Trinta e cinco municípios mineiros vão receber R$17 milhões para atender ações de defesa civil

As chuvas intensas atingiram desde janeiro 197 cidades mineiras que tiveram situação de emergência reconhecida pelo Governo Federal; Mec prorrogou o prazo para instituições privadas de ensino superior solicitarem autorização para cursos técnicos; Defensivos agrícolas genéricos têm registros publicados no Diário Oficial.

audio/mpeg 03-03-20 - E NOTICIA EM 2 MINUTOS - JOSE CARLOS - TARDE.mp3 — 1754 KB

Duração: 1m52s




Transcrição

Trinta e cinco municípios mineiros vão receber R$17 milhões para atender ações de defesa civil.

 

As chuvas intensas atingiram desde janeiro 197 cidades mineiras que tiveram situação de emergência reconhecida pelo Governo Federal.

 

Os municípios atendidos estão com seus planos de trabalho analisados pela equipe técnica da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, do Ministério de Desenvolvimento Regional.

 

As liberações de recursos são parte do pacote de quase R$1 bilhão anunciado pelo governo federal.

----------------------------------------------

O Mec prorrogou o prazo para instituições privadas de ensino superior solicitarem autorização para cursos técnicos.

 

O período que terminaria em primeiro de março foi estendido por mais 30 dias.

 

A medida é parte da consolidação do Novos Caminhos, agenda estratégica desta gestão para a educação profissional e tecnológica.

 

Os pedidos de autorização de cursos devem ser feitos por meio do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica e o ministério tem um prazo de 120 dias para avaliação.

-----------------------------------------------

Defensivos agrícolas genéricos têm registros publicados no Diário Oficial. Os produtos utilizam agentes de controle biológicos na sua formulação, contribuindo para o aumento da sustentabilidade da agricultura.

 

São 16 defensivos agrícolas formulados que podem ser utilizados pelos agricultores na defesa de suas plantações, sendo dois deles os de controle biológicos na sua formulação.

 

Todos foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, José Carlos de Andrade.