Pesquisa vai apurar incapacidades ocasionadas pela hanseníase

Projeto é parceria viabilizada pelo Ministério da Saúde, por meio do Instituto Leônidas e Maria Deane da Fiocruz Amazônia e a Fundação Hospitalar Alfredo da Matta, unidade de referência no tratamento da doença.

audio/mpeg 02-02-2022_BOLETIM_HANSENÍASE.mp3 — 1864 KB

Duração: 1m19s




Transcrição

Pela primeira vez no país será realizada de uma pesquisa sobre de incapacidades  físicas ocasionadas pela hanseníase em mais de 200 municípios brasileiros, mapeados pelo Projeto Inquérito da Hanseníase no Brasil.

 

 

A hanseníase, conhecida no passado como lepra, é uma doença incapacitante e que pode trazer danos ao paciente mesmo após a alta médica depois de curado. 

 

O projeto é parceria viabilizada pelo Ministério da Saúde, por meio do Instituto Leônidas e Maria Deane da Fiocruz Amazônia e a Fundação Hospitalar Alfredo da Matta, unidade de referência no tratamento da doença.

 

 

O trabalho de campo tem início previsto para março com atividades realizadas por equipes multidisciplinares formadas por profissionais de todo o Brasil e ao final permitirá a criação de um banco de dados nacional sobre as incapacidades físicas pós-cura da hanseníase.

 

O paciente curado pode continuar a viver normalmente, sem as incapacidades físicas que são evitáveis se houver, em tempo hábil, diagnóstico e tratamento, que evitam a piora do caso mesmo após a cura da doença.

 

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília