MDR entrega 1.000 casas próprias a moradores de Barra do Corda, no Maranhão

O empreendimento recebeu investimento de R$55 milhões e beneficia cerca de quatro mil pessoas; Governo aprova redução de taxas de juros para setor cafeeiro e dos créditos de custeio e investimento do Pronaf; Fabricantes de cigarro apresentam defesa em ação que pede ressarcimento de gastos com tratamentos relacionados ao tabagismo.

audio/mpeg 28-08-20 - É NOTÍCIA 2 MINUTOS - TARDE - 2m19s - LUCIANO.mp3 — 2047 KB

Duração: 2m19s




Transcrição

O Ministério do Desenvolvimento Regional entregou, nesta quinta-feira, dia 26, mil casas próprias a moradores de baixa renda de Barra do Corda, no Maranhão.

 

O repasse das chaves do Residencial Nova Barra, etapas UM e Dois, feito pelo ministro Rogério Marinho, beneficiou cerca de quatro mil pessoas.

 

O empreendimento recebeu investimento de R$55 milhões do governo federal. São casas de 43 metros quadrados, em lotes de 160 metros quadrados.

--------------------------------------------------------------------------------------

Governo aprova redução de taxas de juros para setor cafeeiro e dos créditos de custeio e investimento do Pronaf, para agricultores familiares prejudicados por vendavais.

 

Com retroatividade a partir de julho deste ano, as taxas de juros com recursos do Funcafé, o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira, passam de 6% ao ano para 5,25% nas operações de custeio e comercialização.

 

Para cooperativas, a redução é de 7,5% para 6,75% para capital de giro para indústrias e demais tomadores.

 

Os novos valores das taxas de juros para o setor cafeeiro, válidos para os contratos firmados a partir de julho, foram definidos nessa quinta-feira, dia 27, em reunião do Conselho Monetário Nacional.

----------------------------------------------------------------------------

Fabricantes de cigarro apresentam defesa em ação que pede ressarcimento de gastos com tratamentos relacionados ao tabagismo.

 

Pela primeira vez, duas das maiores fabricantes de cigarros do mundo - a British American Tobacco e a Philip Morris International - comparecem perante o Poder Judiciário brasileiro.

 

As empresas são rés em uma ação civil pública ajuizada pela Advocacia-Geral da União, em maio do ano passado. Também pede a condenação das empresas ao pagamento de indenização por danos morais coletivos.

 

Além das matrizes estrangeiras, também estão sendo demandadas na ação a Souza Cruz no Brasil. Juntas, essas empresas detêm, aproximadamente, 90% do mercado nacional de fabricação e comércio de cigarros.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Luciano Barroso.