Brasil registra em 2020 alta de 7% no acesso à internet em casa

E mais: publicada no Diário Oficial da União da LDO 2022, com as previsões de despesas e receitas da administração pública federal e parâmetros da economia; PF deflagra operação contra grupo que fraudou licitação para gestão de hospital de campanha em Fortaleza.

audio/mpeg 23-08-21 - É NOTÍCIA EM 2 MIN - MARCIA DIAS - 2M08S - FINALIZADO.mp3 — 2011 KB

Duração: 2m08s




Transcrição

Pesquisa do Comitê Gestor da Internet revelou que, em 2020, o Brasil tinha 152 milhões de usuários com acesso à internet em casa, o que significa 81% da população com mais de 10 anos de idade.

O número representa aumento de 7% em relação a 2019.

Segundo o coordenador da pesquisa, Fábio Storino, a pandemia fez com que os indicadores de acesso à internet tivessem a maior alta dos 16 anos da série histórica.

O dia 23 de agosto é dedicado ao internauta. A data foi instituída em 1991, quando a rede mundial de computadores foi aberta ao mundo.

–-----------

A LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias, de 2022 foi publicada nesta segunda-feira (23) no Diário Oficial da União. O texto, com vetos parciais, foi sancionado na última sexta-feira, dia 20, pelo presidente Jair Bolsonaro.

A lei estabelece as despesas obrigatórias e de funcionamento dos órgãos públicos, as prioridades da administração pública federal para o ano seguinte e as metas macroeconômicas.

A LDO de 2022 prevê crescimento real do Produto Interno Bruto de 2,5%, inflação medida pelo IPCA em 3,5% e a Selic, taxa básica de juros, foi projetada em 4,74%. A taxa de câmbio média do dólar foi estabelecida em R$ 5,15. O salário mínimo do próximo ano foi definido em R$ 1.147.

Para 2022, a lei orçamentária fixou uma meta de déficit primário superior a R$ 170 bilhões para o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social e déficit de cerca de R$ 4,5 bilhões (4 bilhões e meio) para as empresas estatais.

–-----------

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a Operação Cartão Vermelho 2, para desarticular um grupo investigado por crimes de corrupção, desvio de recursos públicos federais e fraude em procedimento de dispensa de licitação. As irregularidades foram identificadas no hospital de campanha montado para atender pacientes de Covid-19, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, capital do Ceará.

Além de servidores públicos, também são alvos da operação dirigentes da organização social sediada em São Paulo, que foi contratada para gestão do hospital de campanha, e empresários.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Márcia Dias