Inep divulga resultado da análise de pedidos especiais do Revalida

E mais: Ministério do Turismo lança campanha para estimular regularização de acampamentos turísticos; Abertas as inscrições para curso sobre dependência química entre mulheres reclusas em comunidades terapêuticas e instituições carcerárias.

audio/mpeg 01-02-22 - É NOTÍCIA EM 2 MINUTOS - LANA CRISTINA - FINALIZADO.mp3 — 2887 KB

Duração: 2m19s




Transcrição

 

O Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, divulgou, nesta segunda-feira, o resultado da análise dos diplomas, das solicitações de atendimento especializado e dos pedidos de tratamento por nome social dos inscritos na primeira etapa do Revalida 2022, o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira.

O participante que teve o diploma recusado ou pedido de atendimento especial no dia da prova ou de uso do nome social indeferido, pode entra com recursos até a próxima sexta-feira, dia 4.

----------

O Ministério do Turismo lançou uma campanha visando à ampliação do número de acampamentos turísticos regularizados no Cadastur, Cadastro Nacional de Prestadores de Serviços Turísticos. O objetivo da ação é informar e sensibilizar os empreendimentos sobre a importância e os benefícios do cadastro para a correta prestação de serviço.

Desde o início da pandemia, o número de acampamentos turísticos cadastrados no Brasil cresceu 164%, passando de 184 para 486. Apesar do aumento da regularização, estima-se que mais de 900 empreendimentos do tipo ainda atuem de forma irregular no país.

----------

Estão abertas até o dia 15 de março as inscrições para o curso Amparo - Aprendendo sobre a dependência química em mulheres acolhidas e reclusas: oportunidades de cuidado e atenção.

Terão prioridade na inscrição os profissionais que atuam em comunidades terapêuticas e instituições carcerárias.

As atividades são online e começarão no dia 22 de março, com carga horária de 28 horas.

Entre os temas que serão abordados no curso estão o consumo de substâncias psicoativas e dependência química, o impacto da dependência química na vida da mulher, além das recomendações para prevenir e tratar a Covid-19 no sistema prisional e nas comunidades terapêuticas.

Desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina, o curso é promovido em parceria pela Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania e a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília,