Prazo de contestação para auxílio emergencial extensão vai até 26 de dezembro

A pasta também abriu prazo, até 29 de dezembro, para que beneficiários do Bolsa Família que tiveram o auxílio emergencial extensão cancelado, bloqueado ou negado possam requerer o benefício; Ministério da Cidadania recebeu crédito extraordinário de cerca de 86 milhões de reais para a promoção de ações de acesso à água em escolas públicas rurais na Região Norte, muitas delas localizadas em aldeias indígenas; Ministério da Saúde vai investir mais de 20 bilhões de reais em 2021 no Previne Brasil, novo modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde (APS).

audio/mpeg 18-12-20 - É NOTÍCIA EM DOIS MINUTOS - 1M42S - DILSON SANTA FE - FINALIZADO.mp3 — 2403 KB

Duração: 1:42s




Transcrição

O prazo de contestação para trabalhadores informais que tiveram o auxílio emergencial extensão negado por não atenderem aos novos critérios de concessão, começou nessa quinta-feira, 17. O prazo vai até o dia 26.

 

A pasta também abriu prazo para que beneficiários do Bolsa Família que tiveram o auxílio emergencial extensão cancelado, bloqueado ou negado possam requerer o benefício.

 

Os pedidos poderão ser feitos a partir deste domingo 20 até o dia 29. Todos os processos são exclusivamente feitos na página da Dataprev na internet.

Xxxxxxxxxxxxxxx

 

O Ministério da Cidadania recebeu crédito extraordinário de cerca de 86 milhões de reais para a promoção de ações de acesso à água em escolas públicas rurais na Região Norte, muitas delas localizadas em aldeias indígenas.

 

A ação é emergencial e voltada para o enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus.

 

Sete contratos de repasse para Amapá, Amazonas, Acre, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins vão garantir a liberação dos recursos.

 

A Caixa Econômica Federal será responsável pelos repasses dos investimentos da União.

 

A medida vai beneficiar 2 mil e 300 escolas.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxx

 

O Ministério da Saúde vai investir mais de 20 bilhões de reais em 2021 no Previne Brasil, novo modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde (APS).

 

Em seu primeiro ano, o programa repassou para municípios e Distrito Federal cerca de 19 bilhões de reais - os recursos são usados para ampliar a assistência nos mais de 41 mil postos de saúde do País.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé