Justiça do Trabalho recebe mais de 7 mil ações desde o início do coronavírus

As principais demandas que foram ajuizadas pelos trabalhadores na primeira instância tratam da cobrança de verbas rescisórias que não foram pagas pelo empregador; Orientações gerais estabelecendo a prevenção e o controle para atenuar a transmissão da Covid-19 foram publicadas pelo Ministério da Saúde, no Diário Oficial da União; Seleção de projetos para o fortalecimento da sociobiodiversidade, envolvendo pequenos e médios produtores rurais, agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais foi aberta pelo MAPA.

audio/mpeg 22-06-20 - É NOTÍCIA 2 MINUTOS - MANHA - 2M06S - DILSON - FINALIZADO.mp3 — 2963 KB

Duração: 2:06s




Transcrição

A Justiça do Trabalho recebeu mais de 7 mil ações trabalhistas desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Levantamento feito pelo Tribunal Superior do Trabalho aponta que os números referem-se ao período de janeiro a maio e incluem todas as varas e tribunais do trabalho do Brasil.

As principais demandas que foram ajuizadas pelos trabalhadores na primeira instância tratam da cobrança de verbas rescisórias que não foram pagas pelo empregador.

Somente essa questão equivale a 22,9% da ações, o que corresponde a cerca de Mil e 500 do total.

Desde o início das medidas de isolamento social, muitas empresas não conseguiram manter o quadro de funcionários e fizeram demissões.

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Orientações gerais estabelecendo a prevenção e o controle para atenuar a transmissão da Covid-19 foram publicadas na última sexta-feira, dia 19, pelo Ministério da Saúde, no Diário Oficial da União.

As indicações são voltadas à promoção da saúde física e mental da população.

O objetivo é apoiar as estratégias locais para retomada segura das atividades e do convívio social, respeitando as especificidades e características de cada setor ou ramo de atividade.
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Seleção de projetos para o fortalecimento da sociobiodiversidade, envolvendo pequenos e médios produtores rurais, agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais foi aberta pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A iniciativa integra o Programa Bioeconomia Brasil – Sociobiodiversidade, da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo.

As instituições interessadas deverão fazer a inscrição das propostas escolhidas pelo programa Fortalece Sociobio na Plataforma + Brasil, até o dia 31 de outubro de 2020.

Podem participar municípios das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste, que constituem consórcios públicos.


Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé