Caixa Econômica Federal credita auxílio emergencial para mais de 5 milhões de pessoas

Há ainda o pagamento para quase 2 milhões de beneficiários do Bolsa Família; Mutuários que financiarem imóveis em linhas corrigidas pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) poderão comprometer até 22% da renda com as prestações;Alerta sobre os riscos devido à proximidade de uma forte massa de ar frio que atingirá o País nos próximos dias, está sendo feito pelo MDR.

audio/mpeg 21-08-2020_É NOTÍCIA EM 2 MINUTOS.mp3 — 2302 KB

Duração: 2:35s




Transcrição

Mais de 5 milhões de beneficiários vão receber o auxílio emergencial creditados nesta sexta-feira, dia 21, pela Caixa Econômica Federal. Quase 4 milhões de pessoas nascidas em novembro já tinham a programação de receber nesta data. Cerca de 91 mil são novos beneficiários ou pessoas que tiveram o cadastro reavaliado pelo governo.

 

Há ainda o pagamento para quase 2 milhões de beneficiários do Bolsa Família.

 

O auxílio, com parcelas de 600 reais e de 1 mil e 200 reais para mães solteiras, foi criado para reduzir os efeitos da crise econômica causada pela pandemia da covid-19.

 

A Caixa tem disponibilizado o auxílio para aqueles que estão no CadÚnico ou se cadastraram pelo site ou aplicativo em uma poupança digital. Essa poupança é acessível pelo aplicativo Caixa Tem, por meio do qual é possível fazer compras online em estabelecimentos autorizados e pagar boletos.

 


Xxxxxxxxxxxxx
Os mutuários que financiarem imóveis em linhas corrigidas pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) poderão comprometer até 22% da renda com as prestações.

 

A medida foi anunciada nessa quinta-feira, 20 , pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Até agora, o limite estava em 20%.

 

Guimarães fez o anúncio em evento ao vivo promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção na internet. Ele informou que o percentual pode ser aumentado mais uma vez, para 25%.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxx


Alerta sobre os riscos devido à proximidade de uma forte massa de ar frio que atingirá o País nos próximos dias, está sendo feito pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) .

 

Com isso, ocorrerá uma queda acentuada de temperatura em diversas regiões, com destaque para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, sul de Minas Gerais, Mato Grosso, sul de Goiás, Rondônia, Acre e sul do Amazonas.

 

Órgãos federais como o Ministério da Cidadania, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o Ministério da Saúde e o Programa Pátria Voluntária, além das Defesas Civis estaduais e municipais, também foram acionados para contribuir no atendimento ao público.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé