Previsão de geada continua para Sul e Sudeste nos próximos dias

A condição para geadas amplas é prevista para grande parte do centro-sul do país, e para geada intensa na Região Sul, sul de Mato Grosso do Sul, áreas de São Paulo e sul de Minas Gerais

audio/mpeg BA Geadas.mp3 — 2616 KB

Duração: 2m47s




Transcrição

A tendência de frio intenso em diversas regiões do país mantém a previsão de geadas em alguns estados na madrugada desta sexta-feira (30). A condição para geadas amplas é prevista para grande parte do centro-sul do país, e para geada intensa na Região Sul, sul de Mato Grosso do Sul, áreas de São Paulo e sul de Minas Gerais.  

No sábado (31), ainda poderá ocorrer geada na divisa entre São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro - região de Itatiaia, além de toda a Região Sul e sudeste de São Paulo.

Equipes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estão em campo nos estados mais atingidos pela geada da semana passada, em propriedades rurais onde há uma provável mudança nas expectativas de produção das culturas de café, cana-de-açúcar e grãos, em especial o milho e o trigo. Representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estão se reunindo com lideranças de cooperativas e bancos para levantar as demandas dos produtores atingidos. 

A Conab passou a divulgar em seu site um trabalho extra de acompanhamento e análise específica dos impactos climáticos nas localidades atingidas pelo frio extremo. Os resultados iniciais do trabalho já podem ser acessados no site da Conab em www.conab.gov.br, no documento intitulado Monitoramento de Geada.  

A Companhia também monitora os impactos da geada nas produtoras de hortaliças e frutas. Os resultados estão no Relatório de Monitoramento Semanal da Comercialização dos principais produtos nas Centrais de Abastecimento, divulgado semanalmente. 

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) desenvolveu a Plataforma de Monitoramento de possíveis Geadas no Brasil, que apresenta um mapa de possíveis ocorrências de geadas baseado nos dados registrados pelas Estações Meteorológicas Automática.

As informações são do Sistema Nacional de Meteorologia, que reúne dados do Instituto nacional de Meteorologia (Inmet), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).