Demandas pelo transporte rodoviário de cargas apresenta queda

Os dados fazem parte da Pesquisa Impacto do Coronavírus, realizada semanalmente pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística; EUA anunciara doação de R$17 milhões para auxiliar no combate à Covid-19 no Brasil; Adasa vai colocar à disposição do usuário, um simulador de contas.

audio/mpeg 20-05-20 - É NOTICIA EM DOIS MINUTOS - LUCIANO - TARDE - 2m03s.mp3 — 1843 KB

Duração: 2m02s




Transcrição

As demandas pelo transporte rodoviário de cargas apresentou queda de 41% na última semana.

 

Os dados fazem parte da Pesquisa Impacto do Coronavírus, realizada semanalmente pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística.

 

O levantamento fornece retratos instantâneos da crise desencadeada pelo novo coronavírus. Nesta nona rodada, a demanda de pequenos volumes encolheu 39% no período. Já as cargas maiores, a queda foi de 42%.

----------------------------------------------------------------

Os Estados Unidos anunciaram a doação de R$17 milhões para auxiliar no combate à Covid-19 no Brasil.

 

Os CDCs - Centros de Controle e Prevenção de Doenças - norte-americanos vão atuar lado a lado com a Fundação Oswaldo Cruz e o Ministério da Saúde.

 

Os recursos serão aplicados para melhorar a detecção e o rastreamento de casos, a identificação de áreas de transmissão, o controle de surtos e o fornecimento de dados para uma reabertura segura no Brasil.

 

Serão implementados 79 centros de operação de emergência, com treinamento e oficinas para os profissionais e na melhoria da saúde comunitária na região de fronteiras.

-------------------------------------------------------------------

A Adasa, Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF, vai colocar à disposição do usuário, um simulador de contas.

 

O aparelho servirá para saber quanto o consumidor vai pagar pelos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, com a nova estrutura tarifária que passa a vigorar em primeiro de junho. A simulação pode ser feita por todas as categorias: residencial, comercial, industrial e pública.

 

O novo modelo de estrutura tarifária acaba com a cobrança a partir do consumo mínimo de 10 metros cúbicos por mês e sim pelo que efetivamente o usuário consome.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Luciano Barroso.