Presidente Bolsonaro dá posse a dois novos ministros e sanciona lei de autonomia do Banco Central

Onyx Lorenzoni deixou o Ministério da Cidadania para ocupar a Secretaria-Geral da Presidência da República. Ele substitui Jorge de Oliveira, que assumiu uma vaga de ministro do Tribunal de Contas da União. O lugar de Lorenzoni no Ministério da Cidadania foi ocupado pelo deputado federal João Roma, do Partido Republicanos pela Bahia, que chefiou o gabinete do ex-prefeito de Salvador ACM Neto.

audio/mpeg 24-02-21 - CERIMONIA DE POSSE NOVOS MINISTROS E AUTONOMIA DO BANCO CENTRAL - presidente Bolsonaro.mp3 — 9593 KB




Transcrição

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quarta-feira (24), a lei que dá autonomia ao Banco Central, aprovada pelo Congresso Nacional no último dia 10.
Mesmo com a mudança de status do BC, o presidente da República continua responsável pela indicação dos nomes do diretores do banco, que devem ser aprovados em sabatina no Senado.
O mandato do presidente e diretores do Banco Central será de quatro anos, mas não podem coincidir com o mandato do presidente da República.
No cerimônia no Palácio do Planalto, Bolsonaro voltou a destacar  a importância do Ministro da Economia, Paulo Guedes, para o governo.
Também no Planalto, o presidente da República deu posse a dois novos ministros. Onyx Lorenzoni deixou o Ministério da Cidadania para ocupar a Secretaria-Geral da Presidência da República. Ele é deputado pelo Democratas do Rio Grande do Sul, e no governo Bolsonaro chefiou a Casa Civil até fevereiro de 2020. Ele substitui Jorge de Oliveira, que assumiu uma vaga de ministro do Tribunal de Contas da União. O lugar de Lorenzoni  no Ministério da Cidadania  foi ocupado pelo deputado federal João Roma, do Partido Republicanos pela Bahia, que chefiou o gabinete do ex-prefeito de Salvador ACM Neto. Ainda na cerimônia, o presidente assinou um projeto de lei que será encaminhado ao Congresso propondo a privatização dos Correios.