30/01/2017 - A Voz do Brasil

Presidente Temer inaugura obra do Projeto de Transposição do Rio São Francisco no município de Floresta (PE). Divulgado resultado do Sisu. Força Aérea Brasileira ajuda a combater incêndios florestais no Chile. Tudo isso você ouviu nesta segunda-feira em A Voz do Brasil!

audio/mpeg 30 01 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23893 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 30/01/2017

 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite.

Nasi: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

Gláucia: Segunda-feira, 30 de janeiro de 2017.

Nasi: E vamos ao destaque do dia: Águas do São Francisco começam a correr por canais em Pernambuco e vão chegar à Paraíba até março.

 

Gláucia: Presidente Michel Temer diz que a transposição vai combater a seca e levar desenvolvimento ao nordeste.

 

Presidente Michel Temer: Eu penso que, ainda neste ano, as casas estarão abastecidas com águas da transposição.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Presidente Michel Temer inaugura novo campus para ensino técnico no sertão pernambucano.

 

Nasi: Diminuir as filas nos hospitais. O governo libera recursos para saúde no Rio de Janeiro. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: Um mutirão nos hospitais cariocas começa já nesta terça-feira. A expectativa é de mais de 5 mil atendimentos nos próximos três meses.

 

Gláucia: Saiu o resultado do Sisu. E se você está fora da lista, ainda tem chance. As inscrições para o Prouni começam amanhã com número recorde de vagas.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gláucia Gomes e Nazi Brum.

 

Gláucia: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: As águas do Rio São Francisco começaram a correr pelo canal que fica em Floresta, Pernambuco.

 

Gláucia: É que foi inaugurada uma das estações de bombeamento do eixo leste do projeto de integração do São Francisco.

 

Nasi: Agora a água vai avançar por 50 quilômetros, até chegar na Paraíba.

 

Gláucia: E o presidente Michel Temer acionou uma das bombas e disse que ainda neste ano os moradores do nordeste vão ter na torneira de casa água da transposição.

 

Repórter Luana Karen: A água chegou à área rural de Floresta, em Pernambuco. E a dona Maria Celestina de Araújo estava lá pra ver.

 

Entrevistada - Maria Celestina de Araújo: É muito bonito, né, vamos encontrar água, vamos encontrar ela em cima, do alto, aí ficamos, demoramos olhando um pedacinho, aí ela seguiu pra barragem, já. Tá uma beleza agora, só falta chover pra criar pasto pros bichos, né?

 

Repórter Luana Karen: A terceira estação de bombeamento do eixo leste do projeto de integração do Rio São Francisco foi acionada pelo Presidente Michel Temer nesta segunda-feira. Agora, a água do Velho Chico prossegue na missão de levar vida a onde antes só havia esperança.

 

Presidente Michel Temer: Eu tive uma emoção muito grande agora, ao acionar a bomba que levou a água para a parte de cima. Portanto, quando nós vemos a água percorrendo as áreas do nordeste, nós logo temos a convicção de que, ao longo do tempo, esta região toda se desenvolverá mais ainda.

 

Repórter Luana Karen: A estação vai elevar a água do rio a uma altura de 63,5 metros, o equivalente a um prédio de 21 andares. Vencida essa etapa, o Velho Chico vai percorrer mais 61 quilômetros por Pernambuco, rumo à Paraíba. No caminho, vai abastecer três reservatórios e um aqueduto, um desafio que está sendo vencido com a ajuda de quem sabe bem a dificuldade que é viver sem água, como afirma Cássio Vitório de Campos, coordenador de obras da construtora responsável pelo trecho leste.

 

Coordenador de obras - Cássio Vitório de Campos: 90% dos nossos funcionários são locais, dos municípios que passa, que é Floresta, Custódia, Sertânia e Monteiro, é toda aproveitada a mão de obra dessa região. Então isso gera emprego, gera desenvolvimento nas cidades. Aí o pessoal vibra muito com a obra.

 

Repórter Luana Karen: A água do São Francisco é captada em Floresta, e vai seguir pelo interior de Pernambuco, até Monteiro, na Paraíba, onde vai encontrar com o Rio Paraíba e seguir para Campina Grande. Segundo o ministro da Integração Nacional, o Helder Barbalho, a água deve chegar na Paraíba ainda em março.

 

Ministro da Integração Nacional - Helder Barbalho: Se tudo cooperar, nós estaremos já na primeira semana de março fazendo a tão sonhada chegada da água do São Francisco até o estado da Paraíba, demonstrando o compromisso desse governo.

 

Repórter Luana Karen: O governo federal anunciou a liberação de mais de R$ 40 milhões para o início do projeto do ramal do agreste. A obra vai garantir água para o consumo humano a mais de dois milhões de moradores do agreste pernambucano. De Floresta, em Pernambuco, Luana Karen.

 

Nasi: Assim que ficar pronto, o projeto de Integração do São Francisco vai levar água para mais de 12 milhões de pessoas em Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

 

Gláucia: E ainda em Pernambuco, o presidente Michel Temer foi à Serra Talhada, a 415 quilômetros da capital, Recife, para inaugurar o novo campus do Instituto Federal do Sertão Pernambucano.

 

Nasi: O novo campus vai levar qualificação aos moradores, não só de Serra Talhada, mas de outros 15 municípios da região.

 

Repórter José Luiz Filho: 350 alunos do ensino médio e técnico de Serra Talhada vão começar o ano letivo nesta quarta-feira de casa nova. O instituto funciona desde 2015 na cidade, mas as aulas eram realizadas em salas cedidas pela Prefeitura. Alan Jones Heliodoro, aluno do curso técnico em logística, falou dos benefícios que a nova estrutura vai trazer.

 

Estudante - Alan Jones Heliodoro: A inauguração do prédio vai dar mais conforto, a gente vai poder estudar melhor, porque a gente vai ter a nossa própria biblioteca, nosso próprio setor de informática, nosso próprio ginásio. Aí vai ser importante, porque é nosso.

 

Repórter José Luiz Filho: No campus são oferecidos os cursos de técnico em logística, eletrotécnica e refrigeração e climatização, além do curso técnico em segurança do trabalho, na modalidade ensino à distância. Segundo o chefe do departamento de ensino do campus, Alex de Souza Magalhães, a ideia agora é abrir novos cursos, beneficiando não só Serra Talhada, mas outros municípios do sertão pernambucano.

 

Chefe de ensino - Alex de Souza Magalhães: Existe o planejamento do campus, de a gente abrir uma licenciatura em física no meio do ano, né, e também algumas engenharias.

 

Repórter José Luiz Filho: R$ 11,7 milhões foram investidos na construção do novo prédio, e durante a cerimônia de inauguração o presidente Michel Temer e o ministro da educação, Mendonça Filho, liberaram mais recursos. São mais de R$ 2 milhões para finalizar a compra e instalação de equipamentos para a unidade. O ministro da Educação, Mendonça Filho, ressaltou a atenção do governo com o ensino técnico.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Atrair novos alunos pra novos cursos na formação técnica e tecnológica, viabilizando evidentemente um futuro diferenciado pra essa mesma juventude. Quando se trata de educação, a gente tem que ter a união de todos, porque a gente está tratando do futuro das crianças e dos jovens do Brasil.

 

Repórter José Luiz Filho: O governo também vai destinar R$ 92 milhões para estados e municípios que não conseguem pagar o piso salarial dos professores sem ajuda federal. Esse montante é parte de uma verba de quase R$ 1,3 bilhão, previstos para nove estados este ano. O presidente Michel Temer reafirmou a dedicação do governo em manter os investimentos em educação, entre eles o compromisso com os salários dos professores.

 

Presidente Michel Temer: Esse fato é um fato fundamental, algo que seria lançado para o ano que vem, acertado para o ano que vem, nós estamos antecipando para este ano. Portanto, educação é a solução, não é sem razão, no ano passado fizemos a proposta orçamentária e este ano aumentamos em R$ 10 bilhões a verba para a educação.

 

Repórter José Luiz Filho: O piso nacional dos professores para este ano é de R$ 2.298,80. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gláucia: Hora de acabar com as filas.

 

Nasi: Um mutirão nos hospitais no Rio de Janeiro começa amanhã, para diminuir as filas nos hospitais cariocas. Vão ser mais de cinco mil atendimentos em três meses.

 

Gláucia: R$ 395 milhões estão sendo liberados. A ideia é que em 90 dias sejam feitos mais de cinco mil atendimentos.

 

Repórter Natália Melo: Mais investimentos para a saúde do Rio de Janeiro. R$ 395 milhões foram liberados pelo Governo Federal para ajudar o estado. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante encontro com prefeitos da cidade. Com os recursos, 160 serviços e leitos vão ser beneficiados em 37 municípios. O ministro destacou ainda um mutirão nos hospitais federais do Rio de Janeiro, para reduzir as filas de cirurgias, consultas e exames pré-cirúrgicos.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós informaremos ao cidadão o seu lugar na fila. Em todos os estados onde os mutirões acontecem, permanentemente, as filas reduzem em torno de 70%, ficam 30% das pessoas, e nós temos R$ 340 milhões esse ano, para dar solução a essa fila.

 

Repórter Natália Melo: O ministro também falou sobre novas obras em unidades de saúde do Rio, e anunciou a renovação de frotas do SAMU.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: São unidades básicas, são academias de saúde, vários tipos de obras, e temos também as 47 ambulâncias da renovação de frota do SAMU, que já estão entregues, sendo 37 aqui para o Rio de Janeiro.

 

Repórter Natália Melo: Para o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivela, a parceria com o Governo Federal vai ajudar a diminuir as filas dos hospitais.

 

Prefeito do Rio de Janeiro - Marcelo Crivela: Com essas consultas, com os exames e as cirurgias, em parceria com o Governo Federal vamos alcançar esse sonho que é diminuir essa fila.

 

Repórter Natália Melo: O mutirão nos hospitais começa terça-feira. A expectativa é de mais de cinco mil atendimentos nos próximos três meses. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: Você sabe se aí na sua cidade tem gente exportando produtos ou comprando de outros países?

 

Gláucia: Então, a partir de agora vai ser possível consultar os dados de importações e exportações de cada município brasileiro.

 

Nasi: Dá pra saber quais produtos uma cidade compra ou vende, quais são as empresas e quais os valores do comércio exterior local.

 

Gláucia: Quer saber como? A repórter Mara Kenupp explica pra gente.

 

Repórter Mara Kenupp: Bastam apenas alguns minutos na frente do computador para acessar as informações sobre dados de comércio exterior de todo o país. O novo módulo de consulta foi desenvolvida por servidores do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e de acordo com o analista de comércio exterior do Ministério, Saulo de Souza, o Comex Vis, exclusivamente sobre os municípios, está aberto a qualquer cidadão.

 

Analista de comércio exterior - Saulo de Souza: A gente tentou fazer de modo que ele atinja o máximo possível de público alvo, tanto jornalistas ou estudantes, empresários que estão interessados em informações rápidas.

 

Repórter Mara Kenupp: Por meio do Comex Vis é possível encontrar informações sobre estatísticas, valores e ranking entre os municípios, número de empresas, produtos que entram e saem do país, o destino e a origem das mercadorias. Para o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, a nova plataforma é um instrumento de Inteligência comercial.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Pereira: É uma política de desburocratização, de facilitação do ambiente de negócios, de melhoria na entrega dos serviços públicos, é uma ferramenta fácil, e por isso, nós acreditamos, ajudará muito na compreensão e na exploração das informações por aqueles que operam comércio exterior.

 

Repórter Mara Kenupp: O Comex Vis pode ser acessado também em dispositivos móveis, como celulares e tablets. Basta entrar no site www.mdic.gov.br e clicar no link Comex Vis, no canto superior esquerdo. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Nasi: A ajuda brasileira para combater o fogo em florestas no Chile já chegou ao país.

 

Gláucia: Pois é. O Chile passa por um dos piores incêndios da história.

 

Nasi: Onze pessoas morreram e a área queimada já é superior a 370 mil campos de futebol.

 

Repórter Gabriela Noronha: Duas aeronaves da Força Aérea brasileira decolaram neste domingo com 28 militares a bordo, para auxiliar no combate aos incêndios florestais no Chile. Um dos aviões decolou equipado com sistema de combate a incêndios, o outro transporta materiais de suporte, como piscinas para abastecer de água a aeronave, e equipamentos de manutenção. O Chile decretou situação de emergência por causa da maior catástrofe florestal da história do país. Segundo as últimas informações, até sábado, 110 incêndios estavam ativos. As regiões mais afetadas são as do centro e sul do Chile. As chamas já deixaram 11 mortos e queimaram área de cerca de 374 mil hectares, o que equivale a quase 374 mil campos de futebol. De Brasília, Gabriela Noronha.

 

Gláucia: 19h14, no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Saiu o resultado do SISU e tem muita gente comemorando.

 

Gláucia: E pra quem não conseguiu, pode ter mais uma chance se inscrevendo para uma bolsa do Prouni. Daqui a pouquinho, vamos explicar como, não saia daí.

 

Nasi: Quer saber sobre tratamentos na rede pública de saúde, fazer uma reclamação ou até sugerir novos serviços para o SUS?

 

Gláucia: O "Pra você, cidadão" de hoje dá a dica. Liga pro disque saúde.

 

"Pra você, cidadão"

 

Repórter Daniel Costa: Se você tem dúvidas sobre determinada doença, quer fazer uma reclamação ou pretende saber mais a respeito das ações e programas do Ministério da Saúde, ligue para o disque saúde. O telefone é 136. Você pode procurar o atendimento quando precisar indicar alguma irregularidade, como por exemplo casos de cobranças de procedimentos ou negligência médica. Pelo 136 é possível relatar insatisfação em relação às ações e aos serviços de saúde, como a demora no atendimento ou a falta de medicamentos. Você consegue acesso a atendimento, como necessidade de consulta, tratamento ou cirurgias. O telefone serve também para fazer elogios para algum serviço prestado pelo SUS e até para propor ou recomendar uma ação considerada útil à melhoria do SUS. O disque saúde 136 funciona 24 horas, com atendimento eletrônico, de segunda à sexta-feira, das 7h da manhã às 10h da noite, e aos sábados e domingos, das 8h da manhã às 6h da tarde. A ligação é gratuita e pode ser originada de telefones fixos, públicos ou celulares de qualquer local do país. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Velas, canções, oração, silêncio. O final de semana foi dedicado a relembrar as vítimas do holocausto, quando mais de seis milhões de pessoas, sobretudo judeus, foram mortas na Alemanha.

 

Gláucia: Uma cerimônia em São Paulo relembrou o passado com o olhar no futuro. O presidente Michel Temer, autoridades e um sobrevivente lembraram que estudar o passado ensina a não cometer o mesmo erro no futuro.

 

Nasi: E lembraram também que intolerância ainda não ficou pra trás, ela continua viva e precisa ser combatida.

 

Repórter Leonardo Meira: Neste domingo, o encontro que lotou a sinagoga Etz Chaim, na capital paulista, teve motivo especial: o ato nacional em memória às vítimas do holocausto. Na cerimônia foram acesas seis velas, cada uma representou uma parcela dos seis milhões de judeus e outras vítimas do holocausto. O presidente da República, Michel Temer, participou do ato e destacou que relembrar a tragédia ajuda a preparar o futuro.

 

Presidente Michel Temer: Que este ato possa percorrer todos os cantos e recantos do nosso país, quem sabe possa atingir o exterior, na medida em que este momento é o momento da revelação da tolerância, da temperança, daquilo que deve unir e reunificar as pessoas.

 

Repórter: Ministro das Relações Exteriores, José Serra, ressaltou que a intolerância não ficou no passado, mas ainda é preciso combatê-la.

 

Ministro das Relações Exteriores - José Serra: A única possibilidade de evitar que novos genocídios se repitam é conhecer aquilo que aconteceu. Portanto, essa não é uma questão dos judeus, não, é uma questão de toda a humanidade.

 

Repórter Leonardo Meira: O ato também teve testemunho de um sobrevivente da tragédia. Thomas Venetianer tinha sete anos quando foi pro campo de concentração com seus pais. Em 1948 a família veio para o Brasil para recomeçar a vida.

 

Entrevistado - Thomas Venetianer: Minha mãe esteve comigo no campo de Terezin, meu pai esteve num campo de concentração alemão. E quando nós nos juntamos, meu pai decidiu que ele não ficaria na Europa, porque ele perdeu toda a sua família. Desde então, nós somos brasileiros.

 

Repórter Leonardo Meira: O dia internacional em memória das vítimas do holocausto foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2005. Reportagem, Leonardo Meira.

 

Gláucia: O cenário econômico difícil fez a caixa do governo fechar com saldo negativo recorde em 2016. As despesas superaram as receitas em mais de R$ 154,2 bilhões.

 

Nasi: Mas, apesar do resultado negativo, a conta ficou dentro da meta fiscal criada pelo governo e aprovada pelo Congresso, que era de mais de R$ 170 bilhões.

 

Gláucia: Um dos fatores que ajudou a manter o déficit primário foi o programa de regularização de recursos no exterior, a chamada repatriação, que arrecadou mais de R$ 46 bilhões.

 

Nasi: Além disso, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no ano passado o governo reduziu as despesas que vinham de outros anos.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Durante todo o ano conduzimos de forma rigorosa a execução orçamentária e financeira, o que permitiu o pagamento de despesas de anos anteriores. Esse esforço reduziu em mais de R$ 37,5 bilhões o estoque de restos a pagar da União, o maior volume dos últimos dez anos.

 

Gláucia: Para o ministro Meirelles, o limite que foi criado pelos próximos 20 anos pros gastos públicos vai permitir que o governo passe a voltar a apresentar, possa voltar a apresentar saldo positivo nas contas.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O teto de gastos agora vai permitir ao Brasil voltar gradualmente a produzir superávits primários, gerando a economia necessária para a estabilização e redução da dívida pública federal e a necessária confiança para a retomada do crescimento econômico.

 

Nasi: Acabou a espera. Foi divulgada hoje a lista de aprovados no SISU, o Sistema de Seleção Unificada.

 

Gláucia: Os estudantes aprovados devem realizar a matrícula a partir de sexta-feira, nas instituições em que vão estudar.

 

Nasi: A lista está na página do SISU, na internet, em www.sisu.mec.gov.br.

 

Gláucia: Agora, quem não foi aprovado tem ainda a chance de concorrer a uma vaga pela lista de espera ou se inscrever para uma bolsa em faculdade particular pelo Prouni, o Programa Universidade para Todos.

 

Nasi: e as inscrições começam daqui a pouco, à meia noite.

 

Repórter Natália Koslik: Pra esta seleção, vão ser ofertadas mais de 214 mil bolsas de estudo. Este é o maior número desde a criação do programa, em 2004. O Prouni, Programa Universidade Para Todos, oferece bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de faculdades particulares de todo o país. O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que as políticas públicas de acesso ao ensino superior, como o Prouni, vão ser mantidas.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Todas as políticas públicas colocadas à disposição dos jovens brasileiros, em especial na educação superior, estão preservadas.

 

Repórter Natália Koslik: Podem concorrer estudantes de baixa renda que não tenham diploma de curso superior e que fizeram no mínimo 450 pontos no Enem. Para concorrer a uma bolsa integral o estudante tem que comprovar renda familiar de até R$ 1.405 por mês. Para bolsa parcial em que o governo fica responsável por 50% da mensalidade, a renda familiar mensal tem que ser de até R$ 2.810. As inscrições vão até sexta-feira, dia 3 de fevereiro, e são feitas pela internet, na página do Prouni, em siteprouni.mec.gov.br. Reportagem, Natália Koslik.

 

Nasi: 19h22, no horário brasileiro de verão.

 

Gláucia: Hoje a Voz do Brasil vai até o Piauí para contar uma história de milhares de anos.

 

Nasi: Vamos conhecer o Parque Nacional da Serra da Capivara, um santuário arqueológico, reconhecido como patrimônio mundial pela Unesco.

 

Gláucia: O parque recebe turistas de todo o mundo e leva reconhecimento e desenvolvimento para a região.

 

Repórter Taíssa Dias: Um museu a céu aberto sobre a pré-história da humanidade e uma imensidão de um bioma exclusivamente brasileiro, a caatinga. Com 1.300 sítios arqueológicos, o Parque Nacional da Serra da Capivara é um importante local de preservação do meio ambiente e um procurado destino turístico no estado do Piauí. Eliete Silva é guia e cientista natural. Receber os turistas na Serra da Capivara, para ela, é mais do que um meio de sobrevivência.

 

Guia - Eliete Silva: É você fazer pesquisa, é você dar a volta no mundo sem sair do local, quando você tem o contato direto com o turista. Então, enfim, a Serra da Capivara foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida.

 

Repórter Taíssa Dias: Oportunidade para guias como a Eliete e também para o desenvolvimento dos municípios na Serra da Capivara. São Raimundo Nonato é um dos mais próximos da principal entrada do parque. Na cidade está o Museu do Homem Americano, que abriga peças retiradas da serra. Ferramentas confeccionadas pelo homem pré-histórico, cerâmicas e até urnas funerárias ajudam os visitantes a entenderem a importância da região para as pesquisas sobre a pré-história. Segundo a prefeita da cidade, Carmelita Castro, o movimento de turistas e pesquisadores traz efeitos positivos para a cidade.

 

Prefeita de São Raimundo Nonato - Carmelita Castro: Isso vai agregar empregos, rendas. O museu tem os padrões dos museus internacionais, não deixa a desejar a nenhum dos museus do mundo afora.

 

Repórter Taíssa Dias: Os moradores de São Raimundo Nonato já se acostumaram com o movimento gerado pelo Parque da Serra da Capivara e se orgulham desse bem.

 

Entrevistado: Atraiu mais turistas, de vários países, ou seja, do Brasil e do exterior.

 

Entrevistado: A gente se sente muito orgulhoso, porque é um parque, que ele é conhecido praticamente no mundo inteiro.

 

Repórter Taíssa Dias: Quase 200 sítios arqueológicos do Parque Nacional da Serra da Capivara estão abertos à visitação. 17 deles têm acessibilidade para cadeirantes. Roteiros para todos os públicos.

 

Guia - Eliete Silva: A natureza é belíssima, é encantador.

 

Repórter Taíssa Dias: Para o visitante é quase impossível conhecer tudo nos cerca de 130 mil hectares de belezas naturais e vestígios da pré-história no Parque Nacional da Serra da Capivara. E por isso só há uma certeza, a de querer voltar. De São Raimundo Nonato, no Piauí, Taíssa Dias.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite pra você e até amanhã.