MEC autoriza criação de 207 cursos técnicos em instituições privadas de ensino superior

A relação dos cursos autorizados está publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira; SUS passa a ter mais 2.593 Equipes de Saúde da Família ao Programa de Apoio à Informatização e Qualificação dos Dados da Atenção Primária à Saúde;

audio/mpeg 24-06-20 - É NOTÍCIA 2 MINUTOS - MANHA - 2M07S - DILSON - FINALIZADO.mp3 — 2990 KB

Duração: 2:07s




Transcrição

O Ministério da Educação autorizou a criação de 207 cursos técnicos em instituições privadas de ensino superior, no âmbito do Programa Novos Caminhos.

A oferta desses cursos por instituições particulares era permitida desde 2016, mas não havia regulamentação para que o MEC autorizasse a abertura com segurança jurídica.

A relação dos cursos autorizados está na portaria publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira, dia 19. Com eles, serão criadas mais de 61 mil vagas nos institutos, faculdades e universidades privadas.

A maioria dos cursos é na modalidade presencial, mas também há ofertas a distância.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Sistema Único de Saúde passará a ter mais 2.593 Equipes de Saúde da Família ao Programa de Apoio à Informatização e Qualificação dos Dados da Atenção Primária à Saúde, o Informatiza APS.

Portaria do Ministério da Saúde, publicada na última segunda-feira, dia 22, garante a adesão de novas equipes em 845 municípios.

O Informatiza APS é o primeiro passo para que as informações clínicas dos usuários possam ser acessadas de qualquer unidade de saúde do país.


O recurso total do programa é de mais de 4 milhões de reais por mês aos serviços de saúde.

Com as novas adesões, o Brasil terá mais de 27 mil equipes informatizadas em 3 mil 961 municípios, beneficiando acima de 93 milhões de pessoas.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Governo Federal decidiu suspender, por até seis meses, o pagamento dos financiamentos contratados por meio do programa Renovação de Frota do Transporte Público Coletivo Urbano de Passageiros, o Refrota 17.

A suspensão se deve aos efeitos econômicos da pandemia de Covid-19 e visa apoiar as empresas de transporte público a continuarem prestando serviços com qualidade, bem como colaborar para a manutenção de empregos.

As operações de crédito foram realizadas com recursos do FGTS, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé