Receita Federal disponibiliza consulta ao primeiro lote de restituição do IRPF

De acordo com a Receita Federal, o primeiro lote deve abranger contribuintes idosos ou com doenças graves; Número de pedidos de seguro-desemprego de trabalhadores com carteira assinada subiu 76.2% na primeira quinzena de maio em relação a 2019; Irregularidades na contratação de serviços de saúde pela prefeitura de Cruzeiro, de SP, teriam gerado prejuízo entre 500 mil e 3 milhões de reais.

audio/mpeg 22-05-20 É NOTICIA EM DOIS MINUTOS - MANHÃ - 2m31s - ADALTO - FINALIZADO .mp3 — 2374 KB

Duração: 2:31s




Transcrição

 

A partir dessa sexta-feira, dia 22, a Receita Federal vai disponibilizar a consulta ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física 2020 .

De acordo com a Receita Federal, o primeiro lote deve abranger contribuintes idosos ou com doenças graves.

Neste ano, o cronograma de restituições foi antecipado para maio e a quantidade de lotes, reduzida de sete para cinco.

O pagamento do primeiro lote está programado para o dia 29 de maio, antes do fim do prazo de entrega das declarações, dia 30 de junho de 2020.

A antecipação é uma iniciativa da Receita Federal para reduzir os efeitos econômicos da pandemia de covid-19.

O último lote tem pagamento previsto para 30 de setembro.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

O número de pedidos de seguro-desemprego de trabalhadores com carteira assinada subiu 76.2% na primeira quinzena de maio em relação ao mesmo período do ano passado.

Na primeira metade do mês, mais de 504 mil benefícios de seguro-desemprego foram requeridos. No mesmo período do ano passado, o número de pedidos registrados foi de 286 mil.

Mais de 77% dos pedidos do mês passado foram feitos pela internet, em contraponto a apenas 1,7% feitos no mesmo período de 2019.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Irregularidades na contratação de serviços de saúde pela prefeitura da cidade de Cruzeiro, em São Paulo, teriam gerado prejuízo entre 500 mil e 3 milhões de reais.

A Operação Medcruz, realizada pela Polícia Federal, em parceria com a CGU, aponta que entre 2017 e março de 2020, a Prefeitura de Cruzeiro realizou pagamentos no montante de mais de 15 milhões de reais para a organização envolvida.

A Delegacia de Polícia Federal de Cruzeiro identificou nas investigações que ainda pode haver ocorrências de crimes de falsidade ideológica, de peculato, de fraudes a licitações, de organização criminosa ou associação criminosa.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Adalto Gouveia