PREVISÃO DO TEMPO PARA O PRODUTOR RURAL – BRASIL (ATÉ 14/02)

As informações do Boletim são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), órgãos ligados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

audio/mpeg 08-02-22 - BOLETIM AGROMETEREOLÓGICO - BRASIL.mp3 — 4521 KB

Duração: 3'39''




Transcrição

N-NE: No Norte, são esperados maiores volumes de chuva, principalmente, no Sul e Oeste de TO, que deverão ultrapassar 100 mm. No Nordeste, os acumulados ficarão abaixo de 20 mm em praticamente todo o Leste da região. No Oeste, os acumulados não ultrapassarão os 100 mm, com destaque para o Oeste da BA e o Sudoeste do MA. Entre o Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (Matopiba), as chuvas beneficiarão o desenvolvimento das lavouras, mas podem interferir no avanço da colheita da soja e da semeadura do milho 2ª safra em algumas áreas.

CO: Chuvas intensas, em torno de 100 e 250 mm, em MT, GO e DF, o que favorecerá a manutenção da umidade no solo e o desenvolvimento das lavouras. No entanto, o excesso de chuvas poderá reduzir o ritmo da colheita da soja e da semeadura do milho 2ª safra em algumas áreas. No MS, a previsão de volumes de chuva inferiores a 50 mm será suficiente para a manutenção da umidade no solo no Centro-Norte e no Leste do estado. Já no Sudoeste, deverá manter a diminuição de água nos cultivos de 1ª safra.

SE: Volumes de chuva significativos nas regiões Central e da Zona da Mata em MG, RJ e Nordeste de SP, podendo ultrapassar os 200 mm e causar impactos pontuais por excesso de chuvas. Para o Centro-Sul de São Paulo, são previstos acumulados de chuva abaixo de 30 mm. Em toda a região Sudeste, as condições de umidade serão favoráveis para os cultivos de grãos, cana-de-açúcar e café. 

S: Esperam-se volumes de chuva abaixo de 10 mm ou ausência de queda de chuva. Nos próximos dias, as temperaturas máximas se manterão elevadas, acima de 34°C, em grande parte da região Sul até o dia 09, com ligeira redução nas máximas e mínimas nos dias seguintes. Essa condição reduzirá a umidade no solo, agravando a diminuição de água em áreas já afetadas por estiagens, onde boa parte das lavouras de milho e soja encontram-se em estádios reprodutivos.