BC: Juros do cheque especial e do crédito não consignado caem em julho

E mais: população brasileira atinge 213,3 milhões, diz IBGE; governo federal rescinde contrato para compra da vacina Covaxin.

audio/mpeg 27-08-2021 É NOTICIA EM 2MIN - MARCIA DIAS TARDE.mp3 — 2106 KB

Duração: 2m03s




Transcrição

Os juros do cheque especial e do crédito não consignado diminuíram em julho, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira, pelo Banco Central.

A taxa de juros do cheque especial para pessoas físicas caiu 2,1 pontos percentuais no mês e chegou a 123,5% ao ano.

Já no crédito pessoal não consignado a queda foi de 2,9 pontos percentuais, alcançando 79,5% ao ano em julho.

Houve aumento de 0,1 ponto percentual para o crédito consignado e de 4 pontos percentuais nos juros do rotativo do cartão de crédito. Quem usou o rotativo do cartão, ou seja, fez o pagamento parcial da fatura, pagou 331,5% ao ano de juros.

----------

O IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgou nesta sexta a estimativa da população brasileira, até a data de 1º de julho de 2021: 213 milhões e 300 mil pessoas.

No ano passado, o Brasil tinha 211 milhões e 700 mil habitantes.

O crescimento estimado da população de 2020 para 2021 foi de 0,74%. O ranking de estados mais populosos é liderado por São Paulo, com mais de 46 milhões de habitantes; seguido de Minas Gerais, com mais de 21 milhões e o Rio de Janeiro, que tem uma população superior a 17 milhões de pessoas.

Roraima é o estado menos populoso, com quase 653 mil habitantes.

----------

O governo federal rescindiu unilateralmente o contrato com a Precisa Medicamentos - farmacêutica que intermediava a venda da vacina Covaxin contra a Covid-19, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.

Pelo contrato, seriam compradas 20 milhões de doses do imunizante, ao custo de R$ 1 bilhão e 600 mil reais.

 

Da Rede Nacional em Brasília, Márcia Dias