Em 2019, o Sistema Único de Saúde passou a ofertar novos tratamentos para dez diferentes tipos de doenças raras

Também foram publicados 8 Protocolos para uniformizar o atendimento, assistência, monitoramento e tratamento dessas doenças

audio/mpeg 02-03-20 - AMERICA MELO - DOENÇAS RARAS.mp3 — 2219 KB

Duração: 1m11s




Transcrição

 

No Brasil, 13 milhões de pessoas são acometidas com doenças raras.

Para cuidar de forma adequada destes brasileiros, o Ministério da Saúde tem investido cada vez mais na assistência a doenças raras, como fibrose cística, esclerose múltipla e doença falciforme.

Em 2019, o SUS, o Sistema Único de Saúde passou a ofertar novos tratamentos para dez diferentes tipos de doenças raras e publicou oito Protocolos para uniformizar o atendimento, assistência, monitoramento e tratamento para as doenças raras.

 

Também foram habilitados nove Serviços de Referência voltados para essa população no país.

Nos últimos anos, foram incorporados ainda 15 exames para diagnóstico de doenças raras, além do aconselhamento genético e procedimentos de avaliação diagnóstica.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, é considerada rara a doença que afeta até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos. Cerca de oito mil doenças raras estão catalogadas.