Presidente Jair Bolsonaro destaca a importância da retomada da produção de urânio no Brasil

Íntegra do discurso gravado do presidente Jair Bolsonaro transmitido na cerimônia para celebrar a retomada da produção de urânio no Brasil, a partir da lavra a céu aberto de uma nova mina na Unidade de Concentração de Urânio de Caetité , na Bahia, a Mina do Engenho.

audio/mpeg 01-12-20 PRESIDENTE JAIR BOLSONARO RETOMADA PRODUÇÃO DE URÂNIO.mp3 — 965 KB

Duração: 58s




Transcrição

Realizada , nesta terça-feira , cerimônia para celebrar a retomada da produção de urânio no Brasil, a partir da lavra a céu aberto de uma nova mina na Unidade de Concentração de Urânio de Caetité , na Bahia, a Mina do Engenho. 

 

A Cerimônia contou com a presença do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

 

A retomada da produção é uma conquista das Indústrias Nucleares do Brasil e para o País. Representa um fator importante para a geração de empregos e recursos para o sudoeste da Bahia. 

 

A expectativa é que sejam produzidas 260 toneladas de concentrado de urânio por ano, quando a Mina do Engenho atingir a sua capacidade máxima. 

 

O urânio é a matéria-prima básica para a fabricação do combustível que abastece as usinas nucleares.

 

As atividades de mineração na Unidade foram paralisadas em 2015, após a exaustão do processo de extração a céu aberto da primeira área que foi lavrada, a Mina Cachoeira.

 

Em Caetité, são realizados a mineração e o beneficiamento de urânio, atividades que correspondem à primeira etapa do Ciclo do Combustível Nuclear. 

 

De 2000 a 2015, foram produzidas 3.750 toneladas de concentrado de urânio a partir da Mina Cachoeira. Com a exaustão dos recursos passíveis de lavra a céu aberto, decidiu-se por licenciar uma nova área, a Mina do Engenho.

 

 

A Autorização para lavra da nova mina foi concedida pela Comissão Nacional de Energia Nuclear em dezembro de 2019. O Ibama, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis,  renovou no mês seguinte a Licença de Operação da Unidade.

 

 

A Comissão Nacional de Energia Nuclear condicionou a licença operacional para a volta à produção na unidade à realização de Testes Funcionais , que ocorreram a partir de 2018. 

 

Em setembro de 2020, como parte dos testes,  o concentrado de urânio produto final foi colocado em tambores . No total, foram produzidas 17 toneladas durante os testes funcionais realizados na Unidade.