25/01/17 - A Voz do Brasil

E vamos ao destaque do dia: Ministério da Saúde vai reforçar estoques de vacina contra a febre amarela distribuindo mais 11 milhões de doses. E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje: No segundo dia de inscrições para o Sisu, milhões de estudantes se candidatam a vagas em universidades públicas. Com a presença dos militares nas ruas de Natal, transporte público volta a normalidade. Inovativa Brasil: as inscrições estão abertas e vamos mostrar empreendedores como o Marcelo Cruz que fez uma boa ideia se transformar em dinheiro.

audio/mpeg 25 01 17.mp3 — 22390 KB




Transcrição

A VOZ DO BRASIL – 25/01/2017


Apresentador Nazi Brum: Em Brasília, 19h00.

Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.

Gláucia: Boa noite.

Nazi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

Gláucia: Quartafeira, 25 de janeiro de 2017.

Nazi: E vamos ao destaque do dia: Ministério da Saúde vai reforçar estoques da vacina contra a febre amarela distribuindo mais 11 milhões de doses. Huab Kalil.

Repórter Huab Kalil: O estoque de vacinas disponível é suficiente para atender à demanda de todo o país no momento. Daqui a pouco eu volto com mais detalhes.

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...

Nazi: No segundo dia de inscrições para o Sisu, milhões de estudantes se candidatam a vagas em universidades públicas.

Gláucia: Com a presença dos militares nas ruas de Natal, transporte público volta à normalidade.

Nazi: InovAtiva Brasil. As inscrições estão abertas e vamos mostrar empreendedores como Marcelo Cruz, que fez uma boa ideia se transformar em dinheiro.

Empreendedor - Marcelo Cruz: Foi sensacional porque a gente fez muitas parcerias boas para o resto da vida.

Gláucia: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gláucia Gomes e Nazi Brum.

Nazi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

Gláucia: Para garantir a vacinação da população contra a febre amarela, o Ministério da Saúde vai reforçar os estoques com mais de 11,5 milhões de doses.

Nazi: Estas vacinas extras vão ser distribuídas de acordo com a necessidade dos 19 estados onde a vacina contra a febre amarela faz parte do calendário normal de vacinação.

Gláucia: Para saber mais detalhes sobre a distribuição da vacina a gente conversa, ao vivo, aqui no estúdio, com o repórter Huab Kalil. Boa noite, Kalil.

Repórter Huab Kalil: Boa noite, Gláucia. Boa noite, Nazi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz. Na coletiva que acabou agora há pouco, Gláucia, no Ministério da Saúde, em Brasília, o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Eduardo Hage, destacou que o Ministério já tem disponibilizado 11,5 milhões de vacinas contra a febre amarela. Deste total, 5,5 milhões já foram enviadas para os estados e outras seis milhões já estão disponíveis, e o estoque é suficiente para atender à demanda no país neste momento.

Diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde - Eduardo Hage: Temos vacinas hoje suficientes para a situação atual, temos vacina suficiente para as próximas semanas e há ainda capacidade de produção adicional e para qualquer demanda que venha a se apresentar nas próximas semanas.

Repórter Huab Kalil: Na coletiva também estavam presentes os secretários dos cinco estados em situação de vigilância: Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Em Minas Gerais, a secretária de gestão do estado, Márcia Faria, destacou o que vem sendo feito no estado, que vem registrando o maior número de casos de febre amarela.

Secretária de Gestão do Estado de Minas Gerais - Márcia Faria: A vacina que chega em Minas é automaticamente distribuída aos regionais e consequentemente aos municípios. O estado também está auxiliando os municípios na programação da sua vacinação, enfatizando a necessidade de vacinar a zona rural principalmente, ajudando na programação, na vacinação casa a casa, na ida. São lugares íngremes, lugares de difícil acesso. E também ajudando nesse processo de convencimento e de levar a vacina a quem realmente precisa mais, nesse caso a zona rural, e depois a zona urbana.

Repórter Huab Kalil: E o Ministério da Saúde também vem acompanhando a situação nos cinco estados. É o que afirmou o secretárioexecutivo do Ministério, o Antonio Nardi.

SecretárioExecutivo do Ministério da Saúde - Antonio Nardi: Diariamente, cedo e à tarde, estamos em contato permanente com o Rio, com a Bahia, com o Espírito Santo, com São Paulo e com Minas Gerais. Nossas equipes de campo estão presentes dando todo o suporte solicitado por esses estados nas notificações, no acompanhamento dos casos, nas investigações.

Repórter Huab Kalil: Já foram notificados 438 casos em todo o país. Deste total, 70 casos foram confirmados, quatro descartados, e 40 mortes em 68 municípios de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Distrito Federal. Gláucia.

Gláucia: Obrigada, Kalil, pela sua participação com a gente aqui na Voz do Brasil.

Nazi: E a febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus e transmitida por mosquitos.

Gláucia: Os sintomas são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor nos músculos, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

Nazi: A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

Gláucia: Mas sempre é melhor prevenir. Por isso, o “Para Você, Cidadão” de hoje traz dicas sobre como evitar a doença.

>> “Para Você, Cidadão”.

Repórter Mirna Ledo: Tomar a vacina é a maneira mais eficaz de prevenir a febre amarela. O Calendário Nacional de Vacinação prevê duas doses: a primeira aos nove meses de idade e a segunda aos quatro anos. Todas as pessoas que moram ou vão viajar para uma área com risco de febre amarela devem se vacinar. Então, se você não tomou quando criança ou perdeu o cartão de vacinação e não sabe se tomou, deve começar a imunização. Tome agora a primeira dose e tome o reforço daqui a 10 anos. O Ministério da Saúde está atualizando constantemente o mapa de recomendação da vacina. Os estados que estão fora da área recomendada são Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Rio de Janeiro. Mas, atenção: a vacina é contraindicada para quem tem mais de 60 anos, para gestantes e mulheres que estão amamentando crianças de até seis meses e para pacientes em tratamento de câncer. Para mais informações procure a Secretaria de Saúde da sua cidade ou acesse portalsaude.saude.gov.br. Mirna Ledo, para a Voz do Brasil.

Nazi: As inscrições para o Sisu, Sistema de Seleção Unificada, estão abertas e vão até sextafeira.

Gláucia: O sistema reúne as opções de curso disponíveis em todas as instituições públicas de ensino superior que usam a nota do Enem em vez do vestibular.

Nazi: Na página do Sisu na internet os candidatos podem saber a nota mínima exigida para entrar em cada curso e escolher a carreira em que consideram ter mais chances.

Repórter Nei Pereira: O Sisu, o Sistema de Seleção Unificada, oferece neste semestre mais de 238 mil vagas em 131 instituições públicas de educação superior de todo o país. Milena Dias, de 16 anos, que mora no Distrito Federal, já fez a inscrição. Na primeira oportunidade de entrar para a faculdade, a estudante optou pelo curso de serviço social na Universidade de Brasília como primeira opção. E logo na primeira prévia uma boa notícia: estava em primeiro lugar entre as três vagas para o sistema de quota que ela escolheu.

Estudante - Milena Dias: Eu estou concorrendo para três quotas, que são as quotas para um salário mínimo e meio, renda per capta, né, por família, ou abaixo, quotas para preto, pardo ou índio e também para as quotas de escola pública. E vai ajudar bastante.

Repórter Nei Pereira: No site do Sisu os candidatos podem consultar as vagas disponíveis, pesquisar as instituições e os cursos existentes. O professor Paulo Santos, de um curso preparatório de Brasília, orienta os estudantes.

Professor - Paulo Santos: A primeira talvez é observar a nota de corte, a nota do último classificado para aquelas vagas. Observando que a dele está superior, ele já pode se inscrever. Ele tem uma segunda opção de curso também, que ele deve marcar um curso que realmente seja a segunda opção, porque uma vez que ele seja aprovada para a primeira ou segunda opção, ele não tem direito de escolher, ele fica com a primeira. E também estar observando todo dia nas atualizações se ele continua dentro dos classificados, uma vez que se outros candidatos se inscreverem com nota superior e ele for retirado do limite do número de vagas, ele pode pleitear outra instituição, ele pode pleitear outro curso inclusive.

Repórter Nei Pereira: As inscrições do Sisu são exclusivamente pela internet no site www.sisu.mec.gov.br. Reportagem, Nei Pereira.

Gláucia: E até a uma da tarde de hoje o Sisu recebeu mais de 1,7 de inscritos e computou mais de três milhões de inscrições que cada candidato pode escolher até duas opções de curso.

Nazi: De acordo com o edital, o sistema de seleção é acessível apenas aos candidatos que concluíram o ensino médio e prestaram o Enem, tendo obtido nota maior que zero na redação.

Gláucia: Segundo o Ministério da Educação, foram relatadas dificuldades de acesso ao sistema por alguns candidatos hoje, dificuldades que estão sendo resolvidas. A previsão é que até o fim do dia o sistema volte à normalidade.

Nazi: O Ministério também informou que não haverá prejuízo a nenhum candidato e que qualquer dúvida basta ligar de graça para o 0800-616161.

Gláucia: Uma equipe da Secretaria Especial de Direitos Humanos está visitando os estados onde recentemente presos foram mortos e outros fugiram de presídios.

Nazi: Hoje a equipe está em Manaus, onde 60 presos foram mortos em uma rebelião no começo do mês. O objetivo da visita é prestar apoio aos familiares das vítimas e discutir com órgãos do governo e da Justiça Estadual iniciativas para enfrentar o colapso do sistema carcerário.

Gláucia: Ações como um mutirão carcerário realizado pela Defensoria Pública, que já conseguiu libertar 434 pessoas que não deveriam estar na cadeia.

Nazi: A equipe do governo federal realizou uma reunião com órgãos do Amazonas, incluindo representantes da sociedade civil. A secretária de Direitos Humanos, Flávia Piovesan, citou alguns dos assuntos que foram discutidos.

Secretária de Direitos Humanos - Flávia Piovesan: Em todo o estado do Amazonas há 73 agentes penitenciários apenas e somente 16 no exercício das suas funções. É fundamental que haja concursos aí para que haja um pessoal técnico especializado capaz aí de permitir o fortalecimento dessas políticas públicas. E, ademais, também rever aí a temática da terceirização, esse sistema de cogestão. É um momento dramático em que o Brasil clama por respostas e eu vejo com esperança que esse estado de coisas possa nos ensinar e desse estado de coisas possamos extrair lições preciosas para o refinamento, o fortalecimento de políticas públicas.

Gláucia: Os estados de Roraima e do Rio Grande do Norte também vão ser visitados nas próximas semanas.

Nazi: E o comando das Forças Armadas informou hoje que os ônibus já voltaram à normalidade na região metropolitana de Natal. A repórter Natália Koslyk está aqui no estúdio e tem mais informações. Boa noite, Natália.

Repórter Natália Koslyk (ao vivo): Boa noite, Gláucia, Nazi. Boa noite aos ouvintes. Olha, segundo o Ministério da Defesa, a partir de hoje não houve nenhum registro de ataque ao patrimônio público ou privado na região metropolitana de Natal, no Rio Grande do Norte. Na semana passada, o presidente Michel Temer autorizou a presença dos militares depois que a rebelião no presídio de Alcaçuz se agravou, com quadrilhas determinando ataques a ônibus na cidade. São mais de 1.800 militares patrulhando os principais pontos da Grande Natal desde a última sextafeira. Segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann, a volta à normalidade significa que a atuação das forças de segurança e militares cumprem aquilo que foi determinado pelo presidente Michel Temer. E ainda de acordo com o ministro, pelas informações recebidas do comando da operação, a população potiguar já percebe a sensação de segurança. Isso é o resultado do empenho de todos os militares envolvidos nesta ação. Nazi.

Nazi: Obrigado, Natália, pela participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

Gláucia: 19hs13min, no horário brasileiro de verão.

Nazi: Se você tem aquele espírito empreendedor e uma boa ideia que pode gerar lucro, é bom ficar atento.

Gláucia: Daqui a pouquinho a Voz do Brasil vai mostrar como se inscrever num programa que pode dar um empurrãozinho no seu negócio.

Nazi: O Brasil passa por um momento de desafios na economia. Mais uma vez no ano passado o caixa do governo fechou com saldo negativo e, com isso, a dívida pública federal cresceu.

Gláucia: A Secretaria do Tesouro Nacional divulgou hoje esse resultado. Apesar do aumento da dívida, o valor ficou dentro do esperado, segundo o Ministério da Fazenda.

Repórter Paulo La Salvia: Para um país se financiar recolhe impostos, mas nem sempre os tributos são suficientes para cobrir as despesas. Por conta disso são buscados recursos no mercado por meio da venda de títulos públicos, que funcionam como um cheque prédatado, ou seja, o desconto ocorre no futuro, mas o governo leva a mercadoria na hora, com uma injeção imediata de dinheiro na economia. Estes financiamentos formam a chamada dívida pública. Em 2016, essa dívida chegou a R$ 3,133 trilhões, o que representa um aumento de 11,5% em relação a 2015. A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, avaliou como positiva a gestão da dívida pública.

Secretária do Tesouro Nacional - Ana Paula Vescovi: O Brasil vai recuperar o seu grau de investimento, o Brasil vai voltar a uma trajetória primeiro de estabilidade da dívida pública geral, do governo geral como um todo, e posteriormente a uma volta do declínio desse percentual de dívida PIB.

Repórter Paulo La Salvia: De acordo com o Ministério da Fazenda, o aumento da dívida pública no ano passado em relação a 2015 ocorreu por conta do refinanciamento de quase 100% dos títulos que venceram, além do pagamento de juros. Reportagem, Paulo La Salvia.

Nazi: Dar à gestante a chance de escolher, se possível, o parto natural e humanizado. Essa é a ideia da Rede Cegonha, um programa criado pelo governo federal em 2011.

Gláucia: É, de lá para cá aumentou o acesso das mulheres grávidas não só à informação, como também ao acompanhamento em todas as etapas da gestação e nascimento do bebê.

Nazi: É, isso significa mais tranquilidade para as mamães e saúde para os bebês. A reportagem é de Alessandra Bastos.

Repórter Alessandra Bastos: Com 39 semanas de gravidez, a brasiliense Camila Alencar está a poucos dias da chegada de João Daniel, seu primeiro filho. E Camila decidiu tentar o parto normal.

Gestante - Camila Alencar: As mulheres são horrorizadas com o parto normal, desencorajadas, e aí optam pela comodidade da cesariana que é marcada, mas, na verdade, é uma cirurgia de médio porte. E aí, baseado nas informações, eu decidi pelo parto natural.

>> “Choro de Criança”.

Repórter Alessandra Bastos: Poder escolher o tipo de parto, quando possível, é o lema da Rede Cegonha, criada há cinco anos pelo Ministério da Saúde. A ideia é incentivar o parto normal humanizado com prénatal, pósparto e assistência à mãe e à criança até os dois anos de idade. Um programa moderno na visão da médica Daphne Ratner, presidente da Rede pela Humanização do Parto e Nascimento.

Médica e Presidente da Rede pela Humanização do Parto e Nascimento - Daphne Ratner: O Ministério da Saúde com essa política eu acho que saiu na frente de todos os outros países nessa questão de mudança de modelo de atenção.

Repórter Alessandra Bastos: De acordo com o Ministério da Saúde, atualmente no SUS 42% dos partos realizados são cesáreos e 58% normais, enquanto na rede de saúde privada as cesarianas chegam a 84%. A recomendação do Ministério é priorizar o parto normal por oferecer menos risco e trauma para a mãe e para o bebê. A Rede Cegonha traz de volta a figura da doula, mulher que orienta a gestante na gravidez e no parto. É o caso da educadora perinatal Marilda de Cássia Castro, presidente da Associação de Doulas do Distrito Federal.

Educadora Perinatal e Presidente da Associação de Doulas do Distrito Federal - Marilda de Cássia Castro: Nós hoje trabalhamos com a decisão da mulher de entrar em trabalho de parto, tá? Empoderamento da mulher, Ela saber o que ela quer e decidir. Quando ela decide a gente respeita.

Repórter Alessandra Bastos: A futura mamãe Camila optou pela companhia de uma doula.

Gestante - Camila Alencar: Ela já vem me orientando sobre a logística que tem que fazer antes do parto, sobre essa ansiedade da espera, e aí na hora do parto eu acho que vai ser fundamental a participação dela.

Repórter Alessandra Bastos: Um ano depois de criada a Rede Cegonha, já haviam sido realizadas mais de 18 milhões de consultas prénatais pelo SUS, e três anos depois a rede já estava presente em 5.488 cidades brasileiras. Reportagem, Alessandra Bastos.

Gláucia: No estado do Piauí, há 37 anos foi criado um parque para conservar vestígios de civilizações muito, muito antigas, de milhares de anos.

Nazi: E de tão importante, a responsabilidade em administrar o parque é do município, do estado do Piauí e do governo federal.

Gláucia: Hoje, o ministro da Cultura, Roberto Freire, foi à Serra da Capivara assinar o acordo de cooperação para a gestão compartilhada do parque. A repórter Taíssa Dias acompanhou e tem os detalhes.

Repórter Taíssa Dias: O Parque Nacional da Serra da Capivara é o maior registro da préhistória do Brasil: são 400 sítios arqueológicos em 129 mil hectares. O território entre as serras, vales e planície no meio da caatinga é tão rico que ganhou da Unesco o título de patrimônio mundial. Atualmente o parque é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, mas a gestão vai ser compartilhada. Para isso, nesta quarta-feira foi assinado em São Raimundo Nonato, no Piauí, um dos municípios que tem territórios no parque, um termo de cooperação que oficializa o compartilhamento do parque, e uma reunião com a presença do ministro da Cultura, Roberto Freire, começou a discutir como será a nova administração. De São Raimundo Nonato, no Piauí, Taíssa Dias.

Gláucia: 19hs20min, no horário brasileiro de verão.

Nazi: Agora, ao invés de buscar um emprego, têm muitos brasileiros com uma ideia e um espírito empreendedor.

Gláucia: É, imagine, então, um grupo de pessoas trabalhando com uma ideia diferente e a partir dessa ideia formarse uma pequena empresa com grande potencial para gerar lucro rapidamente.

Nazi: Estas são as chamadas startups. Se você se identificou, então pode alavancar seus negócios se inscrevendo no InovAtiva Brasil.

Gláucia: O programa promove cursos e abre caminhos para que investidores possam conhecer seu produto. Entenda como na reportagem de Mara Kenupp.

Repórter Mara Kenupp: Quem não quer ter seu próprio negócio? O brasiliense Marcelo Cruz foi em busca desse sonho e conseguiu. Hoje, ele é dono da Autobar, uma startup que desenvolve e fabrica bares robóticos, uma máquina que faz a festa dos drinks por meio de um aplicativo de precisão.

Empreendedor - Marcelo Cruz: Eu fiz um equipamento que ele servia bebidas alcoólicas ao toque de um botão. Alguém olhou e falou: “Pô, isso é legal, mas isso faz drink?” EU falei: “Não, não faz drink, eu fiz isso aqui por hobby”. Aquilo ficou na minha cabeça e eu fui procurar mais como é que eu poderia fazer para que aquele meu equipamento simples começar a fazer drink. E aí iniciou.

Repórter Mara Kenupp: Uma startup é uma empresa com ideias inovadoras e promissoras e que maioria das vezes é associada à tecnologia. Marcelo Cruz inscreveu sua empresa no Programa InovAtiva Brasil do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e foi selecionado. O InovAtiva Brasil dá cursos online, palestras e oferece orientações para empreendedores iniciantes e pequenas empresas inovadoras. Marcelo participou de tudo e foi de graça.

Empreendedor - Marcelo Cruz: Para mim ver que têm várias outras startups também lutando para crescer, lutando no mercado, que enfrentam os mesmos problemas e mesmas dificuldades que a gente enfrenta. E para a empresa foi sensacional porque a gente fez muitas parcerias boas para o resto da vida.

Repórter Mara Kenupp: Agora o programa está com inscrições abertas para novas ideias. São 300 vagas para capacitação, mentoria e possíveis contatos com investidores, como explica o secretário substituto de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Igor Manhães.

Secretário Substituto de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Igor Manhães: Nós estamos procurando startups que tenham uma tecnologia, que tenham um modelo de negócio inovador, que precisam de ajuda no processo de aceleração até fazer a conexão com o investidores, com grandes empresas.

Repórter Mara Kenupp: Quem tem o sonho de alavancar algum projeto de inovação basta acessar o site oficial e se candidatar. O endereço eletrônico é: www.inovativabrasil.com.br. As inscrições terminam em 20 de fevereiro. Reportagem, Mara Kenupp.

Nazi: A maior metrópole do país completa hoje 463 anos.

Gláucia: E em mensagem nas redes sociais, o presidente Michel Temer parabenizou a cidade de São Paulo. Disse que é paulista, nascido no interior, mas paulistano de coração.

Presidente Michel Temer: Eu tenho orgulho desta grande capital, desta grande cidade, do seu povo, de várias raças que ajudaram não só a fundar, mas a crescer, a fazer crescer, desenvolver cada vez mais a capital do estado de São Paulo. Portanto, neste dia do aniversário eu dou um grande abraço à cidade de São Paulo e desejo, mais uma vez, o sucesso que os paulistanos sempre tiveram na sua cidade e no país.

Nazi: A Força Aérea Brasileira já transportou 190 órgãos para transplantes em 2016, e neste ano continua a todo o vapor.

Gláucia: Nos 14 primeiros dias do ano, já realizou 16 traslados de órgãos para salvar vidas.

Nazi: E estas foram as notícias do governo federal.

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Nazi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Gláucia: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

Nazi: Boa noite para você e até amanhã.