Governo federal reconhece situação de emergência em 334 municípios

E mais: Arrecadação federal é a maior para o mês de outubro desde 2016; Aneel libera operação de mais 45,9 megawatts de energia eólica

audio/mpeg 24-11-21- E NOTICIA EM 2 MINUTOS - MARCIA DIAS.mp3 — 1794 KB

Duração: 1m54s




Transcrição

O governo federal reconheceu situação de emergência em 334 municípios atingidos por desastres naturais.
A maioria das cidades está na Região Nordeste e sofre com a ausência de chuvas. Na Paraíba, 150 localidades, e outras 20 na Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará, Sergipe e Pernambuco, tiveram reconhecimento federal devido à estiagem.
Na Região Sudeste, 147 municípios de Minas Gerais também passam por um período de seca ou estiagem.

No Sul e no Sudeste, fortes vendavais e queda de granizo causaram estragos e diversas cidades.

Com o reconhecimento federal de situação de emergência, os gestores municipais podem solicitar recursos ao Ministério do Desenvolvimento Regional, para atendimento à população afetada, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de áreas públicas danificadas.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Durante o último mês de outubro, a arrecadação federal aumentou mais de 4%, em comparação com o mesmo mês no ano passado. Foram arrecadados mais de 178 bilhões de reais. Essa foi a maior arrecadação, para o mês de outubro, desde 2016.

De acordo com o Ministério da Economia, o recolhimento do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre Lucro Líquido contribuíram para o crescimento da arrecadação no período. 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> 

A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, liberou para operação comercial  mais 45,9 megawatts em unidades geradoras das usinas eólicas.

Com esse adicional de energia, o Brasil supera a marca de 20 gigawatts de energia produzida com a força dos ventos. O total é suficiente para abastecer mais de 20 milhões de habitantes. De acordo com a Aneel, até 2023 a produção de energia eólica deve dobrar no país.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Márcia Dias.