MDR garante aporte de R$21 milhões para saneamento básico em 15 estados

Com essas medidas poderão ser gerados 60 mil empregos e vai beneficiar cerca de 700 mil pessoas; Governo quer reduzir aglomerações durante pandemia, para isso digitalizou 156 serviços públicos nos últimos três meses; Profissionais do Exército vão ao extremo norte do Brasil, para prestar atendimento às comunidades indígenas

audio/mpeg 08-06-20 - É NOTICIA EM DOIS MINUTOS - MANHÃ - 2M09S - DILSON - FINALIZADO.mp3 — 3047 KB

Duração: 2:09s




Transcrição


Um aporte de mais de 21 milhões de reais foi garantido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para ações de saneamento básico em 15 estados e a retomada das obras de 672 moradias na Bahia, no Pará e no Paraná.


Com essas medidas poderão ser gerados 60 mil empregos e vai beneficiar cerca de 700 mil pessoas.


Durante visita ao Amapá, o ministro do MDR Rogério Marinho, participou da entrega de 145 máquinas para municípios do estado e da assinatura de acordo de cooperação técnica com o governo local para que a União auxilie o processo de concessão dos serviços de saneamento em 15 das 16 cidades amapaenses.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Com o objetivo de reduzir aglomerações durante a pandemia de coronavírus, o governo federal digitalizou 156 serviços públicos nos últimos três meses.

Um total de 58 serviços em março, 45 em abril e 53 em maio passaram a ser oferecidos sem a necessidade de que o cidadão saia de casa.

O esforço elevou para 729 o número de serviços públicos digitalizados desde janeiro de 2019.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Integrantes de operação interministerial, envolvendo os Ministérios da Defesa e da Saúde, partiram nesse sábado, dia 6, de Brasília, com equipe de saúde multidisciplinar do Hospital das Forças Armadas (HFA).

Os profissionais do Exército têm como destino o extremo norte do Brasil, onde vão prestar atendimento às comunidades indígenas próximas ao município de São Gabriel da Cachoeira, localizado à noroeste do Estado do Amazonas, região conhecida como Cabeça do Cachorro.

Na aeronave militar de fabricação nacional, maior cargueiro utilizado pela Força Aérea Brasileira, também foram embarcadas mais de duas mil toneladas de equipamentos de proteção individual, medicamentos e testes para detectar as doenças Covid-19 e malária.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé