta nacional de Brasília, que agora oferece trilhas sinalizadas para os ciclistas da cidade. A gente foi conferir, e, de cara, percebeu, opção de aventura é o que não falta. Thiago Beraldo, assessor de coordenação geral de uso público do ICMBio, lista as atrações.

Assessor de coordenação geral de uso público do ICMBio - Thiago Beraldo: Tem áreas na sombra, no meio das árvores, tem algumas áreas de estrada, tem muitas áreas de single track, a gente tem travessia de rio e ponte, a gente tem rock gardem, que são áreas só de pedra. As áreas planas para as crianças, estradas abertas para as famílias.

 

Repórter Luana Karen: o passeio na Floresta Nacional de Brasília conta com sete opções de trilha, a menor com cinco quilômetros e a maior com 44 quilômetros. Escolhemos um caminho intermediário para repórteres iniciantes em aventuras sobre duas rodas. No caminho encontramos quem preferiu fazer o trajeto a pé. Paulo Henrique Bezerra é escoteiro tradicional e fã de carteira da floresta nacional.

 

Escoteiro tradicional - Paulo Henrique Bezerra: É uma aventura, a gente encontra às vezes animais, a gente... a gente encontra coisas que a gente não iria encontrar, que a gente vive na cidade, né? A gente vai lá e acha.

 

Repórter Luana Karen: O estudante Wellington Augusto dos Santos, é vizinho do parque e já virou freguês dos passeios da bike na área.

 

Estudante - Wellington Augusto dos Santos: Umas três vezes por semana eu fico rodando aí, rodo com a galera também, com os meus amigos.

 

Repórter Luana Karen: Ano passado 30 mil pessoas passaram pela Floresta Nacional de Brasília. Agora, com a pista de bike sinalizada, o movimento deve aumentar. Foi a primeira vez do assessor de comunicação Rui Miranda na Floresta Nacional. Ele aprovou a trilha e a sinalização.

 

Assessor de comunicação - Rui Miranda: É fantástico, vou vir, vou passar a frequentar mesmo.

 

Repórter Luana Karen: Thiago Beraldo, do ICMBio, dá dicas para aproveitar bem o passeio.

 

Assessor de coordenação geral de uso público do ICMBio - Thiago Beraldo: Capacete, ter um kit de reparo de pneus, trazer bastante água, comida, porque ele pode ficar até mais de quatro horas pedalando aqui tranquilamente.

 

Repórter Luana Karen: O Parque Nacional de Brasília é aberto das 7h às 19h. A entrada é gratuita e a gente diversão garantida. Reportagem, Luana Karen.

 

Airton: Ao lado da floresta que nós acabamos de passear de bike, fica o Parque Nacional de Brasília.

 

Gláucia: Também está cheio de atrações para quem gosta de muito verde e águas cristalinas para nadar.

 

Airton: E para dar mais conforto e aumentar os serviços oferecidos dentro do parque, o Instituto Chico Mendes, que administra o local, quer fazer parceiras e concessões com empresas privadas.

 

Gláucia: A ideia é facilitar a vida dos visitastes oferecendo a venda de ingressos pela internet, receber cartões para pagamento e muito mais.

 

Gláucia: Uma ação que deve ocorrer em parques de todo o país.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Parque Nacional de Brasília é uma unidade de proteção à natureza com 42 mil hectares. Conhecido como Água Mineral, o parque recebe 250 mil visitantes por ano e está entre os mais visitados do Brasil. Para o professor de educação física, Lino Ribeiro, além das piscinas de água corrente e das trilhas ecológicas, o que conta é a bate-papo.

 

Professor de educação física - Lino Ribeiro: Não é só a piscina, não só as trilhas, não é só interação das árvores, da natureza, são pessoas que procuram conversar, que valorizam esse espaço grande que está no coração de Brasília.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para receber melhor dos visitantes, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, vai fazer parcerias e conceder à iniciativa privada serviços de apoio à visitação. Com a concessão as opções de serviço e diversão no Parque Nacional de Brasília vão ser ampliadas. Na Trilha Cristal Água, por exemplo, os visitantes vão poder alugar bicicletas para percorrer os 15 quilômetros. Além disso, segundo a chefe da unidade de conservação do parque, Juliana de Barros Alves, o local vai ganhar novas lanchonetes e um local para exposições.

 

Chefe da unidade de conservação do parque - Juliana de Barros Alves: A gente planejou para as concessões uma melhoria no serviço, principalmente em relação à recepção dos visitantes. Então, a gente pretende que o ingresso seja vendido antecipadamente, além disso, possibilitar outras formas de pagamento como cartão de crédito. Além disso, a gente vai ter o espaço dos ciclistas e aluguel de bicicleta. Com a concessão, uma das premissas é que o valor do ingresso não aumente.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Instituto Chico Mendes também anunciou licitação para a concessão do Parque Pau-Brasil, em Porto Seguro, na Bahia. Para o presidente do instituto, Ricardo Soavinski, a parceria com o setor privado vai garantir melhor estrutura e atrair mais visitantes.

 

Presidente do instituto - Ricardo Soavinski: Hoje, na verdade, todos esses parques já têm muitas empresas trabalhando, contratando alguns prestadores de serviço. O ICMBio continua o gestor do parque, até porque é uma área pública, não vai deixar de ser pública e o prestador de serviço vai desenvolver suas tarefas de acordo com um contrato muito bem definido, principalmente no que diz respeito à qualidade dos serviços oferecidos.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Brasil possuí 326 unidades de conservação e 72 parques nacionais. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gláucia: 19h23 em Brasília. Doze municípios tiveram situação de emergência reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional, entre eles, mais dez cidades do Rio Grande do Sul, além de uma em Sergipe e uma no Mato Grosso.

 

Airton: A medida vai permitir que as prefeituras recebam apoio do Governo Federal para socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas danificadas pelos desastres naturais.

 

Gláucia: No Rio Grande do Sul, por exemplo, reconhecimento ocorreu depois das chuvas intensas, enxurradas e inundações nas últimas semanas.

 

Airton: E o Presidente Michel Temer também sancionou hoje a lei que melhora arrecadação da superintendência da Zona Franca de Manaus, a Suframa.

 

Gláucia: O projeto, que teve origem com uma medida provisória encaminhada pelo governo, substitui uma taxa que vai incidir sobre ingresso de mercadorias estrangeiras e nacionais na área da Suframa.

 

Airton: Ficarão isentos desse imposto microempresas, operações comerciais relativas a livros e jornais, equipamentos médicos hospitalares, dispositivos de tecnologia assistiva para pessoas com deficiência e mercadorias que compõem a cesta básica comercializada em Manaus.

 

Gláucia: Além disso, será criada a taxa de serviços que vai custear a prestação de serviços oferecidos pela autarquia como a atualização cadastral, armazenagem e movimentação de cargas.

 

Airton: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você.

 

Airton: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".