Prazo de adesão do Brasil na Escola foi prorrogado até 7 de junho

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe já aplicou 20 milhões e 200 mil doses. A previsão é que a campanha encerre a segunda fase na próxima terça-feira, dia 8; Fundação Oswaldo Cruz, assinou nessa terça-feira (1º) contrato de transferência de tecnologia com a AstraZeneca para a produção de vacina contra a covid-19 totalmente fabricada no Brasil.

audio/mpeg 02-06-20 - É NOTICIA EM 2 MIM - DILSON SANTA FÉ - 2m15s - FINALIZADO 000.mp3 — 3168 KB

Duração: 2:15s




Transcrição

O prazo de adesão para o Programa Brasil na Escola foi estendido até o próximo dia 7.

Os estados e municípios que tiverem escolas da rede pública do ensino fundamental para os anos finais têm até às 6 da tarde da próxima segunda-feira pra fazer a adesão, por meio do Módulo PAR 4 no SIMEC, o Sistema MEC.

O programa Brasil na Escola prevê um investimento de mais de 270 milhões de reais no biênio 2021-2022. Até o dia 26 de maio, mais de 2.700 municípios, 24 estados e DF já haviam feito a adesão.

 

O processo é uma condição necessária para que as escolas participem de qualquer um dos três eixos do programa: apoio técnico e financeiro; valorização de boas práticas; e inovação.

 

----------------------------------------

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe já aplicou 20 milhões e 200 mil doses. A previsão é que a campanha encerre a segunda fase na próxima terça-feira, dia 8.

 

O número corresponde a 25,3% da meta pretendida, de cerca de 80 milhões de doses, até o final da terceira fase, em 9 de julho.

 

A segunda etapa é destinada a idosos com mais de 60 anos e professores.

 

A expectativa era de, nesta fase, vacinar em torno de 33 milhões de pessoas.

 

Na primeira etapa, de 12 de abril a 10 de maio, o público-alvo foram crianças com idade entre 6 meses e 6 anos; gestantes e mulheres no período até 45 dias após o parto, as puérperas; povos indígenas e trabalhadores da saúde.

 

------------------------------------

 

A Fiocruz, Fundação Oswaldo Cruz, assinou nessa terça-feira (1º) contrato de transferência de tecnologia com a AstraZeneca para a produção de vacina contra a covid-19 totalmente fabricada no país. O contrato formaliza processo já iniciado de compartilhamento de inovações, pela AstraZeneca em consórcio com a Universidade de Oxford, com a Fiocruz.

 


Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé