Beneficiários do Bolsa Família recebem nesta terça-feira 3ª parcela de Auxílio Emergencial

Ao todo, 16 milhões de pessoas cadastradas no programa Bolsa Família foram consideradas elegíveis para receber a parcela do Auxílio Emergencial Extensão e receberão, no total, 4 bilhões de reais durante o mês de novembro; A campanha Você no Azul para regularização de dívidas de contratos comerciais em atraso está funcionando em todo país. Para reforçar o atendimento, cinco caminhões Você no Azul estão percorrendo todas as regiões do Brasil; Um acordo vai possibilitar o fim de filas de espera por benefícios previdenciários em todo o país.

audio/mpeg 17-11-20 - É NOTÍCIA EM 2 MINUTOS - 2m18s - DILSON SANTA FE - FINALIZADO .mp3 — 3222 KB

Duração: 2:17s




Transcrição

Cerca de 1 milhão e 600 mil beneficiários do Bolsa Família com final do Número de Identificação Social (NIS) 1 vão receber pela Caixa Econômica, nesta terça-feira, 17 o pagamento de mais de 423 milhões de reais referente à terceira parcela do Auxílio Emergencial Extensão.

 

Ao todo, 16 milhões de pessoas cadastradas no programa Bolsa Família foram consideradas elegíveis para a segunda parcela do Auxílio Emergencial Extensão e receberão, no total, 4 bilhões de reais durante o mês de novembro.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

A campanha Você no Azul para regularização de dívidas de contratos comerciais em atraso está funcionando em todo país. Para reforçar o atendimento, cinco caminhões Você no Azul estão percorrendo todas as regiões do Brasil.

 

No Caminhão, a população terá à disposição todo o atendimento necessário para a regularização de dívidas. Mas para regularizar a dívida, nem todos precisam sair de casa, pois a Caixa coloca à disposição de seus clientes diversos canais remotos.

 

A regularização pode ser realizada pelo WhatsApp, no número 0800 726 0104, opção 3. Pelo telefone 0800 726 8068, opção 8, ou pelo site www.caixa.gov.br/negociar.


Xxxxxxxxxxxxxxxx

 

Um acordo vai possibilitar o fim de filas de espera por benefícios previdenciários em todo o país.


Com o entendimento, a autarquia federal terá um prazo que varia de 30 a 90 dias, dependendo do tipo do benefício, para analisar o pedido dos segurados.


A medida também suspende ações judiciais que tramitam em primeira instância e no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar a demora do INSS em analisar as solicitações.


O acordo é firmado entre a Advocacia-Geral da União (AGU), o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé