29/05/2017 - A Voz do Brasil

Presidente Michel Temer garante recursos para defesa civil nos estados de Pernambuco e Alagoas, afetados por fortes chuvas. Começaram hoje as inscrições para o Sisu. Ministros participam de debate sobre a proposta de reforma da previdência.

audio/mpeg 29 05 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23268 KB




Transcrição

A Voz do Brasil 29.05.2017

 

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, dezenove horas.

>> Está no ar, a Voz do Brasil as notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje.

Airton: Olá, boa noite.

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite para você que nos acompanha em todo país.

Airton: Segunda-feira, 29 de maio de 2017.

Gláucia: E vamos ao destaque do dia. Chuvas castigam cidades em Pernambuco e Alagoas.

Airton: Presidente Michel Temer visita os dois estados para garantir apoio do Governo e liberação de recursos.

Presidente Michel Temer: Nós precisamos cumprir emergência, ou seja, recuperar logo aqueles danos provocados pelas chuvas.

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

Airton: Estão abertas as inscrições para o Sisu. São mais de 51 mil vagas em universidades federais.

Gláucia: E neste ano também tem Prova Brasil para estudantes do terceiro ano do ensino médio. Alessandra Bastos.

Repórter Alessandra Bastos: A partir do próximo semestre a Prova Brasil do ensino médio vai ser aplicada pela primeira vez em todas as escolas públicas para todos os alunos do terceiro ano do ensino médio.

Airton: Reforma da Previdência. Em mais um debate, Governo explica as mudanças, e a Voz também responde dúvidas dos ouvintes.

Gláucia: Hoje na apresentação, Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

Airton: E para assistir a gente ao vivo na internet basta www.voz.gov.br.

Gláucia: Os estados de Alagoas e Pernambuco continuam em alerta por conta das fortes chuvas que atingiram várias cidades nos últimos dias.

Airton: Nos dois estados são quase 50 mil pessoas afetadas entre desabrigados e desalojados.

Gláucia: O presidente Michel Temer percorreu as áreas atingidas nos estados e anunciou ajuda federal para obras emergenciais.

Repórter Nei Pereira: Segundo a defesa civil, até a tarde de hoje eram cerca de 45 mil pessoas desabrigadas ou desalojadas em Pernambuco. Ainda chove em algumas regiões do estado e a previsão é de que continue nos próximos dias. Duas pessoas morreram e uma está desaparecida. De acordo com o secretário-executivo da Defesa Civil de Pernambuco, tenente coronel Fábio Rosendo, o pedido oficial de ajuda ao Governo Federal está sendo finalizado.

Secretário-executivo da Defesa Civil de Pernambuco, tenente coronel Fabio Rosendo: Estamos aqui montando com os técnicos da Defesa Civil Nacional, nós estamos montando o recurso federais, o pedido. A gente vai mandar mediante o sistema SIDC, que é o sistema integrado de defesa civil. Estamos em alerta. A gente pode decidir na zona da mata sul, como eu tinha dito, e na zona da mata norte agora. Estamos alerta nessa madrugada até amanhã de manhã.

Repórter Nei Pereira: Na noite de ontem o presidente Michel Temer esteve em Recife para acompanhar a situação dos pernambucanos atingidos pelas enchentes. O presidente autorizou a abertura de uma linha de crédito de 600 milhões de reais do BNDES para as obras de prevenção e alagamentos no estado.

Presidente Michel Temer: Está lá no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, já aprovado pela Secretaria do Tesouro Nacional comprometido com o governador a providenciar a liberação desse empréstimo que é fundamental para Pernambuco.

Repórter Nei Pereira: Outro estado castigado pelas enchentes é Alagoas, onde há uma semana chove forte. Mas os estragos se intensificaram na madrugada do último sábado causando deslizamento de barreiras, elevação dos níveis dos rios e alagamentos na capital e no interior. Já foram registradas cinco mortes, três desaparecimentos e mais de quatro mil pessoas desabrigadas ou desalojadas. No domingo, o presidente Michel Temer se reunião em Maceió com o governador do estado e o prefeito da capital. Temer destacou os investimentos federais para a reconstrução da infraestrutura das cidades.

Presidente Michel Temer: Dois fatores se apresentaram aqui: Um, nós precisamos cumprir emergência, ou seja, recuperar logo aqueles danos provocados pelas chuvas, e mais adiante, já não se trata de emergência, obras indispensáveis que sejam preventivas, ou seja, nós temos que proteger as encostas para que não haja deslizamentos e outros tantos eventos que possam ser levados adiantes.

Repórter Nei Pereira: Em Alagoas, a iniciativa federal conta ainda com apoio de 100 homens do Exército e 100 caminhões da frota militar. Toda a operação será custeada com recursos da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Reportagem, Nei Pereira.

Airton: As escolas estaduais e municipais atingidas pelas enchentes em Pernambuco e Alagoas também vão receber apoio do Ministério da Educação para a recuperação da estrutura física e de equipamentos que tenham sido danificados pelas chuvas.

Gláucia: O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Mendonça Filho. Hoje o Ministério enviou aos estados equipes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para visitar as escolas e dimensionar os estragos.

Airton: O governo brasileiro tem trabalhado para recuperar a economia com uma agenda de reformas. Um dos objetivos é atrair investimentos nacionais e internacionais para ajudar na geração de empregos.

Gláucia: E com essa intenção, vai ser realizado em São Paulo um evento que vai reunir executivos de empresas de vários países com representantes do governo brasileiro.

Airton: O presidente Michel Temer vai abrir o encontro amanhã. O repórter José Luiz Filho está lá em São Paulo e traz mais detalhes para a gente ao vivo. Olá, Zé Luiz. Boa noite.

Repórter José Luiz Filho: Olá, boa noite, Airton. Boa noite, Gláucia. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O presidente Michel Temer vai se reunir com um grupo de cerca 60 empresários. O presidente deve apresentar números da economia e os planos do governo para a aprovação das reformas trabalhistas e da Previdência no Congresso Nacional. O Fórum de Investimentos Brasil é organizado pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, a Apex-Brasil, e o BID, o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Mais de 1.500 executivos de empresas sediadas em pelo menos 42 países como os Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, França e Reino Unido já confirmaram presença. Entre os participantes, estão mais de 200 presidentes de empresas como a Fiat Chrysler, a Bayer e também a Siemens. Abertura do evento será feita pelo presidente Michel Temer. Logo após cerimônia os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e das Relações Exterior, Aloysio Nunes Ferreira, estarão juntos em uma apresentação sobre o ambiente internacional econômico e também as reformas no país. De acordo com o ministro do Planejamento Dyogo Oliveira, o Brasil está passando por um momento especial de transformações na área economia.

Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira: São transformações que visam principalmente melhorar o ambiente de negócio, melhorar a produtividade da economia e melhorar a relação entre o setor público e o setor privado na área de infraestrutura, na área de indústria, na área de serviços.

Repórter José Luiz Filho: Durante os dois dias do fórum serão detalhadas o marco regulatório de cada setor e também o quadro de segurança jurídica para os investimentos. Para a Roberto Jaguaribe, presidente da Apex-Brasil, o evento é resultado de um processo que vem sendo feito pelo governo com medidas para recuperar a credibilidade do país e torná-lo mais atraente para investimentos estrangeiros.

Roberto Jaguaribe - residente da Apex-Brasil: O Brasil tradicionalmente já é um país de grande relevância nesse processo, sempre entre os maiores destinos de investimentos diretos do estrangeiro, mas esse momento é particularmente relevante que eles voltem em fluxo importante para vários segmentos da economia de forma a revitalizar e enriquecer esse processo de recuperação que já está em curso, mas que ainda requer muitas atenções.

Repórter José Luiz Filho: E daqui a pouquinho, a partir de 19h15 da noite, o presidente Michel Temer conversam com jornalistas estrangeiros. O presidente concede uma entrevista coletiva aos correspondentes de veículos que cobrem o dia a dia da política brasileira e logo após, aí sim o presidente participa do jantar com os 60 empresários que vão participar também do Fórum de Investimento Brasil. Ao vivo de São Paulo, José Luiz Filho para a Voz do Brasil.

Gláucia: E pela manhã, o presidente Michel Temer recebeu empresários internacionais que já têm compromisso de investimentos no país. Eles foram os vencedores do leilão realizado em março, de concessão de quatro aeroportos brasileiros.

Airton: Depois do encontro, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, conversou com os jornalistas e disse que o objetivo da reunião foi relatar melhorias no mercado aeroportuário brasileiro.

Repórter Mara Quinupe: Foi uma reunião de boas-vindas para as empresas vencedoras das concessões dos aeroportos de Fortaleza, Florianópolis, Porto Alegre e Salvador. O presidente Temer disse que seu governo está aberto a sugestões de empresários e investidores e que o país se encontra no rumo do desenvolvimento econômico. Os ministros Maurício Quintella dos Transportes, Portos e Avião Civil, Elizeu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria Geral de Presidência também participaram da reunião. Ao final, o ministro Quintella falou sobre os números do mercado e afirmou que o setor está em rota de crescimento.

Ministro dos Transportes - Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella: Em abril o crescimento foi de 3,2%, o que aponta realmente uma tendência de crescimento. Em relação à quantidade de passageiros também tivemos um aumento de 4,1%. Ou seja, o setor tem tudo para voltar a crescer e crescer muito rápido.

Repórter Mara Quinupe: Ainda de acordo com o ministro Maurício Quintella, o país vem reagindo em relação aos investimentos externos. Pesquisas indicam que o nível de confiança dos empresários estrangeiros no Brasil vem aumentando nos últimos meses.

Ministro dos Transportes - Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella: Nós tivemos um aumento nesse primeiro quadrimestre de 500% em relação ao quadrimestre do ano de 2016, com quase 13 bilhões de dólares de investimento em projeto de infraestrutura, isso sem dúvida nenhuma se deve à confiança que o país recuperou, se deve à qualidade dos projetos apresentados, a nossa modelagem do PPI, do Programa de Parcerias em Investimento.

Repórter Mara Quinupe: O investimento nos quatro aeroportos deverão passar dos 6,6 bilhões de reais. As empresas devem expandir pistas de pouso, terminais de passageiros e ampliar pontes para embarque e vagas de estacionamento. O prazo para a assinatura dos contratos é até 27 de julho de 2017. Reportagem, Mara Quinupe.

Gláucia: O ministro Maurício Quintella disse ainda que o governo está estudando a realização de novas concessões de aeroportos e que os leilões devem ser feitos no ano que vem.

Airton: E hoje, Paulo Rabello de Castro, que vai assumir o comando do BNDES, conversou com a imprensa.

Gláucia: Ele adiantou que vai dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito e que as operações de longo são prioridade.

Airton: A repórter Natália Mello participou da conversa no Rio de Janeiro e agora bate um papo com a gente. Boa noite. Natalia.

Repórter Natalia Mello: Olá, boa noite. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O economista Paulo Rabello de Castro se prepara para assumir o comando do BNDES, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico E Social. Em conversa com os jornalistas, adiantou que uma das principais missões agora é fortalecer as operações de longo prazo para dar continuidade à estabilização e crescimento da economia. Para o novo presidente é hora de buscar entusiasmo no BNDES e privar pela absoluta transparência. O economista não disse quais vão ser os primeiros passos dele como presidente, afirmou que é cedo para adiantar os novos rumos da administração do BNDES, mas que pretende dar continuidade aos trabalhos da ex-presidente do Banco. Paulo Rabello de Castro assume a presidência do BNDES no lugar da economista Maria Silva Bastos, que deixou o cargo na última sexta-feira. Ele esteve no comando do IBGE por onze meses. Ao vivo, Natalia Mello.

Gláucia: 19h13 em Brasília.

Airton: Estão abertas as inscrições para Sisu.

Gláucia: Daqui a pouco vamos detalhar como os estudantes podem concorrer a mais de 51 mil vagas em universidades federais.

Airton: O calendário de desligamento da TV analógica em todo o país continua.

Gláucia: Na próxima quarta-feira Goiânia e mais 28 cidades vão receber apenas o sinal digital com mais qualidade de som e imagem.

Airton: E quem não tiver o conversou vai deixar de assistir a TV. Famílias de baixa renda recebem de graça o aparelho.

Gláucia: No nosso quadro "Pra Você, Cidadão" de hoje vamos explicar como.

>> Pra Você, Cidadão.

Repórter Mirna Ledo: Os beneficiários do Bolsa Família, Minha Casas Minha Vida de outros programas sociais do Governo Federal têm direito a um conversor para TV digital de graça. E a solicitação é bem simples, você pode ligar para o telefone 147 ou acessar o site www.vocenatvdigital.com.br. Informe os dados solicitados como endereço ou CPF e em seguida você já pode agendar a data para retirar gratuitamente o seu kit com antena, conversor e controle remoto. Não esqueça de levar um documento oficial com foto e o código de confirmação do agendamento quando for buscar o seu. Depois é só fazer a instalação e conferir a programação da TV digital no seu aparelho de televisão. Mirna Ledo, para a Voz do Brasil.

Airton: Começaram hoje as inscrições para a segunda edição do Sisu, o Sistema de Seleção Unificada que oferece vagas em universidades públicas.

Gláucia: E atenção, porque 52 mil vagas em 63 universidades estão sendo oferecidas.

Airton: Podem participar estudantes que fizeram ENEM e não zeraram a nota da redação.

Repórter Beatriz Amiden: Depois de concluir o ensino médio na rede pública de ensino numa cidade do interior de Goiás, Lucas Xavier, 19 anos, fez o ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio, e conseguiu a melhor nota da escola. Nesse momento ele percebeu que o sonho de ser médico estava cada vez mais perto.

Lucas Xavier - Estudante: Muito mais perto. Muito mais perto. Assim, quando eu corrigi a prova eu fiquei muito feliz, pensei, vai dar para passar. No primeiro Sisu infelizmente eu fiquei por muito pouco, por duas vagas. Agora abriu o Sisu do meio do ano, o segundo Sisu, e outra oportunidade e vamos lá, estou confiante.

Repórter Beatriz Amiden: A Medicina, que é o grande desejo do estudante, pode estar a apenas um clique. É que ele fez a inscrição do Sisu, o Sistema de Seleção com Unificada que usa a nota do ENEM para que estudantes tenham acesso à vagas em universidades públicas. Com uma rotina de estudos com mais de 12 horas por dia, Lucas acredita que o esforço vai valer a pena.

Lucas Xavier - Estudante: Nos últimos anos do ensino médio eu comecei a estudar muito porque eu realmente vi o que eu queria e comecei a correr atrás. Aí eu bati na trave uma vez, duas vezes e entrei no cursinho e aqui eu comecei a focar totalmente, integral ao objetivo, entrar em Medicina. E agora eu estou confiante que esse ano vai. Se Deus quiser sim.

Repórter Beatriz Amiden: As inscrições para a segunda edição do Sisu já estão abertas e vão até o dia 01 de junho. Só podem ser feitas pela internet no endereço sisu.mec.gov.br. Podem participar estudantes que fizeram o ENEM e não zeraram a redação. O resultado vai ser divulgado no dia 05 de junho. A última edição do Sisu, em janeiro desse ano, foram disponibilizadas quase 240 mil vagas em 131 instituições de ensino. Reportagem, Beatriz Amiden.

Gláucia: Cerca de 600 mil estudantes que fizeram o ENEM e agora estão aptos a concorrer a uma vaga no Sisu vão precisar alterar a senha de inscrição na página do INEP na internet.

Airton: Isso por causa de um problema de sincronização entre as bases de dados dos órgãos responsáveis pelo exame.

Gláucia: Mas o problema já foi resolvido, de acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Educação e os estudantes afetados estão recebendo informações para acessarem o sistema normalmente.

Airton: A partir do próximo semestre todos os alunos do terceiro ano do ensino médio de escolas públicas vão fazer a Prova Brasil.

Gláucia: Professores e diretores também vão responder questionários para medir a qualidade da educação.

Airton: A escolas particulares que quiserem também podem participar.

Repórter Alessandra Bastos: A partir do próximo semestre a Prova Brasil do ensino médio vai ser aplicada pela primeira vez em todas as escolas públicas para todos os alunos do terceiro ano do ensino médio. Antes a Prova Brasil era aplicada por amostragem. Além da terceira série do ensino médio, também vão ser avaliados o quinto e o nono ano do ensino fundamento. Maria Enês Fini, presidente do INEP, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, explica que assim vai ser possível uma análise mais precisa do ensino.

Maria Enês Fini - presidente do INEP: Essas provas de língua portuguesa e matemática permitem compreender se os alunos desenvolveram nesses ciclos aquelas habilidades e competências esperadas para que eles tivessem feito essa trajetória escolar com sucesso. Além disso, também investiga as condições da escola.

Repórter Alessandra Bastos: Outra novidade é que as escolas particulares que quiserem participar também vão ser avaliadas, mas não são obrigadas, a participação é voluntária. Em uma delas, em Brasília, 118 estudantes do terceiro ano do ensino médio vão fazer a Prova Brasil. O coordenador pedagógico Diogo Batista considera importante para a escola.

Coordenador pedagógico - Diogo Batista: Para as escolas particulares hoje é interessante tendo em vista que enriquece o currículo, as escolas podem se preparar melhor para as grandes avaliações como o ENEM, e aí é um recurso a mais para a unidade, para as instituições particulares.

Repórter Alessandra Bastos: A Prova Brasil faz parte do Sistema de Avaliação da Educação Básica, o SAEB. Além da prova para os alunos, o SAEB envolve questionários para professores e diretores e os dados são usados para compor o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB. A ferramenta, segundo a presidente do INEP, é importante para fazer um retrato da educação. E formular políticas públicas.

Maria Enês Fini - presidente do INEP: Os seus resultados permitem construir um índice, então nós temos aí um amplo espectro da educação básica no Brasil a cada dois anos.

Repórter Alessandra Bastos: Para participar as escolas devem ter respondido ao Censo Escolar de 2016 e precisam preencher o formulário do Censo 2017. Já as escolas particulares devem manifestar o interesse até 30 de julho no portal do INEP. O Instituto espera avaliar sete milhões e meio de alunos de mais de cem mil escolas entre públicas e privadas. Reportagem, Alessandra Bastos.

Gláucia: 19h20 em Brasília. E para atrair tantos investimentos e geração mais empregos o governo precisa equilibrar as contas.

Airton: Já reduziu os gastos, mas ainda assim precisa arcar com o déficit da Previdência social. As contribuições não pagam as aposentadorias.

Gláucia: É por isso que o governo enviou ao Congresso uma proposta de reforma da Previdência.

Airton: E para discutir a reforma, integrantes do governo participaram de um debate que terminou agora a pouco, em São Paulo.

Gláucia: O repórter João Pedro Neto acompanhou e traz mais informações ao vivo aqui com a gente. Boa noite, João Pedro.

Repórter João Pedro Neto: Boa noite, Gláucia. Boa noite, Airton. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Olha, nesse debate promovido aqui em São Paulo por uma revista de circulação nacional, o ministro da Fazenda, ministro Henrique Meirelles, defendeu mais uma vez a aprovação do texto que tramita no Congresso Nacional. Henrique Meirelles afirmou que o momento de o país fazer uma reforma previdenciária é agora, o que vai garantir a sustentabilidade do sistema, assegurar que as pessoas vão receber a aposentadoria e vai trazer impactos positivos para a economia do país.

Henrique Meirelles - ministro da Fazenda: Isto já dá maior confiança a todos, porque o caminho já está claro e, portanto, o que o mercado começa a apostar é que a chances de volta atrás, as possibilidades de volta atrás e aquelas políticas anteriores que levaram o Brasil à recessão são menores, então com isso a economia já começa a se sustentar e os mercados também, apostando que as mudanças todas foram introduzidas, propostas por esse governo foi continuar e essas mudanças estão tendo efeito muito positivo para o Brasil.

Repórter João Pedro Neto: O secretário da Previdência, Marcelo Caetano, lembrou também que os ajustes feitos pelo Congresso Nacional em cima do projeto originas enviado pelo governo preservam cerca de 75% da economia inicialmente prevista para a Previdência Social, o que, segundo ele, vai representar em torno de 600 bilhões de reais aos cofres públicos nos próximos dez anos. Marcelo Caetano afirmou ainda que as alterações feitas lá na Câmara dos Deputados beneficiam as camadas menos favorecidas da sociedade.

Secretário da Previdência - Marcelo Caetano: O gosto das alterações que ocorreram elas foram para beneficiar mais a base, muito mais a base do que o topo. Então, por exemplo, a questão do rural, a questão também de manter uma pensão no valor do salário mínimo, o BPC, que é o Benefício de Prestação Continuada, que é um benefício assistencial que basicamente manteve as regras dos deficientes, e a idade do idoso ficou um pouco reduzida em relação à proposta original. Então o principal das alterações elas ocorreram justamente para beneficiar as camadas mais baixas.

Repórter João Pedro Neto: O economista Celso Toledo, que também participou do debate, ele afirmou o que mercado está confiante na aprovação da reforma da Previdência. Para ele, caso a proposta não seja aprovada, o cenário para a economia seria catastrófico.

Celso Toledo - economista: A não aprovação das reformas é um cenário, a meu ver, tão negativo, tão... quer dizer, pode conduzir o Brasil a uma crise tão profunda. A minha leitura é que o mercado está apostando implicitamente que essa agenda prossegue e na linha do projeto que foi, que passou na comissão.

Airton: Obrigado pela sua participação, João Pedro Neto.

Gláucia: O presidente Michel Temer nomeou o professor Torquato Jardim para o comando do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Airton: Torquato Jardim ocupa o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União, a CGU.

Gláucia: Com a decisão do presidente, o professor substitui Osmar Serraglio, que estava à frente do Ministério da Justiça desde março.

Airton: Em nota, Temer agradeceu o empenho e o trabalho realizado por Serraglio e disse que pretende contar com a colaboração do deputado em outras atividades em favor do Brasil.

Gláucia: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Airton: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da presidência da República.

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Airton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional e tenha uma boa noite.

 

Gláucia: Boa noite para você e até amanhã.